A cada hora, 5 crianças são vítimas de violência sexual

Prefeitura do Rio faz campanha junto a taxistas no Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Contra Crianças e Adolescentes

Os números são assustadores e vergonhosos. Dados de 2021 levantados pela Unicef em parceria com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), com base em casos registrados em boletim de ocorrência, mostram que a cada hora, cinco crianças e adolescentes são vítimas de violência sexual no Brasil.

De acordo com estudos feitos pelo Conselho Municipal dos Direitos das Crianças e Adolescentes (CMDCA-Rio), no Estado do Rio a taxa de vitimização (índice das tentativas e dos atos consumados) por estupro ou estupro de vulnerável de crianças e adolescentes de zero a 19 anos foi de 58,6% em 2017 e de 83,4% em 2020.

Os pesquisadores desse fenômeno estimam que para cada caso registrado, ao menos outros nove foram não integram as estatísticas por inúmeros motivos. É um fenômeno complexo que abarca dois espectros mais específicos: o abuso e a exploração sexual – e atinge vítimas de todas as idades e classes sociais.

O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Contra Crianças e Adolescentes, nesta quarta-feira (18/5), começou com a adesão da rede HotéisRio, que reúne 120 estabelecimentos, e da rede Táxi.Rio, que conta com 1,2 milhões de usuários, à campanha da Secretaria Municipal de Assistência Social (SMAS) e do CMDCA.

Material de conscientização foi disponibilizado no hotel Rio Othon, em Copacabana, pelos secretários municipais de Assistência Social, Maria Domingas, e de Turismo, Antonio Mariano. A distribuição do material seguiu ao longo da manhã no Novotel Barra, Grande Mercure Cipa, Hilton Copa Arosa, Rio Hotel Lapa, Pompeu Rio Hotel e Gamboa Rio Hotel.

No final da manhã, em frente à sede da Prefeitura, na Cidade Nova, 25 veículos da rede Táxi.Rio foram adesivados com a taxi door (adesivos perfurados) da campanha, e 1,2 milhão de mensagens distribuídas para os usuários do serviço.

Táxis ganharam adesivos em prol da campanha da Secretaria de Assistência Social – Fabio Costa

Os eventos continuaram com a estreia dos curtas-metragens “Sapucaí” e “Te Vi na TV”, realizados no lançamento da campanha, há um mês, no Carnaval. Cem crianças e adolescentes que vivem em abrigos da Prefeitura assistira, aos filmes no Teatro Miguel Falabella, no Norte Shopping. No fim do dia, cineastas mirins do abrigo Paulo Freire subiram o Cristo Redentor para, aos seus pés, estender a faixa de dez metros da campanha. À noite, o Cristo será iluminado na cor símbolo do Maio Laranja.

Adolescentes da URS (Unidade de Reinserção Social) Paulo Freire fizeram os curtas-metragens no Sambódromo. Eles integram o time do Inclui Rio, projeto da SMAS que forma cineastas e outros especialistas em artes cinematográficas que vivem ou viveram em abrigos da Prefeitura, em parceria com a ABC Cursos de Cinema e a RioFilme. O coordenador desse projeto é o cineasta Pedro Dannemann. Nesta quinta-feira (19/5), os curtas também serão disponibilizados na plataforma digital do projeto: https://linktr.ee/mostraincluirio.

“Hoje é um dia super simbólico para a Assistência Social. Iniciamos essa campanha no Carnaval, e temos uma série de atividades até 12 de junho, Dia Nacional de Combate ao Trabalho Infantil. Agradecemos a essas parcerias, tanto a rede hoteleira, sinônimo de alegria, quanto aos taxistas, que têm potencial multiplicador, pois sabemos que nossa cidade não está livre da exploração infantil”, afirmou Maria Domingas, secretária municipal de Assistência Social.

“Hoje é um dia de luta e um marco para a proteção das crianças e adolescentes – completou Carlos Laudelino, presidente do CMDCA-Rio. “Estamos juntos, sempre damos prioridade às ações sociais na hotelaria. E Copacabana é porta de entrada para o turismo nacional”, disse o gerente do Othon, Jorge Chaves. “Queremos envolver os taxistas em várias campanhas”, completou o gestor do Taxi.Rio, Kley Pontes.

“Proteger nossas crianças e adolescentes é uma responsabilidade de toda a sociedade. Essas situações têm que ser denunciadas. A Assistência Social tem uma rede de CREAS, CRAS, CMDCA e conselhos tutelares, para encaminhar os casos e oferecer os cuidados necessários”, disse Maria Domingas.

Com Assessorias

 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais