App conecta voluntários e pacientes de câncer

Aplicativo sem fins lucrativos criado por paciente de câncer e sua mulher permite solicitar caronas e acompanhamentos em procedimentos médicos

O aplicativo surgiu a partir da experiencia com Mercuri. que precisou ficar internado para tratar um câncer (Foto: Divulgação)

Há dois anos, Mercuri foi diagnosticado com um tipo raro de câncer chamado GIST. Ele e sua mulher, a artista multicultural Haikaa Yamamoto, então, passaram a a vivenciar o dia a dia do tratamento oncológico, ela como cuidadora e ele como paciente. No hospital, testemunharam situações muito duras vividas por outros pacientes e seus familiares, cuidadores ou acompanhantes.

Apenas no ano de 2018, eu calculo ter passado mais de 130 horas na sala de espera de um único procedimento ao qual ele era submetido, o que nos fez experimentar e presenciar inúmeros desafios vividos por pacientes e seus cuidadores. Desafios que vão muito além dos efeitos colaterais da química ou do sofrimento físico causado pela doença”, conta Haikaa ao ViDA & Ação.

Com base em suas próprias experiências e por meio de conversas e pesquisas com outros pacientes, cuidadores, profissionais da área médica, TI e terceiro setor no Brasil, Japão, Alemanha e Estados Unidos, os dois identificaram dois grandes obstáculos para a realização dos tratamentos médicos: a falta de carona e falta de acompanhante.

Foi então que eles decidiram usar sua experiência em projetos humanitários globais – como ‘Work of Art Global Project’ e ‘Hello Mahalo’, que tratam de diversidade e inclusão – para contribuir de alguma maneira. E assim criaram o ‘Hey Amigo’, aplicativo sem fins lucrativos que conecta pacientes de oncologia/reabilitação com voluntários que possam prestar auxílio de forma segura e gratuita.

Em sua versão 1.0, será possível solicitar caronas e acompanhamentos em procedimentos médicos.

O trabalho de desenvolvimento durou dois anos de trabalho voluntário e reuniu Haikaa e Mercuri os desenvolvedores Seiji Himoro e Danilo Salvador, além do médico Leandro Iuamoto.

O acesso universal à saúde – presente nas metas do Objetivo de Desenvolvimento Sustentável #3 da ONU – depende tanto da complexa disponibilização dos serviços de saúde quanto da capacidade de cada paciente em chegar a sua unidade de tratamento. Em tratamentos de longa duração, o segundo ponto é sempre um grande desafio e, muitas vezes, o motivo para que o paciente interrompa o tratamento”, explica Haikaa (foto).

Veja o depoimento de Haikaa ao ViDA & Ação

“Conhecemos um senhor de 70 e poucos anos que vinha sozinho de ônibus de Mairiporã ao hospital e levava aproximadamente duas horas para ir e duas horas para voltar, para a realização de 20 sessões de radioterapia. Conversei com o filho dele, que me contou que os pais eram separados. Ele era filho único e, portanto, também o único da família que era economicamente ativo e que não poderia arriscar perder o emprego para acompanhar o pai.

Um outro caso foi de um jovem casal, ela era paciente e ele o acompanhante. Porém, eles tinham duas filhas, de 4 e 2 anos, que também não tinham com quem ficar. Portanto a única opção que restou a esse casal foi de levar as crianças para o hospital. Um dia, a mais nova teve uma simples dor de barriga e se sujou inteira. E esse pai, aos prantos, tentava limpar e acalmar a filha.

Devido à falta de acompanhante, soubemos de  pacientes que chegam a pagar viciados em crack que vivem na região do hospital para acompanhá-los. Diante dessas e outras tantas situações, decidimos colaborar de alguma forma e assim nasceu a ideia do aplicativo ‘Hey Amigo’.

Após dois anos de trabalho voluntário, a plataforma acaba de ser lançada. Estamos conversando com hospitais públicos e privados. Esperamos poder contar com muitos hospitais e grupos de voluntários até o final do ano para possibilitar que mais pacientes possam chegar às suas unidades de saúde para realização de tratamento”.

COMO FUNCIONA

O ‘Hey Amigo’ é uma ferramenta digital de humanização que contribui para o acesso universal a saúde, auxiliando o paciente de maneira direta e efetiva a realizar seu tratamento de longa duração. A implementação da plataforma consiste em três etapas:

1) instituições interessadas recebem acesso ao site administrativo e passam a divulgar o App internamente para seus membros;

2) membros interessados (pacientes e voluntários) baixam o App e preenchem seus cadastros;

3) as instituições recebem, conferem e aprovam os cadastros pelo site administrativo e liberam o uso do aplicativo.

A plataforma foi estruturada priorizando a segurança. O App não é aberto ao público em geral e conta com três ferramentas: site administrativo, um App para pacientes e outro App para voluntários, ambos disponíveis no Google Play e App Store. O site administrativo é utilizado pelas instituições – Hospitais e ONGs – para aprovação de cadastros,  monitoramento das assistências e conexão entre as partes.  Os Apps serão utilizados por pacientes e voluntários para efetuar cadastro, solicitar e prestar assistências.

Haikaa com os desenvolvedores do app (Reprodução do Facebook)

Engajamento de hospitais e ONGs

O ‘Hey Amigo’ atua na promoção do engajamento de instituições (Hospitais e ONGs) e indivíduos (pacientes e voluntários) para que juntos possam contribuir para o acesso universal a saúde. Já existem diversos grupos de voluntários e acompanhantes que se revezam e oferecem auxílio aos pacientes na forma de carona. No entanto, a atuação desses grupos geralmente se concentra em torno de uma única instituição hospitalar, fica restrita geograficamente e limitada à disponibilidade de recursos para financiar os enormes custos de transporte.

A plataforma traz uma proposta inovadora e inédita, pois permite que o crescimento da base de voluntariado, embora gradual e orgânico, seja, teoricamente, infinito. Por meio do app, voluntários e acompanhantes poderão visualizar as solicitações de pacientes no mapa, o que permite a conexão com aqueles que estão mais próximos.

De acordo com os desenvolvedores, o app beneficia todas as partes envolvidas de maneiras distintas. O paciente recebe auxílio direto na realização do tratamento, além de poder desfrutar de um aumento na conexão social. Por sua vez, o voluntário conta com uma ferramenta tecnológica que possibilita a prática do micro voluntariado – fazer a diferença com o menor investimento de tempo possível.

As ONGs podem se beneficiar de um aumento do impacto social da organização devido a um maior número de ações realizadas. Por fim, hospitais têm a possibilidade de maximizar seus recursos com o aumento da taxa de comparecimento dos pacientes e da possibilidade de maior eficácia dos tratamentos.

Mais em  https://heyamigo.app/pt-br/ (site), https://www.facebook.com/heyamigo/(Facebook) e https://www.instagram.com/heyamigoapp/ (Instagram).

 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais