Bebida em excesso leva pessoas a emergência no Sambódromo

Em duas noites de desfiles, 514 pessoas foram atendidas em 7 postos médicos e 26 precisaram ser removidas para hospitais. Veja outros motivos

Carnaval é tempo de se divertir, mas muita gente exagera e acaba colocando a saúde em risco. As principais causas que levam as pessoas a precisarem de assistência médica nos postos montados na Avenida Marquês de Sapucaí são mal estar devido ao esforço do desfile ou à ingestão de bebidas alcóolicas em excesso, hipertensão, entorses/luxações, cortes e traumas diversos.

Nos sete postos médicos montados na Passarela do Samba, foram 514 atendimentos médicos prestados e 26 transferências de pacientes realizadas para unidades de saúde do município nas duas noite da Série Ouro Ao todo, 22 unidades da rede municipal de urgência e emergência atuam como retaguarda para receber pacientes com quadros mais graves removidos da Marquês de Sapucaí. A Central Municipal de Regulação coordena as transferências.

As ações são realizadas também no Terreirão do Samba e nas áreas públicas do entorno onde há comércio ambulante. Nesta segunda noite da Série Ouro foram 81 inspeções sanitárias, com quatro autos de infração expedidos, totalizando, até o momento, 10 multas sanitárias aplicadas por não adequação às normas.

A estrutura de atendimento da SMS-Rio no Sambódromo conta com sete postos, totalizando 32 leitos, sendo oito de suporte avançado. Em cada dia do evento são 26 médicos, 18 enfermeiros e 27 técnicos de enfermagem de plantão para atender integrantes das escolas, público ou trabalhadores que precisarem.

Para os pacientes com quadros mais graves, há 16 ambulâncias com suporte avançado (UTI móvel) para fazer as transferências, coordenadas pela Central Municipal de Regulação, para hospitais ou UPAs da rede.

Os postos médicos da SMS-Rio estão localizados nos setores 1 (concentração), 2, 7, 8, 10 (Rua Salvador de Sá), 11 e Apoteose (dispersão) da Marquês de Sapucaí e funcionam até o fim da apresentação da última escola, Império Serrano.

A SMS-Rio também garante a adequação sanitária dos alimentos comercializados e dos serviços prestados e realizando ações de orientação e promoção da saúde. Órgão da SMS-Rio, o Instituto Municipal de Vigilância Sanitária (IVISA-Rio) atua com 65 servidores dedicados às fiscalizações sanitárias, não só nos estabelecimentos e serviços voltados ao preparo de alimentos, mas também referentes a questões de saúde e de engenharia.

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais