Semana Mundial da Amamentação empodera mães e pais

Agosto Dourado: Vida & Ação inicia uma série de matérias destacando a importância do aleitamento materno para mães e crianças

Redação
O leite materno é, de modo geral, o melhor alimento para o bebê nos primeiros meses de vida. Ele hidrata, nutre, sustenta e ajuda a reduzir em até 20% a mortalidade dos recém-nascidos. A recomendação da Organização Mundial de Saúde (OMS) é que o leite seja o único alimento do bebê até os seis meses de vida e que a criança seja amamentada até os dois anos ou mais.
Segundo a OMS, o aleitamento materno é a maneira ideal de fornecer às crianças os nutrientes que elas necessitam para um desenvolvimento saudável. Por isso, é considerado um dos melhores investimentos para salvar vidas e melhorar a saúde e o desenvolvimento social e econômico de indivíduos e nações.

Para reforçar esta importância, o Brasil participa, mais uma vez, da Semana Mundial de Amamentação 2019 (SMAM), que ocorre na primeira semana de agosto, em mais de 170 países. Este ano a campanha destaca a importância do amparo de toda a rede de apoio (família, amigos, profissionais de saúde, empresários) aos pais, em especial às mulheres que estão amamentando

No Rio de Janeiro, a Secretaria de Estado de Saúde realiza, na manhã desta quarta-feira (7), o XXV Seminário Estadual da Semana Mundial da Amamentação, celebrada na primeira semana de agosto. O evento, que acontece em parceria com o Hospital Federal dos Servidores do Estado e a Aliança Mundial para Ação em Aleitamento Materno (WABA, na sigla em inglês), tem como tema o empoderamento de mães e pais em favor da amamentação e irá reunir profissionais de diferentes cidades, além de representantes da sociedade civil.

O Centro de Referência Nacional de Bancos de Leite Humano (BLH) e o Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz) irão participar da campanha Agosto Dourado que, em 2019, promove a amamentação no Brasil com base no slogan Empoderar mães e pais, favorecer a amamentação: hoje e para o futuro!
O objetivo é conscientizar pais e familiares sobre seu papel no apoio à prática do aleitamento materno, criando um ambiente que permita a mãe manter a amamentação como fonte exclusiva de nutrição nos primeiros seis meses de vida e como fonte complementar até os dois anos de idade. A campanha será realizada no mesmo mês em que é celebrada a Semana Mundial do Aleitamento Materno (SMAM),
A SMAM é promovida anualmente pela Aliança Mundial para Ação em Aleitamento Materno (Waba, na sigla em inglês), a OMS e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef) em mais de 170 países.

Políticas inclusivas para aleitamento materno

A  gerente do Banco de Leite Humano (BLH) do IFF/Fiocruz, Danielle Aparecida da Silva, fala sobre a importância das políticas públicas inclusivas no empoderamento para incentivar a amamentação. “Atualmente, o Brasil conta com políticas inclusivas na área de aleitamento humano, para além da licença-maternidade e a licença-paternidade.
Desde 2008, o Programa Empresa Cidadã estende tal licença em até seis meses, período indicado pela OMS para o aleitamento materno exclusivo, mas, infelizmente, este projeto ainda não alcançou 100% das empresas em nosso país”, comentou.
“Outras políticas que favorecem a amamentação, como a Iniciativa Hospital Amigo da Criança (IHAC), os Bancos de Leite Humano (BLHs), a Unidade Básica Amiga da Amamentação (Iubam), a Rede Amamenta e Alimenta, e Mulher Trabalhadora que Amamenta permitem que a informação e os locais de apoio estejam próximos à mãe e às suas famílias, a fim de facilitar que a amamentação ocorra da forma exclusiva recomendada”.
Integrante do Comitê de Aleitamento Materno do IFF/Fiocruz, Aricele Ferreira dos Santos destaca que toda mãe que está amamentando precisa contar com uma rede de apoio. “Antes, o foco era dar toda a informação para a mãe, mas hoje sabemos da importância de envolver as famílias; o pai precisa saber dos limites que a mulher pode ter, por exemplo, o quanto o estresse influencia nos hormônios e na produção e descida do leite. A rede de apoio da mãe deve ter ciência que essa mãe pode ser envolvida por uma série de sentimentos, como achar que não vai dar conta de alimentar seu filho somente com o seu leite”, comentou.
“Por isso a importância desta rede de apoio, que deve oferecer conforto e segurança. O apoio vem através do companheiro, da família, dos vizinhos, dos colegas de trabalho e dos profissionais da saúde envolvidos, fazendo com que a mãe saiba a quem pode recorrer para tirar dúvidas, ser orientada e apoiada. Ela pode contar com a Atenção Básica e o Banco de Leite Humano para se empoderar e se sentir confiante para amamentar”.
Aricele Ferreira acrescentou que duas coisas são fundamentais para incentivar o aleitamento materno: informação e apoio. “Só a informação não é suficiente. A rede próxima à mãe deve apoiá-la e se colocar no lugar dela. Sempre é apresentado que amamentar é uma questão fisiológica, que a mulher vai colocar o bebê no peito e tudo vai transcorrer naturalmente, mas nem sempre assim. São vários fatores que contribuem para o sucesso da amamentação, e o principal é que a mulher se sinta confiante, apoiada e capaz de amamentar”, explicou.

 

Sala de amamentação na SES

Mulheres que trabalham na sede Secretaria de Estado de Saúde que voltam da licença maternidade podem, durante a jornada de trabalho, retirar seu leite, conservá-lo no freezer e levá-lo para casa no final de expediente. A sala, além de atender uma recomendação do Ministério da Saúde, garante mais conforto e tranquilidade às mães na volta ao serviço.

Apesar da recomendação do Ministério, o Brasil ainda conta com poucos ambientes de apoio à mulher trabalhadora que amamenta. As salas são espaços no próprio local de trabalho onde as mulheres que voltam da licença maternidade podem alimentar seus filhos.

Doação de potes de leite materno no Rio

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta lança nesta quarta-feira (31), em Brasília, a campanha anual de incentivo à amamentação. Na ocasião, o ministro também anunciará a habilitação de 39 unidades hospitalares como Hospital Amigo da Criança, para qualificar ainda mais a atenção à saúde da gestante e do bebê no país.

No Rio de Janeiro, até o dia 4 de agosto, a Secretaria de Estado de Saúde participa da Mega Gestante e Bebê, no Riocentro, na Barra da Tijuca, com um ponto de coleta de potes para doação de leite materno.  Durante o evento, também haverá a exposição digital “Maternidade”, do fotógrafo Radilson Gomes.

Onde doar leite materno no Rio

Na rede estadual de Saúde, é possível doar leite materno através de dois bancos de leite, no Hospital da Mulher Heloneida Studart, em São João de Meriti, e no Hospital Estadual Adão Pereira Nunes, em Duque de Caxias. Mulheres saudáveis que amamentam e não tomam medicamentos que interfiram na amamentação e na doação podem ser doadoras de leite materno.

O leite das pacientes internadas é coletado na própria unidade com a ajuda de uma equipe multidisciplinar que atende as lactantes. Já as mulheres que doam em casa, a coleta é feita sob orientação do hospital. Não existe quantidade mínima para ser doada e a mulher pode realizar o procedimento quantas vezes quiser na fase de amamentação. Cada litro leite pode beneficiar até 10 bebês internados.

Saiba mais sobre amamentação e leite materno

shorturl.at/vACH9

Conheça os bancos de leite pelo estado

http://bit.ly/BancoDeLeiteRJ

Segunda-feira (5/8): 
– Evento sobre Empoderar para favorecer a Amamentação
Horário: 8h às 13h
Local: Auditório A do IFF/Fiocruz
Endereço: Av. Rui Barbosa 716, Flamengo (RJ);
– Sala de Aleitamento Materno no Shopping Via Parque com várias atividades da SMAM e do Agosto Dourado
Horário: 10h às 17h
Endereço: Av. Ayrton Sena 3000, Barra da Tijuca (RJ);
– Roda de Conversa com famílias da Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) Neonatal do IFF/Fiocruz, com o tema Empoderando mães e pais para fortalecer a Amamentação
Horário: 14h
Local: Banco de Leite Humano do Instituto Fernandes Figueira
Endereço: Av. Rui Barbosa 716, Flamengo (RJ);
Terça-feira (6/7): 
– Sala de Aleitamento Materno no Shopping Via Parque com várias atividades da SMAM e do Agosto Dourado
Horário: 10h às 17h
Endereço: Av. Ayrton Sena 3000, Barra da Tijuca (RJ);
Quarta-feira (7/8):
– Palestra sobre Empoderar para favorecer a Amamentação, na Secretaria de Estado de Saúde (SES)
Horário: 9h às 13h
Endereço: Rua México, 128 – Auditório 10º andar, Centro (RJ);
– Sala de Aleitamento Materno no Shopping Via Parque com várias atividades da SMAM e do Agosto Dourado
Horário: 10h às 17h
Endereço: Av. Ayrton Sena 3000, Barra da Tijuca (RJ);
Quinta-feira (8/8):
– Sala de Aleitamento Materno no Shopping Via Parque com várias atividades da SMAM e do Agosto Dourado
Horário: 10h às 17h
Endereço: Av. Ayrton Sena 3000, Barra da Tijuca (RJ);
– Roda de Conversa sobre Empoderar para favorecer a Amamentação,
Horário: 14h
Local: Petrobras, somente para servidoras, Centro (RJ);
Sexta-feira (9/8):
– Sala de Aleitamento Materno no Shopping Via Parque com várias atividades da SMAM e do Agosto Dourado
Horário: 10h às 17h
Endereço: Av. Ayrton Sena 3000, Barra da Tijuca (RJ);
Segunda-feira (19/8):
– Roda de Conversa com mães doadoras: Empoderar para favorecer a Amamentação
Horário: 14h
Local: Banco de Leite Humano do Instituto Fernandes Figueira
Endereço: Av. Rui Barbosa 716, Flamengo (RJ);
Sábado (31/8):
– Roda de Conversa sobre Empoderar para favorecer a Amamentação
Horário: 10h às 12h
Local: Loja Abracadabra do Shopping Rio Sul (RJ).
Para mais informações, acesse o site da Rede Global de Bancos de Leite Humano.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.