Ceia para todos: pequenas mudanças nas receitas podem evitar riscos

Farinhas sem glúten, ingredientes sem lactose e pouco açúcar são as principais recomendações para pessoas com restrições alimentares

Redação

Em 2020, as festas típicas de final do ano, como o Natal e o Ano Novo, serão diferentes, tendo em vista que as confraternizações com muitas pessoas não são indicadas por conta da pandemia do novo coronavírus. No entanto, é possível manter ao menos uma parte desta tradição, com as comidas típicas da época.

Lembrando sempre de utilizar máscaras durante todo o tempo de preparo da ceia, só retirá-las na hora das refeições e guarda-las em um local adequado, higienizar as mãos o tempo todo, manter distanciamento seguro ao sentar à mesa e não compartilhar objetivos, como pratos e copos.

As celebrações de final de ano são marcadas pela união da família e uma mesa farta, com diversos pratos doces e salgados. Mas, para pessoas com alguma restrição alimentar, como diabetes, intolerância ao glúten, lactose e ovos, participar das ceias de Natal e Ano Novo pode ser um grande desafio.

Isso porque um único ingrediente acrescentado na hora do preparo pode fazer com que toda a refeição seja comprometida. A boa notícia é que pequenas alterações podem permitir que todos participem das ceias de final de ano sem riscos. 

A nutricionista do Hospital Marcelino Champagnat, Andressa Troles, conta que, para quem tem intolerância, é fundamental optar por ingredientes sem glúten e sem lactose ao fazer as receitas.

O panetone é um clássico dessa época do ano e pode sim ser consumido por pessoas que têm intolerância ao glúten, desde que mudem alguns ingredientes na receita. Optar pelas farinhas sem glúten e leites sem lactose já ajuda. No caso da diabetes, substituir o açúcar refinado por açúcar mais natural ou adoçante é uma boa opção”, conta a nutricionista. 

As castanhas e oleaginosas, que também fazem parte dos pratos tradicionais de final de ano, são uma ótima indicação para quem sofre com diabetes. “As castanhas têm bastante fibra e prolongam a sensação de saciedade, além de terem uma boa digestão. São as mais indicadas para quem tem diabetes, mas sempre com moderação porque também são ricas em calorias. Vale dizer também que é muito importante sempre consultar um nutricionista para saber quais são as melhores indicações e a quantidade que o paciente pode comer”, comenta. 

E essas dicas também valem para quem não tem nenhuma alergia, mas quer manter uma refeição saudável na ceia de Natal e Ano Novo. Mudar ou reduzir a quantidade de alguns ingredientes já melhora a composição nutricional da receita, como a lentilha que é rica em proteínas e fibras.

Substituir o arroz por quinoa, ou colocar ela na farofa, é uma ótima dica para ter uma fonte boa de proteínas na ceia de Natal, além de ser perfeito para quem é vegetariano ou vegano. Já entre as carnes, a melhor opção é o peru, por ser uma ave leve, saborosa e com baixo teor de gordura, além de ser uma fonte rica em proteínas, vitamina B6 – importante para a saúde cerebral – e selênio, que tem alto poder antioxidante”, explica a nutricionista. 

Nas comemorações de final ano, as frutas são sempre bem-vindas e podem estar ainda mais presentes. Frutas vermelhas como morango, framboesa e cereja agem como anti-inflamatórios e antioxidantes, e também são fontes de vitamina A, B e C, cálcio e ferro. Com essas pequenas mudanças, as ceias de final de ano podem ficar ainda mais saudáveis e saborosas, podendo ser apreciadas por todos.

Nutricionista dá dicas para entrada, prato principal e sobremesa

O Brasil é um país tropical e, no final do ano, enfrenta uma grande onda de calor com a chegada do verão. Entretanto, é interessante lembrar que as preparações tradicionais dessas festas foram criadas em países onde é inverno no mês de dezembro e, por isso, os pratos costumam ser mais calóricos e gordurosos.

Entrada

Para uma ceia apropriada ao clima brasileiro, a nutricionista Thaís Sarian, do Centro Especializado em Obesidade e Diabetes do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, indica introduzir às preparações alimentos frescos como folhas e frutas. “Uma salada bem composta com folhas, frutas e oleaginosas, como a noz, é uma opção muito refrescante e nutritiva, pois os vegetais e frutas são ricos em fibras, vitaminas e minerais, além das nozes serem uma ótima fonte de gordura de boa qualidade”, diz.

Prato principal

Em relação às preparações quentes, a especialista sugere optar por carnes brancas que são menos gordurosas, como frangos, o tradicional peru de Natal ou peixes, todos ricos em proteínas. Para acompanhar, um arroz sete grãos é uma ótima opção que agrega fibras e nutrientes ao prato. “A uva passa acompanha muitas preparações dessas festas, mas muita gente não gosta. Então, uma alterativa é o damasco picado, também ótima fonte de nutrientes”, explica Thaís. Para os vegetarianos, a lentilha é uma ótima alternativa para substituir as carnes, pois é rica em proteína, ferro, magnésio, potássio, vitaminas, zinco e fibras.

Sobremesa

As frutas são excelentes opções de sobremesas, vale apostar em uva, pêssego, ameixa, maçã, pera, cereja e lichia, que além de nutritivas combinam com as festas. “Algumas frutas, como a maçã e pera, ficam mais festivas e saborosas se forem preparadas cozidas com especiarias como canela e cardamomo. Uma deliciosa sobremesa, bem leve como nosso clima pede”, diz a nutricionista.

Importante ressaltar que as preparações dessas festas ocorrem apenas duas vezes ao ano e, por isso, a especialista indica que todos aproveitem para preparar os pratos tradicionais da época. “O que importa é ter balanço entre as escolhas e as quantidades consumidas e, se as pessoas já mantêm esse cuidado ao longo do ano, não é a ceia de Natal ou de Ano Novo que vão interferir na saúde”, conclui.

Fim de ano com qualidade de vida. É possível!

Que tal fazer das festas do final de ano o ponto de partida para hábitos que promovam a sua qualidade de vida e de quem o cerca? Juradilson de Santis, diretor médico da Ecco Salva, dá algumas dicas importantes para esta receita.

Alimentação colorida e cheia de vida

Ceias e almoços festivos não precisam ser um mar de gorduras e açúcares. Agregar ingredientes em misturas novas com frutas secas ou frescas, verduras e legumes, com molhos à base de frutas cítricas, por exemplo, pode dar um charme sem renunciar à saúde.

Juradilson explica que a gordura é um importante fornecedor de energia para o organismo, participa na absorção de várias vitaminas e na cadeia de produção de hormônios. “A principal questão é o tipo de gordura e a quantidade. Precisamos consumir, de maneira controlada, as gorduras saturadas e insaturadas. No entanto, não devemos ingerir as gorduras trans (presentes em diversos produtos industrializados)”, afirma.

De acordo com ele, o excesso de gorduras causa muitos males, principalmente pelo seu acúmulo e formação de placas no interior das artérias (a chamada aterosclerose), que são as principais causadoras do infarto agudo do miocárdio (IAM) e do acidente vascular cerebral (AVC) e ainda podem causar transtornos ao rim, ao sistema digestório e obesidade.

O médico lembra que a regra do consumo moderado também vale para os pratos elaborados com açúcar, que quanto menos refinado, melhor. Segundo ele, uma alimentação rica em açúcar leva a distúrbios graves no corpo, principalmente à diabetes e contribui para a obesidade, o IAM e o AVC.

Um fôlego para a imunidade

Que tal testar novas receitas com alimentos que favoreçam a imunidade? É possível acrescentar gengibre, mel e frutas secas em pequenas quantidades a biscoitos e bolos, fazer sucos com frutas cítricas (para quem não tem problemas estomacais) e dar um colorido diferente à mesa com as folhas verdes como espinafre e couve. O organismo agradece!

E para a ceia trazer só alegria, Dr. Juradilson reforça: “a principal maneira de evitar a intoxicação alimentar é fugir do excesso. A lavagem dos alimentos e sua adequada conservação é importante, mas a grande maioria de intoxicação alimentar vem de alimentos estragados e do exagero”. Por isso, é importante planejar bem as quantidades necessárias de alimentos.

Muito afeto, mesmo sem estar perto

Aproveite a ocasião para entrar em contato com quem ama e com os amigos de longa data.  Isto pode ser feito a qualquer tempo, não somente nas datas festivas. Seja pelo telefone, pelas redes sociais ou mesmo por cartas e cartões.

Também é um bom momento para pensar naqueles que precisam de uma palavra de acolhimento e distribuir mensagens positivas. Por mais difíceis que as coisas estejam, um olhar de aprendizado e gratidão faz toda a diferença para aumentar a energia de seguir adiante. A troca de carinho é um verdadeiro tônico para todos os envolvidos.

Mas, se não estiver se sentido bem, não tenha vergonha, busque o socorro médico. Segundo ele, ainda dá tempo de colocar em dia os exames e as visitas de rotina ao médico de confiança e buscar um serviço de saúde que possa amparar você e quem você ama nos momentos de necessidade.

Com Assessorias

In the news
Leia Mais