15 passos para a virada na carreira em 2020

No Ano Novo, que tal dar uma guinada na sua vida profissional? Especialistas dão dicas para fazer a transição de carreira de forma mais segura

Redação

Contagem regressiva para o Ano Novo… é hora de concentrar-se nos rumos de sua carreira, repensar escolhas e tomar decisões. Final de ano sempre é tempo de planejar, de rever o que se fez e criar metas para o novo período que será iniciado. E o brasileiro hoje, vive um momento de muitas adaptações, de recomeço, de reordenação.

Mas há um objetivo que é comum a todos, independentemente da área de atuação, idade ou cargo: melhorar na profissão ou conseguir um emprego, desejo de mais de 14 milhões de desempregados.

Todos os dias, milhares de profissionais passam por este dilema quanto à carreira: Me decepcionei com a minha área; ainda não sei se essa carreira é para mim; quero abrir uma franquia, mas não em qual segmento; virei mãe, e agora?

São diversas problemáticas que podem se tornar um turbilhão e atrapalhar a profissão atual, o que normalmente é muito comum em alguns períodos da vida. A palestrante e especialista em desenvolvimento humano, Rebeca Toyama alerta sobre fases mais propensas que nos colocam à prova em relação às conquistas pessoais e mostra caminhos alternativos para se redescobrir em 2020.

No campo profissional, a busca é conseguir o emprego dos sonhos, aquele que lhe traga estabilidade e felicidade. A transição de carreira é mais comum do que muitos imaginam e está atrelada a percepção pessoal sobre uma determinada profissão, suas decepções pessoais e perspectivas futuras.

Com as relações profissionais cada vez mais voláteis, é comum encontrar profissionais que atuam em duas áreas ou até mais, e vale lembrar que existem períodos na vida que estamos mais propensos a passar por dúvidas. A especialista Rebeca Toyama, alerta sobre os ciclos mais comuns e o que cada fase da vida vem trazer.

“Para entendermos como funciona cada fase, podemos usar como base a antroposofia. Aos 28 anos, vem o desconforto junto ao questionamento sobre o seu papel no mundo; aos 35 anos, podemos observar a cobrança sobre a vocação profissional; em seguida, aos 42 anos, podem surgir dúvidas sobre qual legado você está deixando. ”, explica a especialista.

Insegurança é entrave para novos desafios

Em uma pesquisa realizada pelo LinkedIn com parceria pela empresa Brands2Life para entender o motivo que a maioria dos profissionais perdem oportunidades de empregos, a razão foi clara: eles têm medo de que o emprego novo seja pior que o atual, além de um outro fator que é a insegurança. A pesquisa aponta também que 26% dos entrevistados consideram que seria essencial um mentor para se espelhar na carreira e assim ajudar na decisão de mudar de cargo ou área, além de 22% gostariam de ter contato com profissionais com um cargo semelhante para saber a realidade da atividade pretendida.

Se as chances de promoção se renovam, a possibilidade de alcançar aquele cargo de gestão aumentam,  porém, muitas pessoas têm a dificuldade de se comunicar na hora da entrevista de emprego, seja por trauma, nervosismo, timidez ou até mesmo, medo.

“A entrevista de emprego é o momento crucial da vida de muitos profissionais. O nervosismo, falta de preparo e ineficácia na comunicação pode fazer o candidato colocar tudo a perder, pois só temos uma chance de causar uma primeira boa impressão. Use a linguagem não verbal adequada: Desde o momento em que você entra no estabelecimento esteja atento. Mantenha a postura ereta”, alerta a fonoaudióloga Laila Allevato Wajntraub, fundadora do Clube da Fala.

A partir de sugestões de especialistas, preparamos uma lista com 15 dicas para realizar uma transição de carreira com mais eficiência e tranquilidade. Confira!

5 passos para uma transição mais tranquila

Por sua experiência com recolocação no mercado, Renata Motone, coordenadora de RH da Luandre, avalia que a principal motivação para a troca de área é a possibilidade de mais sucesso e aprendizados em uma nova carreira. “Sempre digo que é possível mudar, mas o melhor é se preparar para isso para não cair na alta estatística de desempregados que vemos hoje no país”, afirma. Renata ensina um passo a passo para fazer uma transição mais tranquila e sem sobressaltos financeiros ou emocionais.

1. Pesquise

Há quem viva uma experiência reveladora e saiba exatamente para o que mudar. E também existem os que estão insatisfeitos, mas também perdidos. “Nestes casos, aconselhamos uma boa pesquisa. A pessoa sempre tem uma noção sobre suas preferências pessoais, o que torna mais fácil a busca. Um bom caminho é ir em palestras ou se matricular em workshops e cursos com profissionais da área em que pretende atuar”, diz Motone.

2. Faça uma transição gradual (se for possível)

Em diversos casos, é possível ir aos poucos se desligando da antiga profissão e dando os primeiros passos na nova. São diversos os exemplos: “caso a pessoa queira investir em uma carreira artística que foi pouca explorada, ela pode fazer um curso de teatro à noite ou aos sábados e aos poucos começar a se apresentar. Essa flexibilidade vale para áreas como canto, artes plásticas, etc.”.

3. Trabalhe seu networking

Rever sua rede de contatos e reestruturá-la de acordo com sua nova área de atuação é fundamental para quem pretende se estabelecer em um novo segmento profissional. O Linkedin é um ótimo aliado nesta tarefa, pois reúne em um mesmo lugar diversos profissionais, de várias empresas, permitindo que você apresente seu novo perfil e conecte-se com profissionais que tenham interesses em comum.

4. Seja humilde

Ser humilde não significa ser frágil e sim compreender que ao mudar de área, inevitavelmente, terá muito o que aprender. “Use isso a seu favor e aproveite para absorver tudo o que puder.”.

4. Seja realista

Uma virada na carreira não é algo simples, exige planejamento e condições favoráveis. Seja prudente e avalie o impacto da mudança em sua situação financeira e pessoal. “Mesmo que não tenha como investir numa mudança radical, não desista de seus objetivos, estabeleça metas, prazos e poupe o quanto puder”, aconselha a coordenadora da Luandre.

5 passos para dar uma virada na carreira em 2020

Luciano Salamacha, professor da FGV Management, especialista em gestão e estratégia e autor da metodologia Stakehand, sugere 5 pilares fundamentais para uma virada na carreira: força de vontade, conhecimento, resiliência, disciplina e planejamento. Tudo associado. Ele recomenda 5   atitudes para chegar no seu objetivo:

1-  Explore os seus talentos, não esqueça de valorizar tudo de bom que você tem, que você faz, e o que você é. Tão importante quanto conquistar coisas novas é manter o valor das coisas que já o diferenciam. O autoconhecimento é fundamental.

2.  Livre-se   do   julgamento   sobre  os erros   que   cometeu   no   passado  e  gerencie   a autocrítica, usando os erros como aprendizado. Não se torture mais, dê uma chance a você.

3. Desafie os próprios limites com a obrigação de terminar 2020 sendo ainda melhor. Para isso, é importante ter metas e planejar o autodesenvolvimento. Estudo, mais empenho, mais esforço, mais audácia.

4. Elimine o desperdício da sua vida. Todos os dias, temos à nossa disposição 86,4mil segundos que  serão consumidos. Evite desperdiçá-los com discussões inúteis, com   atividades   sem  significado   ou   relevância  para   sua  vida.   Foque somente  em atividades que agregam valor ou geram resultados.  Estude mais e fique menos nas redes sociais.

5. Crie o hábito de agradecer e comemorar cada conquista, por menor que seja. Em tempos difíceis, o foco na vitória é uma questão de disciplina e precisa ser repetido constantemente para ser incorporado em nossa vida. Faça da gratidão uma marca pessoal.  Envolva as pessoas na torcida pelo seu sucesso. Cada   vez   que comemoramos, nos tornamos mais fortes para enfrentar as dificuldades que vierem depois.

5 dicas para organizar seu planejamento de carreira

A mudança de carreira está se tornando um movimento cada vez mais natural, pois os profissionais estão buscando novos desafios, maior estabilidade, conforto financeiro e mais satisfação. A principal dica para quem está passando por essa fase é se relacionar com profissionais hábeis que possam ampliar sua visão e seu networking. Ter um mentor como guia para ajudar na hora de replanejar a carreira é algo que pode aumentar as chances de sucesso, além de ser um elemento principal quando for buscar uma inspiração.

Com o mercado de trabalho cada vez mais competitivo, os profissionais precisam estar atualizados e a necessidade em se readaptar em outra área pode acontecer. Não existe uma fórmula certeira para se redescobrir, mas o melhor método a seguir é respeitar seus valores, além de ter consciência dos seus talentos. “É necessário honrar suas experiências e valorizar seu conhecimento. O pior caminho é jogar tudo para cima e começar de novo, ignorando toda sua trajetória”, afirma Rebeca Toyama. Confira as dicas dela para organizar seu plano de carreira em 2020:

1- Procure identificar oportunidades nas quais seus conhecimentos e experiências sejam valorizados;

2- Considere que sua carreira passará por várias mudanças além da atual;

3- Não deixe que os modismos te afastem de seu propósito;

4- Humanize sua atuação profissional para não ser trocado por um robô;

5- Analise as possibilidades de forma consciente, na emoção nem sempre fazemos boas escolhas. Lembre-se que qualquer opção trará ônus e bônus.

Dicas para crescer dentro da empresa

Crescer dentro de uma empresa requer uma série de pequenos detalhes. Entre eles estão questões comportamentais, relacionamento com colegas e clientes, ótimo desempenho e excelentes resultados. O desafio, na verdade, é identificar quando se está superando as expectativas da sua liderança.

Alexandre Slivnik, especialista em recursos humanos, diretor da Associação Brasileira de Treinamento e Desenvolvimento (ABTD) e especialista em excelência em atendimento pela Universidade de Harvard, diz que para ter mais chance de alcançar uma boa posição no seu trabalho é importante ter um bom entendimento dos objetivos da organização que atua.

“Além do relacionamento com a equipe e os líderes, é preciso ajudar a empresa a prosperar de todas as maneiras, seja ajudando os colegas em processos mais difíceis, sugerindo mudanças que podem ser positivas e realmente ter ações que se conectem com o propósito da empresa”, aconselha.

No entanto, além da boa vontade e alta produtividade, é essencial buscar a opinião dos chefes para que eles possam apontar qualidades e defeitos que possam ser desenvolvidos e, dessa forma, criar ainda mais oportunidades de subir de cargo ou até mesmo ganhar um aumento.

Slivnik reforça que em uma empresa, o colaborador é parte de uma equipe e por isso, não há como vencer sem que o time todo vença. “E isso serve para todas as profissões e cargos. As pessoas necessitam canalizar suas energias e esforços para o sucesso coletivo. Para isso, é necessário solicitar o feedback dos líderes e até para outros colegas, que podem dizer como o trabalho desempenhado vem contribuindo para o dia a dia do cumprimento das tarefas e metas.  Nós evoluímos quando ouvimos as pessoas que estão ao nosso redor, por essa razão é importantíssimo solicitar opiniões e buscar conversar com as pessoas e não apenas esperar que elas cheguem até você”, aponta Alexandre.

O especialista explica que não existe uma hora certa para fazer isso e pode ser de maneira informal, durante um café ou após uma reunião. “O ideal é ter uma conversa esclarecedora sobre os pontos que podem ser melhorados e também os aspectos em que o colaborador está indo bem”, indica o especialista.

E uma das principais funções do líder, segundo Alexandre, é justamente identificar as forças dos funcionários para que eles possam desenvolvê-las ainda mais para realizar trabalhos excepcionais. Já para o colaborador, é necessário saber ouvir e aplicar as dicas para conseguir boas chances de crescimento dentro em um ambiente corporativo. Ter autonomia é um grande diferencial: executar as tarefas de antemão, sem que seja solicitado é algo notável.

As principais dicas de Slivnik são estar sempre disponível para aprender e encontrar formas de se diferenciar. “Saber quais são os objetivos da empresa em que trabalha, as ações que levam a esses propósitos de maneira mais rápida, e ajudar as pessoas que estão ao  redor para que elas também alcancem esses metas irão colaborar para impulsionar a carreira dentro da empresa e conquistar a tão sonhada promoção”, finaliza. 

Saída pelo empreendedorismo materno

Diante do número de novos empreendedores que vem crescendo ano a ano no Brasil, 61,8% relatam que abriram o próprio negócio por verem novas oportunidades de mercado. No cenário da maternidade, é comum também a busca por ter um negócio próprio a fim de conseguir manter contato direto com seu filho recém-nascido.

“Empreender costuma ser um bom caminho para as mães que optam por estar mais perto de seus filhos, mas independente da escolha: maturidade, equilíbrio, clareza da relevância de seus papéis e saber o limite de cada um deles, são características que precisarão ser desenvolvidas. Existem diversas possibilidades, mas todas demandarão organização e planejamento”, ressalta Rebeca.

Com assessorias

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.