Bebê de apenas 7 meses é nova vítima da Covid-19

Caso foi registrado em São Paulo, epicentro da pandemia no país. Foram registrados 58.509 casos neste sábado. Número de mortes aumentou 9,4%

Redação

Um bebê de sete meses com comorbidades é a mais jovem vítima da Covid-19 em São Paulo, epicentro dos casos da pandemia no Brasil. O estado registrou mais 155 mortes apenas no sábado (25 de abril). Já há pelo menos um óbito em 128 municípios, ou seja, em uma a cada cinco cidades. É o primeiro óbito em criança com menos de um ano de idade.

Em todo o país, o número chegou a 58.509 casos confirmados de contaminação por coronavírus, segundo o Ministério da Saúde. Nas últimas 24 horas, entraram nas estatísticas 5.514 pessoas infectadas, um aumento de 7,1% e relação ao dia 24, quando foram registrados 52.995 casos confirmados.  O número de mortes subiu para 4.016, com 346 novos óbitos de ontem para hoje, um incremento de 9,4%. Outras 1.312 mortes estão em investigação. Até o momento, são 29.160 recuperados, o que equivale a 50%, e outros 25.333 estão em acompanhamento, o equivalente a 43%.

O Estado de São Paulo concentra o maior número de óbitos (1.667), seguido pelo Rio de Janeiro (615), Pernambuco (381), Ceará (310) e Amazonas (287). tem 20.004 casos confirmados em 285 municípios, número que representa 44% do território estadual. A concentração na capital é de aproximadamente 65% dos casos e 66% das mortes, percentual que vem caindo à medida que ocorre o avanço da doença para interior, litoral e Grande São Paulo, que já somam 568 óbitos e 6906 casos.

Nas últimas 24 horas, mil novos pacientes foram internados, chegando a 7,4 mil suspeitos e confirmados em hospitais de SP, sendo 2.906 em UTI e 4.546 em enfermaria. A taxa de ocupação dos leitos para atendimentos Covid em UTI no Estado de São Paulo está em 58,9%. É maior na Grande São Paulo, onde é de 77,3% neste sábado.

Perfil da mortalidade

Entre os que morreram, estão 974 homens e 693 mulheres. Os óbitos continuam concentrados em pacientes com 60 anos ou mais, totalizando 75,4% das mortes. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde, observando faixas etárias subdividas a cada dez anos, nota-se  que a mortalidade é maior entre 70 e 79 anos (425 do total), seguida por 60-69 anos (375) e 80-89 (330). Também morreram 127 pessoas com mais de 90 anos.

Fora desse grupo de idosos, há também alta mortalidade entre pessoas de 50 a 59 anos (211 do total), seguida pelas faixas de 40 a 49 (120), 30 a 39 (60), 20 a 29 (14) e 10 a 19 (4), e um com menos de dez anos.

Os principais fatores de risco associados à mortalidade são cardiopatia (59,8% dos óbitos), diabetes mellitus (43,5%), pneumopatia (12,4%), doença renal (12,3%) e doença neurológica (11%). Outros fatores identificados são imunodepressão, obesidade, asma e doenças hematológica e hepática. Os fatores de risco foram identificados em 1.394 pessoas que morreram por covid-19 (83,6% do total).

A relação de casos e óbitos confirmados por cidade pode ser consultada no site do governo.

270 óbitos em investigação no Estado do Rio

Com a confirmação de mais 45 mortes neste sábado (25), o número de vítimas fatais da Covid-19 no Estado do Rio chegou a 615. O total de casos confirmados subiu para 6.828, segundo o boletim da Secretaria de Estado de Saúde (SES). Outros 279 óbitos estão em investigação.

Ao todo, 73 dos 92 municípios do estado têm casos registrados da doença causada pelo novo coronavírus. Os óbitos ocorreram em 41 cidades. Pelos dados mais atuais do Painel Coronavírus da SES, atualizado na noite, do total de pacientes com covid-19 no estado, 2.702 já se recuperaram.

No Brasil, foram registradas mortes no Maranhão (100), Pará (86), Bahia (70), Paraná (69), Minas Gerais (58), Paraíba (46), Espírito Santo (47), Santa Catarina (42), Rio Grande do Norte (38), Rio Grande do Sul (31), Alagoas (29), Distrito Federal (26), Goiás (25), Amapá (19), Piauí (17), Acre (11), Sergipe (nove), Mato Grosso (nove), Mato Grosso do Sul (sete), Rondônia (sete), Roraima (três) e Tocantins (duas).

Com Agência Brasil, SES-RJ e Ministério da Saúde