Agora é lei: Rio cria o selo “Bicho a Salvo” de proteção aos animais

Nova lei dos canudos beneficia comerciantes; Ambev seleciona 50 ONGs para apoiar. Veja outros destaques do nosso roteiro de Boas Ações da semana

Redação
cobaia

Agora é pra valer! Será conferido o selo “Bicho a Salvo” a todas as empresas e instituições do Estado do Rio que não utilizem animais em experimentos científicos de qualquer natureza. É o que estabelece a Lei nº 8288/19, que foi sancionada pelo governador Wilson Witzel (PSL) e publicada no Diário Oficial do Executivo na última terça-feira (15).

No entanto, foram vetados os artigos 2º e 5º que previam a intervenção e competência da Secretaria de Desenvolvimento Econômico para o cadastro, análise e avaliação das empresas. Ambos os dispositivos seriam inconstitucionais, uma vez que estariam interferindo na organização e funcionamento da administração pública.

Segundo o deputado Rosenverg Reis (MDB), autor da nova norma, “trata-se de um mecanismo de incentivo para que empresas e institutos busquem outros métodos e formas de pesquisa científica, os quais não façam uso de animais em testes de medicamentos e outras substâncias químicas. O selo “Bicho a Salvo” está em perfeita consonância com os preceitos constitucionais, ao incentivar formas de pesquisa menos nocivas a vida animal em nosso estado”, ressalta.

Nova lei dos canudos passa a valer no Rio

canudos plásticos proibidos no Rio

Uma nova Lei dos Canudos foi aprovada na última semana, revogando a anterior. A lei nº 6.458 foi promulgada em 8 de janeiro e trouxe mudanças. Agora, bares e restaurantes terão 120 dias para que se adequem, sendo permitido o uso de qualquer material nesse período; após esse prazo, será permitido o uso de qualquer material biodegradável e/ou reciclável, com exceção do plástico; e as multas que foram aplicadas até esta data foram anuladas.

As alterações foram definidas após pressão do Sindicato de Bares e Restaurantes do Rio de Janeiro (SindRio), que viu os estabelecimentos serem diretamente prejudicados com a falta de tempo hábil para adaptação.

A nova lei mantém o compromisso com a defesa do meio ambiente, um ponto que também foi priorizado pelo SindRio. A lei atual trata com responsabilidade e razoabilidade a migração para o novo modelo, com destaque para o prazo de adaptação e tipos de materiais, respeitando as características econômicas e sociais da nossa cidade”, destaca o presidente do sindicato, Fernando Blower.

Oficinas de graça para mais de 700 crianças em comunidades

O ano letivo está começando e, com ele, a preocupação sobre o que fazer com as crianças no contraturno escolar. Uma opção é o projeto Favela Mundo, que atende crianças e adolescentes da Cidade de Deus e da Rocinha. O projeto retoma, no dia 11 de fevereiro, as oficinas de jazz, hip-hop, balé baby, teatro, musicalização e violão.

As inscrições podem ser feitas entre 10h e 16h, nos polos da Favela Mundo de Rocinha e Cidade de Deus. Os únicos pré-requisitos para a inscrição são ter até 18 anos e estar estudando.

O Projeto Favela Mundo conta com patrocínio da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro e Secretaria Municipal de Cultura, LAMSA e MetrôRio, empresas do grupo Invepar, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura – Lei do ISS e apoio do Instituto Invepar.

Fundada em setembro de 2010, a Favela Mundo passou por 11 comunidades e beneficiou mais de 5 mil crianças e jovens. A ONG tem em seu currículo o reconhecimento de “Modelo de Inclusão Social nas Grandes Cidades”, concedido pela ONU.

Alemão ganha novo campo de futebol

campo de futebol no alemão

A Bimbo Brasil, empresa especializada em panificados, inaugurou o Campo de Futebol da Comunidade da Galinha, localizado no Complexo do Alemão, Rio de Janeiro. O espaço, que até então estava inutilizado pelo acúmulo de lixo e entulho, foi reformado com o objetivo de incentivar a prática de esportes pelas pessoas que vivem na região. Neste projeto, aproximadamente 70.000 pessoas serão beneficiadas.

O programa detecta as necessidades nas comunidades nas quais o grupo está presente para desenvolver e implementar projetos em benefício dos vizinhos da Bimbo. Desde 2012, data de início do programa, foram realizadas 586 iniciativas em todo o mundo para ajudar as comunidades que estão ao redor dos centros de trabalho da empresa. Os projetos incluem a melhoria da infraestrutura, remodelagem e restauração de espaços públicos e privados e reparos, entre outros.

Reciclagem solidária beneficia 10 entidades na Serra

A campanha Anel de Solidariedade já contabiliza 116 cadeiras de rodas entregues desde quando começou, em 2012 em Petrópolis, na Região Serrana do Rio. Mais 17 foram doadas para dez entidades do município. A ação consiste na arrecadação de 140 garrafas PETs de dois litros cheias de anéis de latas (equivalente a 90 quilos do alumínio) para a troca por uma cadeira, no projeto de extensão universitária da Faculdade de Medicina de Petrópolis (FMP/Fase).

As entidades beneficiadas nos últimos dias foram a Associação Petropolitana dos Pacientes Oncológicos, Lions Clube Quitandinha, Igreja Luterana, Sesi, Associação Pró-deficientes, Biomob – Soluções Inovadoras para Acessibilidade, Hospital Clínico de Corrêas e três das Unidades de Saúde da Família geridas pela FMP/Fase. O projeto, que já arrecadou mais de dez toneladas de lacres, conta com diversos parceiros, como a empresa Keter, que doa as cadeiras em troca dos anéis, a Luna Express, que faz o transporte do alumínio, além do Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), entre outras instituições que contribuem recolhendo os anéis.

A iniciativa possibilita que pessoas carentes, com dificuldades de locomoção, possam ter seus direitos de ir e vir assegurados, intensificando as questões de acessibilidade e inclusão.

Os interessados em contribuir podem entregar o material no Centro Cultural da FMP/Fase, na Av. Barão do Rio Branco, 1003, Centro. Outras informações podem ser obtidas no site  www.fmpfase.edu.br/aneldesolidariedade.

Banco de provas de motores aeronáuticos recebe 2 mil árvores

A GE Celma, unidade de aviação da GE no Brasil, acaba de dar mais um importante passo para transformar o seu novo empreendimento de testes de motores aeronáuticos, localizado em Três Rios (RJ), em um “Banco de Provas Verde”.  A empresa investiu no plantio de mais de 2 mil árvores, em uma área de 8 mil m², que faz parte do terreno da recém-inaugurada célula de testes – considerada uma das maiores e mais modernas do mundo e capaz de revisar uma média de 700 motores por ano.

A região ganhou espécies de recobrimento e de diversidade, incluindo árvores Jacarandá-da- Bahia, ameaçada de extinção. “O plantio teve início em dezembro de 2017 e a altura das árvores já chega a três metros de altura. Realizamos monitoramentos mensais e atividades de manutenções, conforme a necessidade de cada área”, explica Marcelo Geraldo, líder do projeto. O plantio fez parte do Projeto Executivo de Reposição Florestal da Secretaria Municipal de Agricultura e Meio Ambiente da Prefeitura de Três Rios.

Além do novo verde do entorno, o Banco de Provas – inaugurado em outubro de 2018 – foi planejado para o aproveitamento da água da chuva para uso nos banheiros. E também para a utilização da energia solar para o aquecimento da água dos vestiários. A iluminação do prédio é 100% LED e conta com isolamento térmico, como forma de reduzir o consumo de condicionamento de ar. Possui, ainda, estação própria de tratamento de esgoto.

NO BRASIL

ONGs vão receber mentoria para melhorar sua gestão

O VOA, programa criado pela Cervejaria Ambev para ajudar ONGs a administrarem melhor seus processos, orçamentos e também a gerenciar pessoas e carreiras, abre hoje (17) o edital para a inscrição na edição desse ano. A companhia irá selecionar mais 50 organizações de todo o País para receberem mentoria dos funcionários da cervejaria, que se voluntariam para contribuir com conhecimentos sobre sua área de especialidade.

As ONGs selecionadas serão divulgadas no final do mês de março. No total, o programa espera impactar cerca de 200 organizações ao longo de 2019, considerando o acompanhamento das ONGs de 2018 e as novas que serão selecionadas.

Em 2018, em sua primeira edição, a procura foi grande, com mais de 2 mil organizações interessadas pelo programa. Com isso, a cervejaria decidiu por ampliá-lo, selecionando ao total 185 ONGs no Brasil. O programa está em linha com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável 1, 4, 8 e 17 da ONU, que buscam um mundo mais inclusivo e sustentável.

A companhia compartilhou um total de 12 mil horas de trabalho voluntário com as ONGs participantes do VOA 2018, com participação ativa de quase 200 funcionários voluntários, incluindo o presidente Bernardo Paiva, que se voluntariaram para doar tempo e conhecimento para as organizações sociais que participaram do programa.

Durante cerca de seis meses, as ONGs participaram de aulas sobre gestão de orçamento, gerenciamento de projetos, elaboração de metas, planos de carreira e, ao final, elaboraram um projeto de conclusão. Isso as ajudou a impactarem socialmente cerca de 2 milhões de pessoas.

Ao longo de 2018, a dedicação dos funcionários ao VOA foi equivalente a cerca de R$ 12 milhões em consultoria, considerando a remuneração média de um consultor no mercado. Para participar, a ONG deve se inscrever pelo site www.programavoa.prosas.com.br até o dia 17/02. No final de março, serão anunciadas as escolhidas.

Da Redação, com Assessorias

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.