Lixo eletrônico: o que fazer com aquele celular velho no Natal

lixo-eletrônico-fábrica-da-zyklus

Kyklus recicla cerca de 4 toneladas de eletrônicos por mês no Rio (Foto: Bléia Campos/Divulgação)

Todo fim de ano é a mesma coisa. Os eletroeletrônicos dominam a lista de desejos de boa parte dos brasileiros. E muitos aproveitam o Natal para realizar o sonho de filhos, amigos ou companheiros. Ou mesmo autopresenteiam-se com novos aparelhos. Mas o que fazer com o celular antigo que ficou lento demais? O lixo eletrônico é um problema mundial que afeta o Brasil em cheio. Segundo a ONU, em 12 anos, o volume de lixo eletrônico acumulado em todo o mundo pesará mais do que o Pão de Açúcar, que tem mais ou menos 580 milhões de toneladas.  O Brasil já é o maior produtor desse resíduo da América Latina: são cerca de 1,4 milhão de toneladas de lixo eletrônico por ano. Mas apenas 2% chegam para reciclagem.
É que muitos brasileiros não sabem – ou se sabem não querem saber – sobre o descarte adequado deste tipo de resíduo. Reflexo do comportamento do brasileiro em relação à reciclagem. Uma pesquisa da Fecomércio RJ/Ipsos feita em 74 cidades aponta queda do número de brasileiros que dizem separar o lixo para reciclagem: caiu de 51% para 48% em relação a 2016. Mas é sempre bom lembrar que metais pesados presentes em aparelhos eletrônicos podem causar problemas sérios no pulmão e até câncer, entre outras doenças. No meio ambiente, estas substâncias presentes nos eletrônicos contaminam solo e rios e impactam na vida dos seres vivos.
Para dar um bom exemplo e contribuir para a atitude sustentável de seus consumidores, o NorteShopping vai recolher lixo eletrônico para tentar sensibilizar a sociedade sobre os prejuízos do descarte inadequado. Até o dia 27 deste mês, o CEL International School e a Zyklus Reciclagem, com a apoio do NorteShopping, se juntam para promover a ação #PresenteAoMeioAmbiente. Quem tiver equipamentos eletrônicos em desuso ou quebrados, acumulados em casa, pode descartar em um dos ecopontos no shopping: na unidade CEL IS, na cobertura, ou no SAC do NorteShopping, no segundo piso. Se for comprar um novo, a proposta é não esquecer de redirecionar o antigo para os postos de descarte adequado para ser encaminhados à reciclagem.
campanha-reciclagem-lixo-eletronico-norteshopping
A ação faz parte da campanha Tem Jeito, para conscientização sobre os riscos do descarte inadequado de resíduos e seus impactos negativos para a natureza e saúde do homem. O objetivo é estimular a responsabilidade coletiva e economia circular neste período de Natal, quando o consumo cresce 7% em todo o país. Segundo o SPC Brasil e a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) a movimentação de dinheiro na economia, neste fim de ano, deverá ser de R$ 51,2 bilhões, com o gasto médio com presentes de R$ 461,91.
Além da coleta de resíduos, a campanha tem como objetivo conscientizar a população sobre os perigos do descarte inadequado e chamar atenção do poder público para o problema, já que as políticas de fiscalização ainda são muito brandas e ineficazes. “Começamos a campanha internamente com os nossos alunos e o retorno foi excelente. Entendemos que a hora seria para um passo maior que envolvesse não apenas os estudantes e suas famílias, mas a sociedade no todo. Quando você compra um celular, ele é seu. Quando vai descartá-lo, ele passa a ser nosso, nosso lixo. Apenas a conscientização e a responsabilidade coletiva nos levarão à transformação que precisamos para solucionar esse problema.”, explica a diretora da CEL, May Chagas.
O material recolhido será encaminhado para a fábrica da Zyklus, em Bonsucesso, responsável pela reciclagem e processo de recuperação para reutilização de aparelhos eletrônicos. “É um trabalho social também porque, além de cuidar do meio ambiente, devolvemos ao mercado a preços sociais. É uma economia de recursos que deixam de ser extraídos da natureza e, no bolso, uma oportunidade de acesso a esses itens para quem precisa.”, finaliza Vitor Saboya, fundador da Zyklus, que recolhe atualmente quatro toneladas de resíduos por mês.
Da Redação, com assessoria