Alergia alimentar na escola, como lidar?

Projeto em escolas é destaque na Agenda Positiva da semana. Live sobre hepatite C com Dráuzio Varella e palestra sobre dor crônica são outras atividades

Redação
Alimentos que mais causam alergias alimentares (Reprodução da internet)

Muitas famílias não deixam as crianças participarem de festinhas de aniversário ou até frequentarem a escola por medo de a criança sair do ambiente controlado e ser exposta a alimentos que causam alergias. Para ajudar essas famílias, a Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI lança um projeto para conscientizar e oferecer capacitação das escolas públicas e privadas sobre a questão da alergia alimentar. A  iniciativa tem parceria com a Danone Nutricia, divisão de nutrição especializada da Danone, e a OAK, empresa da área de educação e cultura.

Durante o primeiro encontro, dia 9 de novembro, que terá como tema “Alergias alimentares no ambiente escolar”, estarão em pauta os cuidados essenciais com a criança com alergia alimentar, o que fazer em casos de reações alérgicas graves, como evitar o bullying e garantir a inclusão social. Especialistas das áreas de Alergia, Nutrição, Psicologia e Fonoaudiologia, juntamente com os profissionais das escolas e famílias de crianças com alergia alimentar vão iniciar um projeto piloto, que deve ser lançado no primeiro semestre de 2020.

No Brasil não há estatísticas oficiais, mas a projeção internacional é de que cerca de 8% das crianças, com até dois anos de idade, e 2% dos adultos têm algum tipo de alergia alimentar. Segundo o ESPGHAN (Sociedade Europeia de Gastroenterologia, Hepatologia e Nutrologia Pediátrica), 50% das crianças permanecem alérgicas acima de 1 ano de idade, 25% até 3 anos e 10% acima de 6 anos. Além disso, crianças alérgicas têm déficit de peso, são 1,5cm mais baixas e têm um aumento de 4,6% de risco de fraturas, comparadas com aquelas não alérgicas.

Hepatite C é tema de Live com Dr. Drauzio Varella

Acontece na próxima terça-feira, dia 12 de novembro, às 14 horas, uma Live pelo Youtube sobre hepatite C. A conversa será liderada pelo Dr. Drauzio Varella em conjunto com o hepatologista Edison Parise. Os especialistas vão falar essa epidemia silenciosa que atualmente atinge mais de 700 mil pessoas no Brasil, suas formas de tratamento e também sobre o Plano de Eliminação – estratégia da Organização Mundial da Saúde que visa à eliminação da Hepatite C até 2030, assinada pelo Ministério da Saúde do Brasil.

O público poderá interagir ao vivo e fazer perguntas sobre o assunto. Para assistir, basta entrar no Canal Drauzio Varella , na terça-feira (12), às 14 horas. A iniciativa tem apoio do site Hepatite C Fala com Você (http://www.hepatitecfalacomvoce.com.br), da Gilead Sciences, biofarmacêutica global que tem a Hepatite C como uma de suas principais áreas terapêuticas de pesquisa e desenvolvimento, e traz informações sobre a doença e importância do diagnóstico precoce.

Palestra gratuita sobre dor crônica no Rio

Dor crônica é aquela que persiste por várias semanas (acima de três meses, segundo a literatura médica). No Brasil, afeta perto de 60 milhões de pessoas, ou 37% da população, de acordo com um estudo da Sociedade Brasileira de Estudos da Dor e da Universidade Federal de Santa Catarina, divulgado em setembro de 2018. Em pessoas mais velhas, ela costuma ser ainda mais dolorosa por limitar atividades do seu dia a dia.

“A dor crônica se torna um gatilho para depressão. O idoso fica com medo de se movimentar e, com isso, deixa de ir à casa dos netos, à hidroginástica. Fica longe do convívio social porque está sempre com dor, o que causa uma amargura psíquica. Perde o interesse por coisas que antes costumava fazer habitualmente e com facilidade”, afirma o geriatra Thiago Bicalho.

Dor crônica não pode ser sinônimo de tomar muitos medicamentos. Em palestra dia 9 no  auditório do Hospital Pasteur, no Méier, a partir de 9h30,  o especialista vai mostrar que é possível superar a dor crônica com uma visão mais integral do problema, que envolve atividades físicas, alimentação equilibrada e um apoio multidisciplinar com participação do fisioterapeuta, do nutricionista, do médico e do educador físico. A palestra faz parte do programa Atenção Total ao Idoso, realizado pelo hospital. A entrada é gratuita e as inscrições podem ser feitas pelos telefones (21) 2104-4402 e 2104-3853.

Avanços científicos na saúde em debate em Petrópolis (RJ)

Os avanços científicos e as alternativas para a melhoria da saúde da população estarão em debate no simpósio “A Academia na Serra II”, nos dias 8 e 9 de novembro, na Faculdade de Medicina de Petrópolis (FMP/Fase). Estarão presentes profissionais como o neurocirurgião Paulo Niemeyer Filho, a pesquisadora e infectologista Miriam Tendler e o especialista em poluição atmosférica Paulo Saldiva. O evento tem entrada franca, com programação das 8h às 18h, no primeiro dia, e das 8h às 12h30, no segundo.

O encontro, que reunirá médicos do país na serra fluminense, é uma parceria da instituição de ensino com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e a Academia Nacional de Medicina (ANM). A palestra de abertura abordará “A informação e o conhecimento”, com Cláudio Tadeu Daniel-Ribeiro, da Fiocruz e da ANM, que é ex-aluno da faculdade. Também estarão em pauta temas como direito à saúde, humanização no atendimento, conquistas da vacinação e desafios na atualidade, geriatria ocular, mortalidade materna, neurocirurgia, transplantes de face, autópsia minimamente invasiva e perspectivas no câncer de mama.

Residentes e alunos da FMP/Fase também participarão do simpósio através das ligas acadêmicas da instituição, que é parceira da Universidade de Oxford na área de pesquisa da Medicina Baseada em Evidências. Programação, inscrições e outras informações podem ser acessadas no site www.academianaserra.org.

Bioética hospitalar: a autonomia no final da vida

Nos dias 8 e 9 de novembro, o Comitê de Bioética do Hospital Alemão Oswaldo Cruz promove o VI Simpósio de Bioética Hospitalar. O evento, gratuito e aberto ao público em geral, terá o Pré-Simpósio no dia 8, apresentando o filme “Como eu era antes de você” para discussão sobre a dimensão do sofrimento e respeito à autonomia da vida e morte.

Serão diversas palestras e debates ministrados por profissionais especializados do Hospital e convidados, para explorar as reflexões sobre autonomia no final da vida. No dia principal do evento, participam a presidente do Comitê, Janice Caron Nazareth; o superintendente de Inovação, Pesquisa e Educação, Kenneth Almeida; o diretor clínico do Hospital, Marcelo Oliveira e o superintendente médico, Antonio da Silva Bastos Neto.

SAÚDE PÚBLICA

Um dia de herói em hospitais do Estado do Rio

Pacientes mirins do Hemorio recebem aventais de bombeiros (Foto: Mauricio Bazilio / SES)

Pacientes das alas de Pediatria dos hospitais Adão Pereira Nunes (Duque de Caxias), Carlos Chagas (Marechal Hermes), Alberto Torres (São Gonçalo) e Getúlio Vargas (Penha) receberão brinquedos e aventais hospitalares personalizados com a estampa do uniforme do Corpo de Bombeiros. A campanha ‘Um dia de herói’ tem como objetivo investir na humanização da rede hospitalar estadual do Rio de Janeiro.

A ação começou no dia 30 de outubro, no Hospital Estadual da Criança (HEC).  Na última quinta-feira (7), foi a vez de pacientes do Hemorio. Os brinquedos foram arrecadados durante os últimos dois meses em iniciativa da Secretaria de Estado de Saúde, com apoio de outras 17 secretarias e órgãos do estado, que serviram como ponto de coleta.

Campanha de rádio sobre prevenção da sífilis

Estudantes universitários das áreas de comunicação e de saúde, de todo Brasil, poderão contribuir para o desenvolvimento de ações estratégicas para a redução da sífilis no país. O Ministério da Saúde, em parceria com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas/OMS), lançou edital para comunicação da prevenção da doença para divulgação nos meios de radiodifusão do país. Os estudantes devem se inscrever, individualmente ou em grupo de no máximo 10 pessoas, até o dia 31 de dezembro de 2019, por meio de formulário. Saiba mais em saúde.gov.br

Hospitais Universitários recebem R$ 79,5 milhões

Hospitais universitários de 22 estados e do Distrito Federal contarão com recurso extra de R$ 79,5 milhões da terceira e última parcela anual, disponibilizada pelo Ministério da Saúde para melhoria dos atendimentos de saúde e para a reestruturação dos seus serviços. Ao todo, R$ 238,6 milhões foram repassados ao longo de 2019 para 48 hospitais universitários de todo o país. O recurso pode ser usado para auxiliar no funcionamento dos serviços de ensino (consultas, cirurgias e internações), comprar materiais médico-hospitalares como anestésicos, seringas e medicamentos, ou ainda em atividades vinculadas ao ensino, como pesquisa e extensão. Veja mais em saúde.gov.br.

Eventos técnicos

Treinamento em hospitais para diagnóstico da AME

Instituto Nacional da Atrofia Muscular Espinhal (INAME) inicia em novembro o Projeto INAME nos Hospitais. O objetivo é capacitar a classe médica e profissionais da área da saúde com treinamento prático e intensivo em hospitais que atendem pacientes diagnosticados com a maior causa genética de morte de bebês e crianças de até dois anos de idade, a atrofia muscular espinhal (AME). O público alvo são equipes multidisciplinares formadas por pediatras dos prontos-socorros, equipes médicas e de fisioterapia das unidades de terapia intensiva, profissionais das áreas médicas de neurologia, pneumologia, ortopedia e anestesiologia que atuam nas instituições, assim como as chefias das equipes de enfermagem.

Hospitais de todo o Brasil podem receber a iniciativa. A expectativa é ajudar a desenvolver centros de referência fora do eixo Rio de Janeiro – São Paulo – Belo Horizonte e aumentar o número de profissionais capacitados em todas as áreas de cuidado que envolvem essa doença rara. A cidade de São Luís (MA) será a primeira beneficiada, entre 8 e 9 de novembro profissionais dos Hospitais Odorico de Amaral Matos, Hospital Universitário Unidade Materno Infantil e Hospital Infantil Dr. Juvêncio Mattos participarão da capacitação.

No primeiro dia de treinamento haverá palestras com o objetivo de possibilitar aos profissionais o diagnóstico precoce da doença e de levar informação científica atualizada sobre o tratamento multidisciplinar e cuidados ao paciente, visando a alta hospitalar e a oportunidade de maior expectativa e qualidade de vida ao paciente. O segundo dia será voltado para a apresentação de casos clínicos e avaliação dos pacientes, orientando as equipes que os atendem.  O Projeto INAME nos Hospitais tem as farmacêuticas Biogen e Novartis entre seus principais apoiadores.

Curso prepara profissionais para atuar em desastres

Profissionais de todo o país das áreas da saúde, assistência social e defesa civil participam de curso para treinamento das ações focadas na saúde mental em casos de desastres, como o que ocorreu em Brumadinho (MG) e Mariana (MG), por exemplo. O curso Internacional de Atualização em Saúde Mental e Atenção Psicossocial em Desastres está sendo ofertado pelo Instituto Oswaldo Cruz (Fiocruz), em Brasília, a pedido do Ministério da Saúde.

A capacitação desses profissionais vai possibilitar uma atuação estratégica em saúde mental nos casos que necessitem de uma ação do Sistema Único de Saúde (SUS). Desta forma, a rede de assistência à população estará ainda mais preparada para lidar com aumento de casos de depressão, ansiedade e até tentativas de suicídio, comuns após um evento de grande impacto, como epidemias, enchentes, desmoronamentos, entre outros. Leia mais em saúde.gov.br.

Com Assessorias

 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.