Adolescência transtornada: como eles encaram seus próprios desafios mentais

Livro traz histórias de adolescentes atletas que sofrem com ansiedade e TOC

Dramas da adolescência favorecem desenvolvimento de transtornos mentais (Foto meramente ilustrativa: Banco de Imagens)

Os adolescentes atravessam uma longa fase de profundas mudanças internas e externas relacionadas ao próprio corpo, à identidade, à inserção na sociedade, ao estudo e à futura trajetória profissional. Crescem as pressões individuais, da família, dos amigos e da sociedade por escolhas e performance.

Não são raros casos de bullying, na escola e nas mídias sociais. Depressão, ansiedade e outros transtornos psíquicos se tornam mais frequentes. Segundo relatório recém-divulgado pela OMS, o suicídio é a segunda causa de morte entre jovens de 15 a 29 anos no mundo. De 2011 a 2016, foram quase 4.900 mortes de jovens de 10 a 19 anos no Brasil.

No Setembro Amarelo, mês dedicado a tratar da saúde mental e do suicídio, Ler Faz Bem destaca 10 mil voltas ao meu mundo, uma aventura que leva o leitor a pensar sobre a adolescência, as descobertas do mundo e de si mesmos, e a complexidade dos conflitos e aventuras de cada dia. O livro junta dois jovens, a escola, o esporte, as angústias da adolescência. O enredo seria bastante normal se os protagonistas não tivessem outra coisa em comum: problemas de saúde mental.

Júlia é uma exímia nadadora. Puxou o pai, o campeão brasileiro Juliano Varejão, que, além de ser o maior incentivador da menina, é também seu treinador, o que o leva a tomar uma postura rígida no cotidiano da garota. Já Gustavo faz parte do time de basquete da escola, o Quinteto Fantástico

Apesar do talento para os esportes dos dois jovens, eles precisam aprender a lidar com suas emoções. Júlia tem Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG) e Gustavo sofre de Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC). Eles se aproximam durante um Clube de Leitura e uma prova com o tema “Ansiedade: a doença do século” vai ajudá-los a descobrir seus distúrbios.

O livro é escrito por Severino Rodrigues, lançado pela Editora do Brasil, conta com ilustrações de Zaire. A publicação faz parte da série Cabeça Jovem, que traz à tona os temas que afetam o cotidiano dos jovens, como relacionamentos, conflitos, ansiedade, transtornos e tecnologia.

Leia mais:

Geração tarja preta: quando a adolescência é controlada a pílulas

Sobre Severino Rodrigues

Severino Rodrigues é mestre em Letras pela UFPE, professor de Língua Portuguesa no IFPE e escritor de Literatura Juvenil. Sua inspiração para escrever vem de seu contato diário com os adolescentes e suas memórias. Severino considera de extrema importância abordar temas como a saúde mental dos jovens com cuidado, seriedade e respeito.

Sobre Zaire

Zaire é a fusão de um duo de ilustradores que encontraram, a quatro mãos, uma maneira distinta de traduzir e desenvolver suas criações. Ilustrar o 10 mil voltas ao meu mundo foi um desafio, já que além de tratar de temas tão incompreendidos entre os jovens e adultos, os levou a relembrar como é difícil essa fase de escolhas nas nossas vidas e como, para algumas pessoas, essas questões podem se agravar se não houver conhecimento, compreensão e diálogo.

Ficha Técnica

10 mil voltas ao meu mundo
Autor: Severino Rodrigues
Ilustração: Zaire
Número de páginas: 136
Preço: R$ 54,20

Livro infantojuvenil homenageia atleta cadeirante com doença rara

A história de Ramon de Freitas, primeiro jogador de Power Soccer (futebol em cadeira de rodas motorizada) da América Latina, foi transformada em livro infantojuvenil, de autoria de Fernanda Batista e Patrícia Vigário. Publicado pela Construtores de Memórias, ‘Gol de Rodas’ será lançado no dia 7 de setembro, Dia Mundial de Conscientização para Distrofia Muscular de Duchenne (DMD), uma doença neuromuscular grave que afeta em torno de 60 mil brasileiros, a maioria meninos.

Aos 2 anos, Ramon de Freitas ganhou a primeira bola. Com ela nasceu o destino: ser craque. O assunto preferido passou a ser futebol, o esporte ocupou seu pensamento e as paredes do quarto com cartazes do Flamengo e do grande ídolo, Zico. O caminho traçado para ele era um só: respirar futebol, virar atleta e conquistar títulos.

Mas, aos 7 anos, Ramon foi diagnosticado com DMD, doença genética neuromuscular rara e incurável, herdada de mãe para filho. Aos 14, após muitas recusas, foi para cadeira de rodas. Aos 20, entrou em depressão. Seu sonho escapou. Ou foi o que pareceu, até que Ramon descobriu o Power Soccer, futebol em cadeiras de rodas.

O entusiasmo foi repentino, Ramon não teve dúvidas em se entregar ao esporte que acabaria por ressignificar sua vida. Alimentou-se uma vez mais de propósitos, fez novos amigos e passou a encarar sua doença com mais leveza. Ramon se tornou o primeiro jogador de Power Soccer da América Latina, em 2011.

Não demorou para surgir o primeiro time e uma técnica. Aprenderam juntos as regras durante os treinos. Pioneirismos na história de Ramon: tricampeão nacional, vencedor da Libertadores. Inspirados no time de Ramon, o Novo Ser, foram criadas quatro equipes no país (Rio de Janeiro, São Paulo, Ceará e Curitiba), dez na Argentina e seis no Uruguai. Sem contar que a batalha para que o Power Soccer vire modalidade Paraolímpica nunca foi tão acirrada.

Não é exagero falar que Ramon de Freitas é um herói do cotidiano, desses que traçam trajetórias extraordinárias e impactam positivamente muitas outras pessoas, um símbolo de luta para o Brasil, uma biografia que todos deveriam conhecer. Ramon faleceu em 2016, aos 25 anos, um ano após conquistar a Libertadores. Por sua dedicação ao esporte, no ano seguinte o troféu do torneio internacional foi batizado com seu nome: Ramon de Freitas, o craque da cadeira de rodas motorizada.

Mais sobre o lançamento do livro

Com patrocínio da Sarepta Farmacêutica, Casa Hunter e apoio da Febraras e APN, o livro “O Gol de Rodas” será lançado numa live no canal da Casa Hunter, no YouTube , às 18h. A data celebra o mediador da live será Bernardo Borges, jornalista que convive com a DMD, as autoras Fernanda Batista, fisioterapeuta respiratória dos atletas do Novo Ser, Patrícia Vigário, pesquisadora em Ciências da Reabilitação, Rosana Castor, técnica do time, e Liliana e Alberto de Freitas, pais de Ramon.

Na divulgação do projeto estará o Edu, personagem da Turma da Mônica, que é portador de DMD. Edu foi criado numa parceria entre a Sarepta e a Mauricio de Sousa Produções, no projeto editorial “Cada Passo Importa”. A iniciativa pretende popularizar informações sobre a patologia e fortalecer a campanha para o diagnóstico precoce, imprescindível para a longevidade e qualidade de vida dos pacientes.

Em um primeiro momento, as vendas serão pelo site http://www.ogolderodas.com.br, que traz como ferramenta de acessibilidade uma versão em audiobook, que pode ser acessada em QR Code pela primeira página do livro impresso. O preço da unidade será R﹩ 24,90 e os lucros serão revertidos para o time de Power Soccer Novo Ser.

Com assessorias

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais