Campanha para doação de frascos para banco de leite humano de Niterói

Ação vai acontecer neste sábado (4) durante o já tradicional grande mamaço realizado pelo São Francisco Hospital e Maternidade no Campo de São Bento, em Icaraí

banco de leite humano Banco de leite humano: alternativa para mães que não conseguem amamentar (Foto: ONU Brasil)

Para marcar a Semana Mundial de Aleitamento Materno celebrada de 1º a 7 de agosto em diversos países, o São Francisco Hospital e Maternidade (SFHM), em Niterói, lança neste sábado (4) a campanha de doação de frascos de vidro para o Banco de Leite Humano do Hospital Universitário Antônio Pedro (Huap). A ação vai acontecer durante o já tradicional grande mamaço realizado pelo SFHM no Campo de São Bento, em Icaraí, das 9 às 13h. As atividades fazem parte da programação especial gratuita “Falando Sobre Aleitamento Materno”, promovida desde 2014 pelo hospital em adesão ao movimento instituído pela Organização Mundial de Saúde em 1992 e adotado no Brasil em 1999.

Com foco no aspecto nutricional do leite materno, a programação deste ano tem como tema “A Amamentação é a Base da Vida”, começa às 9h e segue até o início da tarde do dia 4, no palco instalado no Campo de São Bento, em uma área preparada para acomodar mães com seus bebês, papais, vovós e até gestantes. Além do mamaço e da campanha, uma equipe de médicos, nutricionistas, fonoaudiólogos, enfermeiras e técnicos de enfermagem dos dois hospitais se revezarão em orientações e palestras para conscientizar a população sobre a importância da amamentação.

Entre os palestrantes estão a enfermeira obstetra Francisleine Pace, especialista em aleitamento materno e mestre em saúde da mulher, a enfermeira neonatologista Adriane Proba, gerente de Enfermagem, e a técnica de enfermagem Jaqueline Soares, da equipe da Sala de Extração de Leite. Elas são profissionais do corpo técnico do SFHM, único da rede privada de Niterói a oferecer atendimento praticamente exclusivo no segmento.

– Este ano nosso foco é o aspecto nutricional do leite materno, que contribui para a redução da mortalidade infantil. Mas vamos incentivar não só a amamentação como a doação, o que nos fez decidir pela campanha dos frascos. Cada litro de leite doado atende até dez bebês internados, e o São Francisco vem contribuindo mensalmente com dez vidros cheios de leite para o Banco de Leite do Huap. Somente nos seis primeiros meses desse ano, conseguimos beneficiar 300 bebês. Mas ainda é pouco, queremos mais – adianta a enfermeira Adriane Proba, destacando que o hospital é pioneiro na doação “Frascos de Vida”, que exige o armazenamento do leite humano ordenhado em recipiente próprio, como os de vidro com tampa plástica, similares aos de café solúvel e maionese.

Ações para manter o estoque que abastece sete municípios

Além de ações voltadas à autoestima da mãe e à saúde da mulher e do bebê, o parceiro Banco de Leite do Huap conta com salas de apoio à amamentação em Niterói, Maricá, São Gonçalo e Rio Bonito, abastecendo unidades desses e de mais três municípios que integram a Região Metropolitana 2: Itaboraí, Tanguá e Silva Jardim. Para atender a todas essas cidades, o Banco vem investindo em campanhas de doação de leite e de frascos de vidro com tampa plástica, preferencialmente do termo resistente e no tamanho de 250 a 400ml. Essas frentes contribuem significativamente para manter em estoque a quantidade para alimentar os pequenos internados na UTI Neonatal do Huap.

Dados do aleitamento no Brasil – Entre 2016 e 2018, o banco do Huap recebeu cerca de 990 litros de leite de doadoras cadastradas e das salas de apoio à amamentação, sendo que dese total, quase 300 litros já pasteurizados foram consumidos por bebês da UTI Neonatal do próprio hospital. Já no Banco de Leite Humano do Brasil, somente em 2017, a coleta foi de 212 mil litros em todo o país, com benefícios para 198 mil bebês prematuros. No mesmo ano, a Região Sudeste – que tem 95 bancos de leite materno e 78 postos de coleta – assistiu 43.245 recém-nascidos prematuros com doações de 57.802 mulheres. Só no estado do Rio, foram cerca de 7 mil litros coletados para a distribuição de cerca de 3.500 litros de leite humano. São dados que comprovam a importância do aleitamento materno, mas mesmo expressivo, esse número não chega a 60% do público que se destina.

Quem pode doar – Há mulheres que amamentam produzem um volume de leite além da necessidade do bebê, o que possibilita serem doadoras de um banco de leite humano. Além de apresentar excesso de leite, a doadora deve ser saudável, não usar medicamentos que impeçam a doação e se dispor a ordenhar e a doar o excedente a um banco de leite humano.

Curso de Gestantes – A maternidade oferece um novo mundo de experiências e aprendizados, além de mudar a rotina diária das mulheres. Para ajudar as futuras mães a “tirarem de letra” o novo momento, o Hospital Oeste D’Or promove Curso de Gestantes, gratuito também neste sábado, dia 4 de agosto, das 9 às 13h, em Campo Grande (Rua Olinda Elias, 93). Dentre os temas abordados estão: tipos de parto, alimentação equilibrada, amamentação, cuidados de higiene com o recém-nascido e estímulos sensoriais, como toque e massagem. O curso é gratuito e a gestante tem a opção de levar um acompanhante. Para participar, basta se inscrever por e-mail até o dia 3 de agosto pelo adm.qualidade@oestedor.com.br.  O evento é o gratuito e as vagas são limitadas.

Fonte: SFHM e Hospital Oeste D’Or

Campanha para doação de frascos para banco de leite humano de Niterói

Por Favor, Compartilhe!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais