10 mitos e verdades sobre os cuidados com a voz

No Dia Mundial da Voz, fonoaudióloga responde as principais dúvidas. Otorrino que atende cantora lírica Mirna Rubim apresenta novidades em diagnóstico e traz dicas para proteger a voz

Redação
mirna-rubim-cantora-lirica-sofre-de-rinite Cantora lírica, Mirna Rubim sofre de rinite crônica e sempre precisa recorrer a um fono e um otorrino (Foto: Divulgação)

Rio de Janeiro, abril de 2018 – “Quando eu soltar a minha voz, por favor, entenda…”, cantava Gonzaguinha, em tom emocionante. A voz pode realmente fazer toda a diferença em qualquer situação. Ela está por trás dos diálogos, das canções, dos manifestos. A voz, uma das principais fontes de união e interação, requer cuidados, assim como qualquer outra parte do corpo.

A cantora Mirna Rubim, famosa soprano-lírica brasileira, que o diga. Atriz de musical, ela já participou de seriados na TV Globo e foi instrutora de canto em quadros do programa do Faustão. Mas sofre de rinite crônica e já pediu demissão de dois empregos por causa dos ácaros que prejudicaram a sua voz.

“Cantor tem que ter seu otorrino e seu fono de plantão”, diz Mirna, que tem entre seus clientes artistas como Miguel Falabella, Daniel de Oliveira, Mohamed Harfouch, Cássia Kiss, Fernanda Lima, Eva odos, Inês Vianna e Soraia Ravenle.

“A rinite incha e atrapalha a emissão do som, por isso sempre recorro ao doutor Bruno”, conta ela, que é doutora na Universidade de Michigan e diretora do Estúdio Você, uma escola de canto que coordena um grupo de profissionais especializados em técnica vocal lírica e popular e atende a 200 alunos em aulas individuais e em grupo.

Dr Bruno otorrino
O otorrino Bruno Niedermeier, que atende a cantora Mirna Rubim, traz seis dicas práticas para proteger a voz – é a chamada ‘higiene vocal’ (Foto: Divulgação)

Médico de Mirna, o otorrinolaringologista Bruno Niedermeier (foto), pioneiro no uso de tecnologia para diagnóstico de problemas relacionados à voz, já atendeu muita gente que vive dela, como cantores, atores, jornalistas e professores. Ao ViDA & Ação, ele fala sobre os diferentes tipos de diagnóstico e ainda dá seis dicas para proteger a voz (veja abaixo).

Cuidados essenciais

Sem dúvida, a voz é a identidade do indivíduo e quando fica alterada há repercussões na qualidade de vida e na rotina de qualquer pessoa.  “A voz é importante desde o momento do nascimento e é a grande responsável pela nossa comunicação e desenvolvimento em sociedade. Por isso, é essencial ter cuidados constantes com a voz e evitar ações nocivas, como gritar, pigarrear, ingerir bebidas alcoólicas e fumar”, afirma a fonoaudióloga do Hospital Cema (SP) Thaís Palazzi.

Dia Mundial da Voz - campanha

Dia Nacional da Voz (16 de abril) alerta a população sobre a importância dos principais cuidados, da prevenção e diagnóstico correto e precoce de doenças vocais como câncer de laringe.  Em comemoração à Semana Nacional da Voz, várias ações serão realizadas em várias partes do país. A campanha é organizada pela Academia Brasileira de Laringologia e Voz (ABLV), em parceria com a Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico-Facial (ABORL-CCF), e instituições públicas e privadas.

Risco de câncer de laringe

Sintomas como rouquidão, cansaço ao falar, dor na garganta por mais de duas semanas devem ser investigados.  O câncer da laringe (pregas vocais ou cordas vocais) corresponde a 25% dos tumores diagnosticados nessa região e 2% de todas as doenças malignas. Segundo dados do Inca (Instituto Nacional do Câncer), a estimativa de 2016 é que foram computados 7.350 novos casos, sendo 6.360 em homens e 990 em mulheres. A previsão de novos casos para 2018 é de 7.670, sendo 6.390 em homens e 1.280 em mulheres.

É importante a avaliação de um profissional especializado para que possam ser identificadas lesões precoces nos quais a intervenção imediata pode trazer cura, como no caso do câncer de laringe, que se detectado precocemente tem chance de cura de mais de 90% dos casos”, explica a médica otorrinolaringologista Elisa Lin Plec. 

Novas tecnologias em diagnóstico 

A novidade no diagnóstico de doenças vocais é a videofibroscopia funcional, que avalia a dinâmica da laringe durante o canto, e a videolaringoestreboscopia em ultraresolução (4k), para diagnósticos mais precisos. O exame rende boas imagens”, afirma dr Bruno, que é mestre pela UFRJ e membro da Sociedade Carioca de Otorrinolaringologia.

Segundo ele, a videolaringoestroboscopia é um exame realizado com paciente acordado. “Nós temos uma óptica que parece uma caneta que fica encostada na língua e conseguimos observar as cordas vocais. É um exame indolor,  muito tranquilo de ser realizado e feito no consultório do médico otorrinolaringologista”, explica o especialista.

Com a videolaringoestroboscopia é possível observar  toda a anatomia da garganta, ou seja, do faringe e do laringe, assim como a vibração das pregas vocais. “É um exame muito comum nos profissionais da voz, sejam eles professores, cantores, ou mesmo atores. É indispensável para a avaliação das doenças da voz e das cordas vocais”, ressalta.

Já a videolaringoestroboscopia com resolução em 4K, ou seja, ultra resolução, é uma proposta nova que vem acontecendo desde 2015 ou 2016, que demonstra uma qualidade  de imagem muito superior à tecnologia SD ou mesmo HD. “Com isso conseguimos fazer diagnósticos mais precisos”, detalha Dr Bruno.

A videofibroscopia funcional é um exame feito em cantores, em que se utiliza uma óptica  flexível, bem fininha, tem em torno de 3 milímetros de diâmetro e vai  sendo passada pelo nariz e chega até o faringe.
Então nós conseguimos desta forma avaliar a dinâmica da garganta, do laringe, das pregas vocais e da língua durante o campo. É uma proposta que deve ser analisada pelo médico, otorrinolaringologista,  e pode ter a participação do fonoaudiólogo ou até mesmo do professor de canto que queira estar ajudando nessa dinâmica do exame.

Mitos e verdades sobre a saúde vocal

A fonoaudióloga Thaís Palazzi lista abaixo o que é mito e o que é verdade no que diz respeito à saúde da voz e alerta que qualquer alteração vocal que persista por mais de 3 dias deve ser investigada por um otorrinolaringologista. Confira os principais mitos e verdades:

Ainda de acordo com a médica

1 – Maçã faz bem para a voz

VERDADE – A maçã é um alimento rico em pectina, uma substância que fornece ação adstringente e auxilia na limpeza da laringe e das cordas vocais, evitando assim o acúmulo de secreção, o famoso pigarro, nessa região. Além disso, a mastigação fortalece a musculatura responsável pela articulação das palavras. Além da maçã, as folhas verdes e frutas como banana, caju e goiaba também têm função adstringente.

2 – Profissionais que trabalham com a voz sofrem mais problemas vocais

DEPENDE – Possíveis problemas com a voz vão depender de como ela é utilizada. Em geral, pessoas que têm uma demanda de voz excessiva, sem cuidados vocais, como, por exemplo, com excesso de gritos, má hidratação e respiração inadequada certamente estão mais predispostas a ter alterações vocais e rouquidão. É importante para esses profissionais não aumentar a intensidade da voz quando há ruídos mais altos por trás, para não prejudicá-la.

3 – Pigarrear tira a secreção da garganta

MITO – Pelo contrário, pigarrear irrita ainda mais a mucosa. O ideal, nesse caso, é hidratar-se para que a secreção saia naturalmente, ou respirar profundamente pelo nariz e deglutir em seguida.

4 – Má respiração prejudica a voz

VERDADE – A saúde dos tecidos depende da boa oxigenação. Portanto, uma respiração incorreta tem consequências negativas para a saúde mental e física, afetando também a voz. A respiração é a base principal da produção vocal e precisa acontecer de maneira adequada, tanto na fala, quanto no canto. O trabalho com a voz é feito com o corpo todo, inclusive com a respiração.

5 –Álcool e cigarro fazem mal à voz

VERDADE – Cigarros e determinados tipos de drogas irritam a mucosa do trato vocal e elevam a sensação de pigarro, podendo ocasionar alterações nas cordas vocais. Já as bebidas alcoólicas, além de irritar a mucosa, têm ainda efeito anestésico podendo mascarar a dor de garganta ou os excessos vocais.

6 – Balas de hortelã, pastilhas, sprays bucais e gengibre são bons para a voz

MITO = Esses recursos apenas disfarçam a dor e o desconforto, dando uma falsa sensação de melhora. Com isso, geralmente a pessoa comete excessos, pois imagina que está melhor, prejudicando ainda mais a mucosa das cordas vocais.

7 – Bebidas geladas ou muito quentes prejudicam a voz

VERDADE – No geral, mudanças bruscas de temperatura podem, sim, prejudicar a voz. No caso das bebidas geladas ou muito quentes há um choque térmico no organismo, o que pode causar danos à saúde vocal.

8 – Gritar prejudica a voz

VERDADE – Gritar é uma das atitudes mais agressoras para a laringe, pois, nesse momento, ocorre ataque brusco entre as cordas vocais. Isso pode causar um edema, irritação na mucosa das cordas vocais. O grito deve sempre ser evitado.

9 – Ingerir uma pequena quantidade de bebida alcoólica é bom para cantar

MITO – A bebida tem efeito anestésico nas cordas vocais e o cantor que recorre a ela pode cometer excessos vocais sem perceber, o que agrava o quadro, em longo prazo. O ideal sempre é optar por ingerir água.

10 – Alguns alimentos fazem mal para a voz

VERDADE – Alimentos pesados e com condimentos podem fazer mal à voz, como o chocolate, o café e bebidas alcoólicas. O melhor é optar por alimentos leves e com proteínas e também beber muita água para hidratar as cordas vocais.

Dicas para proteger a sua voz

O otorrino Bruno Niedermeier selecionou seis dicas importantes para proteger a voz. É o que ele chama de “higiene vocal”,  que consiste em todo um processo de preservação das suas cordas ou pregas vocais”.
1º Beba água. A água é indispensável para a vibração da suas cordas vocais. Então se você trabalha com a voz, se você é professor, se você é cantor, se você é mesmo um comerciante que fala muito, beba sempre bastante água. A prega vocal tem que vibrar. Se ela vibrar com dificuldades você pode ter problemas.
2º Não coma e vá deitar. A pessoa que come e logo depois deita aumenta muito a chance de refluxo. O refluxo é quando o ácido do estômago sobe e vai até a garganta. Isso pode interferir  diretamente na sua voz e causar inclusive lesões nas suas cordas vocais ou mesmo no seu faringe, na garganta inteira. (veja no Canal do Youtube do Vida & Ação uma entrevista exclusiva com Dr Bruno sobre refluxo)
 
3° Evite gritar. O grito é um mecanismo de defesa do corpo e não pode ser utilizado  de uma forma recorrente, nós temos que utilizar  o grito apenas em  situações de emergência,  não viva sua vida gritando, você pode ter lesões até hemorrágicas na sua corda vocal. Sua corda vocal pode sofrer tanto que ela fica cheia de sangue.
4º Repouso ao sentir rouquidão. Se vocês estive rouco, se você ficou gripado, percebeu que sua voz ficou ruim, a primeira coisa que você deve fazer, é não falar. Evite falar, que isso pode te ajudar  recuperar a sua voz de forma mais rápida.
5° Obviamente não fume. O cigarro é extremamente nocivo pra a sua laringe, pra sua boca, pra sua garganta inteira. É um dos maiores causadores de câncer no laringe.
6° Consulte um especialista. Sempre que sentir algum tipo de  desconforto ou tração na sua garganta, procure o seu médico, vá a um Otorrinolaringologista. Ele vai poder realizar um exame nas suas cordas vocais e identificar de forma precisa qual é o seu problema e qual medicamento você tem que tomar.

Da Redação, com assessorias

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.