62% das mulheres relatam não ter tempo para malhação

Pesquisa de plataforma de treinos online revela que 62% das mães consideram insuficiente o tempo dedicado para o autocuidado

Mãe de três filhas aos 25 anos, Vitória Cristina tinha uma rotina sedentária, além de dificuldade de emagrecer com saúde. Após a segunda gestação, ela chegou aos 95kg e, a partir desse momento, decidiu mudar a rotina. “Em 2020 e decidi começar a minha transformação pessoal. Não tinha com quem deixar minhas crianças para me dedicar aos treinos fora de casa, então a opção da plataforma foi ótima”, conta.

A porta de entrada foi uma plataforma de exercícios rápidos que podia praticar sem sair de casa. “Na época, os 15 minutos de treino cabiam na minha realidade e isso me motivava a treinar todos os dias da semana”, relembra. Após dois anos de dedicação e com a conquista dos 65kg, Vitória recuperou a autoestima.

“Tenho mais saúde e tenho mais disposição para acompanhar o dia a dia das minhas filhas. Hoje eu consigo levá-las para a escola ao parquinho para brincar, consigo estar presente e ter disposição para fazer parte da vida delas. Depois da minha transformação, eu me sinto totalmente rejuvenescida”, comemora.

A mudança de hábitos vivenciada na maternidade, especialmente nos primeiros meses de vida do bebê, é um desafio para as mulheres atualmente e tem impacto direto nas práticas de autocuidado. Pesquisa da plataforma de treinos online Queima Diária revela que 62% das mães consideram insuficiente o tempo dedicado para o autocuidado e 38% têm se esforçado para colocar a prática como prioridade.

Em relação à carreira, equilibrar a maternidade com a vida profissional pesa em alguma medida para 80% das mães pesquisadas, sendo “bastante pesado” para 56,5%, pois são elas as únicas que ficam com a maior parte das responsabilidades de cuidar dos filhos e da administração do lar.

O levantamento da Queima Diária ouviu 1.453 mulheres inscritas na plataforma no período de 25 a 27 de abril. Dos tipos de autocuidado que as mães consideram mais importantes, 90% delas relacionam ao aspecto físico, como descansar, realizar atividade física e seguir uma dieta saudável.

Das que responderam à pesquisa, 57% adotam práticas ligadas ao campo espiritual, como meditar, praticar o silêncio, orar, estudar e ler. Controle do estresse, terapia e apoio psicológico vêm em seguida, com 56% das mães considerando as práticas fundamentais para a manutenção do autocuidado.

Gabriela Cangussú, treinadora do programa Mamãe Sarada na plataforma Queima Diária, treino dedicado exclusivamente para as mães, explica os benefícios da prática de atividade física para o corpo e para a mente.

“A relação com o próprio corpo durante e após a maternidade se aprofunda, especialmente quando é relacionada com a mudança física que a maternidade traz, e isso tem consequência direta na autoestima, por exemplo. Trazer atividade física para a rotina em algum momento, mesmo que em poucos minutos por dia, vai ajudando essa mãe a desenvolver melhorando a flacidez, flexibilidade, alívio do estresse, ou seja, trazendo mais qualidade de vida para a nova rotina”, explica.

Em relação à rotina fitness, 41% do público pesquisado afirma treinar duas ou três vezes por semana e 36,5% colocam diariamente na rotina um momento dedicado à prática de atividade física. Inclusive, treinos rápidos, de até 25 minutos em média, são preferenciais para 38,4% das mães.

Na Queima Diária, programas com metodologias Hiit e Tabata, por exemplo, são opções e de treinos rápidos e intensos para queimar calorias. Quando o assunto é a perda de peso, 33% das mulheres pesquisadas preferem atividades que estimulam o sistema cardiorrespiratório, ótimos para esse objetivo.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais