A pandemia não acabou: atenção à ‘regras de ouro’ nos cemitérios

No Dia de Finados, químicos alertam para a importância de se manter o distanciamento social

O feriado do Dia de Finados, 2 de novembro, é um momento delicado para o controle da Covid-19. O Conselho Federal de Química (CFQ) alerta a população para que sejam mantidos os cuidados, uma vez que a pandemia não acabou (é hora de redobrar a atenção). Para evitar a propagação do vírus, as medidas sanitárias precisam ser mantidas e seguidas.

O CFQ informa que trabalha, desde o início da pandemia, para combater a desinformação e orientar a população sobre as medidas eficazes de prevenção, como lavar sempre as mãos com água e sabonete, escolher corretamente o álcool em gel, saber utilizar a água sanitária para desinfecção de objetos e superfícies, e manter o distanciamento social.

A aglomeração de pessoas em cemitérios e reuniões religiosas pode gerar surtos de infectados, assim como a reabertura de muitas atividades comerciais e a necessidade de convivência social”, adverte a entidade.

Para evitar aglomerações, as tradicionais programações com celebrações religiosas nos cemitérios foram suspensas. O Cemitério Parque da Colina em Niterói, por exemplo, descentralizou sua estrutura pelas quadras para evitar aglomerações, com barreiras sanitárias na entrada e pontos de apoio espalhados para orientação aos visitantes. O

A fim de manter a segurança e o bem-estar de todos, diante da pandemia do novo coronavírus, o acesso dos visitantes que quiserem ir até o espaço só poderá ser feito com uso de máscara. Na entrada, haverá também medição de temperatura, além da disponibilização de álcool em gel, seguindo as orientações das autoridades sanitárias.

Roberto Toledo, diretor de Necrópoles e Sustentabilidade do Grupo Zelo, reforça a importância de as necrópoles serem ambiente de acolhimento e memória, especialmente neste momento. “As necrópoles guardam a história do seu povo. Nenhum fato relevante da história aconteceu sem a presença daqueles que um dia partiram. Manter viva a história das pessoas é um meio de assegurar a sua importância, mesmo após a partida e, ao mesmo tempo, fortalecer a nossa história”, analisa.

Chama da Esperança ficará acesa até a descoberta da vacina

A presidente da Fiocruz, Nísia Trindade, e o pesquisador Fábio Russomano, recebem nesta segunda (2), no Crematório e Cemitério da Penitência (RJ), a Chama da Esperança, batizada pelo Cardeal Orani Tempesta, que reza a primeira missa do dia e acende a pira, que só será apagada com a descoberta da vacina da Covid-19.  

Uma célula da Chama da Esperança será entregue a presidente e ao cientista da Fiocruz. Dom Orani vai plantar um Jequitibá-Açu, árvore-símbolo do Rio, em ato de proteção ao meio ambiente, e batizar o Jardim In Memoriam, primeiro crematório ao ar livre do Rio e segundo do Brasil. Revoada de 200 balões, live com o poeta Fabrício Carpinejar e a maior Homenagem de Velas do Mundo estão na programação.

Por conta da pandemia, as missas e o evento serão ao ar livre, com transmissão pelas redes sociais do Crematório e Cemitério da Penitência.  

Medidas para evitar a propagação do vírus

O CFQ listou conteúdos úteis para ajudar a população:

#1 Use máscara e não esqueça de higienizar corretamente quando voltar para casa. Confira o vídeo do CFQ ensinando o processo.

#2 Higienize as mãos com água e sabão e/ou com álcool em gel. Confira os vídeos que o CFQ preparou sobre o tema.

A maneira correta de usar o álcool gel

O que observar no rótulo do produto

Saiba qual álcool usar

#3 Confira os vídeos (animações) em que explicamos passo a passo da aplicação da solução diluída de água sanitária.

Solução caseira para prevenir que o novo coronavírus chegue em sua casa

Como higienizar alimentos e suas embalagens?

#4 Não utilize túneis/cabines de desinfecção. Não há garantia de que esses equipamentos sejam um método que realmente funcione, o que pode gerar uma falsa sensação de segurança, ou seja, a pessoa passar pelo túnel, achar que está protegida e relaxar nos demais cuidados.

Além disso, as substâncias usadas nos túneis/cabines podem causar irritação na pele, olhos e mucosas, além de alergias e problemas respiratórios. Fique alerta!

Leia a nota conjunta do Sistema CFQ/CRQs e ABIPLA sobre o tema

Com Assessorias

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais