Agenda Positiva destaca alimentação saudável no Museu do Amanhã

Confira ainda movimento pela reabertura de maternidade pública na Ilha, feira Vida Liberta na Barra, palestra sobre dependência química no Centro e exposição dos 70 anos do AA

Redação

DIA 11

Reabertura da maternidade pública da Ilha em debate

Como o fechamento da única maternidade púbica há cinco anos no bairro, as mulheres grávidas que moram na Ilha do Governador correm risco de vida com seus bebês e passam por grande sofrimento já que a única via de acesso e saída – a Estrada do Galeão – encontra-se congestionada de veículos por várias horas do dia, o que dificulta o deslocamento delas com segurança na hora do parto. Há diversos relatos de mulheres grávidas que passaram mal, tiveram complicações e até de mortes neste deslocamento até a maternidade Maria Amélia Buarque de Hollanda, localizada no Centro.

O problema será debatido neste sábado (11), a partir das 10h, na faculdade Estácio de Sá na Iha. Vão participar representantes da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), Ministério Público Estadual, Fórum Insulano, representantes de comunidades e movimentos sociais. Estima-se que ocorrem mais de 2 (dois) mil partos por ano na Ilha do Governador. Há cinco anos, porém, desde que a Prefeitura do Rio desativou a maternidade pública que funcionava há décadas no Hospital Municipal Paulino Werneck, não nasce uma criança insulana. Há ainda uma média de 4.065 mulheres que fazem anualmente exames Pré-natal na área da AP 3.1 (Área de Planejamento). Como agravante a Zona Norte não dispõe sequer de uma maternidade privada.

Dados oficiais destacam que é elevado o número de morte de mulheres grávidas nos últimos três anos: em 2016, 62 mulheres morreram no parto em hospitais públicos e privados. Em 2017, foram registrados 28 óbitos até maio/2017 (Secretaria Municipal de Saúde). O maior número de casos de morbidade materna ocorre nas Zonas Norte e Oeste do município. A Organização Mundial da Saúde (OMS) preconiza 35 óbitos por 100 mil nascidos vivos como número aceitável.

ATÉ DIA 12

Feira Vida Liberta de volta ao Downtown

Conhecido por ser o primeiro shopping a céu aberto do Rio de Janeiro e pensando na sustentabilidade e no bem-estar do carioca, o Shopping Downtown recebe mais uma edição da feira Vida Liberta. Nos dias 10, 11 e 12 de agosto, das 13h às 21h, a praça central do condomínio irá receber uma série de expositores e atividades gratuitas para comemorar o Dia dos Pais.

A proposta do evento é aproveitar o clima ameno do inverno com uma celebração diurna com shows, opções de gastronomia saudável, cervejas artesanais, moda e acessórios, cosméticos naturais (sem teste em animais), arte e artesanato.

As ações de conscientização estão presentes em todas as atividades da feira, sempre com muita diversão. Todos os resíduos gerados no evento serão enviados para reciclagem e para compostagem. A preocupação estará presente em todos os momentos da produção: serão utilizados somente copos retornáveis e quem desejar levar seu prato e talheres será muito bem-vindo.

A programação inclui shows de jazz, terapias holísticas, aulas de yoga e meditação coletiva, aula de cross training, flash tattoo, palestras sobre alimentação e saúde, feira de adoção de animais e espaço para crianças.

O evento é aberto a pessoas de todas as idades e também é pet-friendly. Haverá feira de adoção de filhotes (em média são realizadas 10 adoções por evento) e espaço para recepção de alimentos e agasalhos que serão doados para o projeto Arrastão de Luz, dedicado aos moradores de rua.

Junto com as atividades, 25 expositores vão mostrar opções de presentes que não agridem o meio ambiente e servir gastronomia inclusiva, vegana, orgânica, sem glúten, sem lactose, cervejas artesanais e kombucha, o refrigerante do bem, por até R$ 25.

DIA 13

Alimentação saudável na pauta do Museu do Amanhã

Alimentar-se bem é uma questão de saúde pública. Para debater os desafios relacionados à criação de políticas públicas que garantam o combate a fome no país, o acesso a alimentos ricos em nutrientes e a promoção de hábitos alimentares saudáveis, a Plataforma 2018: Brasil do Amanhã abordará o tema alimentação. O evento será realizado na próxima segunda-feira (13/8), no auditório do Museu do Amanhã, a partir das 18h. As inscrições podem ser feitas no site e são gratuitas.

Para falar sobre a necessidade de uma alimentação saudável ser prioridade no desenho de políticas públicas, a organização convidou a Bela Gil, orientadora alimentar e apresentadora de TV, para compor a mesa. Paulo Pianez, diretor de Sustentabilidade e Responsabilidade Social do Carrefour, também estará presente para tratar das dificuldades de acesso e distribuição de alimentos em larga escala. Daniela Leite, idealizadora do Comida Invisível, abordará o desperdício de alimentos. Eduardo Mansur, diretor de Água e Solos da FAO, representará José Graziano, diretor-geral da ONU para Alimentação e Agricultura. A mediação será da Leila Sterenberg, jornalista e apresentadora da GloboNews.

Intencionalmente organizada a um ano das eleições majoritárias, a Plataforma 2018: Brasil do Amanhã se propõe a desenvolver temas de interesse nacional, com o objetivo de aprimorar o nível de informação, mobilização e engajamento social. O próximo encontro será sobre florestas e está marcado para o dia 17/9. Até as vésperas das eleições, será organizada uma série de eventos visando comunicar de forma eficiente, inclusiva e apartidária os desafios e os compromissos necessários para a construção de um país melhor. Os próximos temas serão: energia; gestão pública; economia circular e novos modelos; respeito e representatividade da diversidade; educação. Os eventos são transmitidos via streaming pelo site do Canal Futura.

Acompanhe a Plataforma 2018: Brasil do Amanhã no site www.brasildoamanha.org.br.

DIAS 17 E 18

Dependência química e suicídio em pauta

A Jornada ABP Sudeste de Psiquiatria acontece nos dias 17 e 18 de agosto, na Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro – Rua Santa Luzia, 206, reunindo dezenas de psiquiatras da região e de todo o país, com organização da Associação Brasileira de Psiquiatria e Associação Psiquiátrica do Estado do Rio de Janeiro. Entre os temas escolhidos para a programação do evento, estão debates sobre dependência química, psicogeriatria, prevenção ao suicídio, psiquiatria forense, esquizofrenia e muitos outros.

Já está confirmada a presença de alguns palestrantes, como o Dr. Valentim Gentil Filho, que fará uma das conferências de abertura sobre “Efeitos adversos da canábis: prevenção primária é difícil, curar pode ser impossível”. A segunda, será proferida pelo Dr. Antônio Geraldo da Silva, com o tema “Quando o corpo reclama do que a mente não suporta mais”. O psiquiatra Jorge Jaber, especializado em dependência química em Harvard, fala sobre ‘Emergências no Uso de Drogas’ no dia 18. Na mesa com ele, estarão: Analice Gigliotti, falando sobre Legalização de Maconha e  Claudio Martins, sobre Tratamento e Clínica de Pacientes com Patologia Dual Grave.

Informações: aperj@abp.org.br

ATÉ DIA 18

Exposição sobre os 70 anos do AA no Brasil

A exposição itinerante “Alcoólicos Anônimos – 70 anos no Brasil” na estação Carioca do MetrôRio mostra por meio de fotos e textos a trajetória do AA desde os primórdios, nos Estados Unidos, até a chegada ao Rio de Janeiro. A exposição poderá ser visitada na Carioca até o dia 18 de agosto. A mostra já passou pelas estações São Conrado e Siqueira Campos do metrô e por quatro estações da Supervia, além da rodoviária Novo Rio e do aeroporto Santos Dumont.

Irmandade mundial que congrega grupos de homens e de mulheres dependentes do álcool, o AA está no Brasil desde 1947. Os membros do Alcoólicos Anônimos se propõem a compartilhar livremente as experiências, com o propósito de permanecer sóbrios e ajudar outros dependentes químicos a alcançar a sobriedade. Para fazer parte da Irmandade, o único requisito sugerido é ter o desejo de parar de beber.

Da Redação, com Assessorias

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.