Como a atividade física pode impactar na saúde mental

Psicóloga e educadora física explicam como os exercícios físicos agem no cérebro. Personal trainer dá dicas para manter rotina saudável

Redação

Muito além dos benefícios estéticos, a prática de atividades físicas vem mostrando cada vez mais seu impacto positivo na saúde mental. Ao se exercitar regularmente, o organismo libera neurotransmissores responsáveis pela sensação de prazer e felicidade, atuando no alívio do estresse e na melhora de quadros de ansiedade, que andam a mil nesses tempos de pandemia.

Neste Dia do Profissional de Educação Física (1/9), primeiro dia da campanha Setembro Amarelo, ViDA & Ação alerta para o exercício físico como importante aliado para auxiliar na saúde mental, o que é confirmado por estudos e pesquisas. De acordo com a psicóloga Mayara Santana, a prática ajuda a fortalecer o crescimento das células cerebrais.

A atividade melhora o fluxo de nutrientes que vão para o cérebro, retardando o nível de envelhecimento e aumentando a sensação de felicidade e bem-estar”, afirma a psicóloga, que faz parte da plataforma de saúde emocional Moodar, empresa parceira da rede low cost high value Selfit Academias.

Para pessoas que sofrem de quadros avançados de depressão, os efeitos podem ser ainda mais significativos. Por isso, Mayara destaca a importância, nestes casos, de um acompanhamento multidisciplinar. Juntos, médicos especialistas em saúde mental, psicólogos e profissionais de educação física podem oferecer uma rede de apoio ao paciente com quadro depressivo, auxiliando na sua recuperação.

Com a orientação profissional adequada e uma adaptação nos exercícios iniciais, o indivíduo que sofre de depressão poderá, de forma gradual e progressiva, se sentir mais confortável e estimulado a buscar atividades que dão prazer e proporcionem melhora na sua qualidade de vida”, destaca a psicóloga.

Atividade física melhora a capacidade cognitiva

Para o personal trainer Giulliano Esperança, pensar em maior produtividade é pensar em cuidar da saúde. “O trabalho enobrece, mas desgasta, ele suga a energia e nos deixa estafados, enquanto cuidar da saúde, praticar exercício físico e cuidar da alimentação, aumenta a sua energia vital”, ressalta. Segundo ele, o cérebro reage como um músculo, atrofia com o desuso.

Aí você pode dizer: “Quem falou que eu não uso meu cérebro?”. Sim, Ok. Se isso é fato em sua vida, mas você não pratica exercício físico, então a pessoa está muito provavelmente sob os efeitos do estresse, que desgasta as conexões das bilhões de células nervosas, um desgaste que pode levar a depressão, que ao contrário da expansão, contrai certas áreas cerebrais.

Segundo Giulliano Esperança, o exercício físico expande suas áreas cerebrais, promovendo, de uma forma singular, alterações biológicas que aumentam as conexões entre as células neuronais. Aumenta também os níveis de adrenalina, dopamina, serotonina e endorfina.

Quando os neurocientistas começaram a estudar os efeitos do exercício nas células cerebrais, identificaram melhora nas habilidades cognitivas, na saúde mental, devido a fatores de crescimento neuronais, com uma condição. O movimento físico, é a única forma de promover o aumento dos fatores de crescimento neural”, afirma o especialista.

Giulliano ainda questiona: “Entende que antes de emagrecer, muita coisa vai acontecer em seu metabolismo?” Pode ser que você não ligue para questões estéticas e nem goste de fazer exercício físico, mas praticar atividade física faz com que o indivíduo se torne mais inteligente.

Importante é realizar atividades prazerosas

Um ponto fundamental para criar uma boa rotina de exercícios e trazer benefícios à saúde mental é realizar atividades prazerosas, que atendam às individualidades de cada um. Profissional de Educação Física, Juciele Sá explica que, ao praticar exercícios adequados ao seu estilo de vida, o aluno encontra motivação para continuar aumentando os ganhos em todos os sentidos.

Podemos perceber que o aluno passa a apresentar melhora na capacidade cognitiva, reduzindo os níveis de ansiedade e estresse, fornecendo mais energia e aumentando a autoestima”, completa.

E para aqueles que não têm o hábito da prática diária de atividades físicas, a professora da Selfit Academias faz uma recomendação. “É importante encontrar um tipo de atividade que seja prazerosa, tentando realizá-la no mínimo duas vezes por semana, sempre seguindo a orientação de um profissional”, afirma Juciele.

Mantenha-se motivado e fisicamente ativo o ano todo

O personal trainer Giulliano Esperança dá dicas para não desistir do treino (Foto: Divulgação)

Sem dúvida, a movimentação do corpo é o principal meio de aumentar o bem-estar físico e mental e combater o estresse, por isso deve ser prioridade na rotina diária. Esperança lembra que a recomendação básica é que um adulto pratique pelo menos 150 minutos de atividade física de moderada intensidade ou de 60 a 75 minutos de atividade moderada a rigorosa.

Esses hábitos podem reduzir as chances de desenvolver diversas doenças como diabetes tipo 2, acidente vascular cerebral e infarto. Além disso, os exercícios físicos ajudam a diminuir o ganho de peso corporal evitando as doenças relacionadas à obesidade”, explica o personal trainer.

De acordo com o especialista, algumas dicas básicas devem ser seguidas para começar os exercícios, como um alongamento inicial e um planejamento de treino, alternando a parte aeróbica e a musculação.

A regularidade é muito mais importante que a intensidade, é melhor fazer pouco e bem feito do que irregular. Além disso, o planejamento e a estratégia são fundamentais para a evolução incessante e segura da atividade. Dê uma caminhada no parque, vá à academia. A principal dica é não desistir, para iniciar as atividades físicas tudo é válido”, destaca.

Dicas do especialista

• Faça do exercício um hábito e dar regularidade a prática.
• Aqueça-se antes dos treinos.
• Planeje os treinos, alternando entre aeróbico e musculação.
• Procure orientação profissional e acompanhamento de um treinador físico.

Apoio à campanha Setembro Amarelo

A rede de academias Selfit aderiu ao Setembro Amarelo, campanha criada pela Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) em parceria com o Conselho Federal de Medicina (CFM) e o Centro de Valorização da Vida (CVV), com o objetivo de conscientizar a população promovendo ações para o combate ao suicídio.

Com a educadora física Juciele Sá e a psicóloga Mayara Santana, a primeira edição de setembro do Podcast Inspire, da Selfit, aborda o impacto dos exercícios físicos no combate à depressão. Para ouvir o bate-papo entre as duas especialistas na íntegra, confira a partir do dia 7 de setembro pelo Spotify, Deezer e outros agregadores de podcasts.

Com Assessorias