Como conciliar a forma física com a boa forma econômica

Brasileiros estão dispostos a largar velhos hábitos e investir na saúde e na boa forma, mas precisam pagar menos por produtos e serviços

A mais popular das atividades físicas é de graça e faz um bem enorme à saúde. Em 2016, a prática esportiva que mais atraiu o brasileiro foi a caminhada. De acordo com um estudo da HSR Specialist Researchers, em parceria com o CIP (Centro de Inteligência Padrão), 67% dos quase 2 mil entrevistados fazem caminhada regularmente, seguida da musculação (30%), corrida (26%) e bike (25%). Enquanto isso, o Serasa registrou em 2017 o pior número de vendas no período da Páscoa em 10 anos, com 9,6% de queda em relação a 2015. E tudo isso não é apenas reflexo da crise econômica.

O brasileiro tem se preocupado cada vez mais com a boa forma, não é à toa que só as academias movimentam mais de 7 bilhões de reais por ano no país. Mas convenhamos que os preços de produtos diet, light, tênis e roupas adequados não costumam colaborar para a nossa boa vontade. Por isso, assim como fazemos para qualquer outra coisa, é preciso saber economizar também no mundo fitness. Algumas barrinhas de cereais individuais custam mais de 3 reais – o kit com três ou quatro chega ao mesmo valor de uma barra de chocolate de 150 g. A marmita light, que também entrou na moda fitness há algum tempo, tem uma média de 70 reais.

Tudo isso está muito acima do que o brasileiro pode pagar. Mas é preciso conciliar boa forma física com boa forma econômica.

“Ao mesmo tempo que temos diversos produtos bons e de qualidade a preços mais elevados, temos brasileiros dispostos a largar velhos hábitos e investir na saúde e na boa forma. Mas a regra de economizar é a mesma, em qualquer tempo”, afirma Leonídio de Oliveira Filho, empresário e criador do site Dica de Preço.

Serviço ajuda a comparar preços

O Dica de Preço possui ferramentas vantajosas para quem deseja começar a se aventurar no mundo fitness, seja das academias, com aulas de dança, ioga, musculação; ou no parque, com uma simples caminhada ou corrida. A variedade das lojas, sejam grandes ou pequenas, físicas ou on-line, faz com o que consumidor consiga comparar preços não somente entre elas, mas também de meses anteriores praticados pela própria marca. A ferramenta registra o histórico dos valores e o consumidor pode ter ideia se naquele momento o produto está no melhor preço dele.

Além disso, é possível dar uma espiadinha no que estão falando sobre o produto no YouTube – basta clicar no link do site ao lado do produto. Assistir aos depoimentos de blogueiros e vlogueiros, e acompanhar os debates nos comentários, permitem que o consumidor possa ter mais poder de decisão sobre o que comprar, se será compensador para ele ou não. Afinal, a regra é clara e um pouco óbvia: praticar esportes e ter uma boa alimentação – e ainda sim ter o bolso cheio – faz bem a qualquer pessoa.

Fonte: Dica de Preço

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais