Novos heróis da linha de frente da Covid-19 são treinados para o ‘front’

Procura por técnicos de Enfermagem triplicou na pandemia. Estagiários de curso técnico no Rio contam como é atuar ao lado de profissionais

Redação
Alunos em estágio de Maternidade no Hospital Alexandre Fleming, com o coordenador de estágios da Rede Daltro, Eduardo Artur (Foto: Divulgação)

2020 foi um ano difícil, especialmente para os profissionais da chamada ‘linha de frente’, que colocaram suas próprias vidas a serviço da recuperação de milhares de pacientes pelo país. E nessa guerra, infelizmente, muitos profissionais de saúde adoeceram ou perderam suas vidas ou tiveram que se afastar por fazerem parte do grupo de risco. Mas não faltam abnegados jovens dispostos a enfrentar os desafios impostos pela pandemia do novo coronavírus e se ‘alistar’ nesse front. Em meio ao caos, muitas oportunidades de trabalho surgiram para a área de Enfermagem em 2020.

Segundo pesquisa da empresa de recrutamento online Catho, o cargo de Técnico em Enfermagem apresentou um crescimento de 314% no número de vagas de emprego. A abertura de vagas no primeiro trimestre do ano mostrou um aumento de mais de 300% na busca por profissionais da área da saúde, o que ampliou o espaço de trabalho para enfermeiros e técnicos de Enfermagem, inclusive recém-formados. O estudo compara os meses entre março e julho de 2020 com o mesmo período de 2019.

Para atender a este aumento na demanda do mercado, cursos técnicos tiveram que se reinventar e acelerar o processo de aprendizagem, com modelos híbridos envolvendo online e presencial. Isso porque muitos formandos estão saindo das salas de aula diretamente para atuar na linha de frente do combate à pandemia, cuidando dos pacientes. E não falta disposição por parte dos novos profissionais. Muitos já estão exercendo o estágio com acompanhamento, ajudando a suprir a demanda nos hospitais.

Professor Luiz Cláudio, preceptor de estágio, com alunos no Posto de Saúde Cecília Donangelo (Foto: Divulgação)
Fernanda de Cassia Paixão Machado, aluna do curso de Técnico em Enfermagem (Foto: Divulgação)

Falta pouco para Fernanda de Cassia Paixão (foto ao lado) concluir o curso e dar entrada no tão sonhado registro profissional junto ao Coren-RJ, o Conselho Regional de Enfermagem do Rio de Janeiro. Ela diz que trabalhar durante a pandemia tem a ver com a escolha do curso e em ajudar a salvar vidas.

Sei que há riscos, mas estou sendo bem orientada, instruída e tendo toda proteção necessária que podemos ter durante a pandemia. Graças a Deus temos ótimos profissionais ao nosso favor, e sou apaixonada pelo meu trabalho”, afirma a aluna da Rede Daltro Educacional, que atualmente faz estágio no Hospital Nossa Senhora das Dores.

Caroline Leite Novais faz estágio em posto na Cidade de Deus (Foto: Divulgação)

Caroline Leite Novais (foto ao lado) terminou sua formação em janeiro de 2020, fez estágio de Saúde Coletiva no posto Hamilton Land, na Cidade de Deus, e concluiu o estágio de Saúde mental na Santa Casa de Cascadura. No dia 21 de dezembro, começou como estagiária na Maternidade Alexander Fleming.

O trabalho em meio à pandemia está sendo gratificante e único! Nós da equipe de enfermagem estamos em uma guerra contra o vírus”, conta Caroline, que escolheu Enfermagem para ajudar o próximo e sente muito orgulho disso. 

Recém-formados também são protagonistas na linha de frente

Para Ewerton Artur, coordenador da supervisão dos campos de estágios da Rede Daltro, os estagiários que estão na linha de frente do atendimento aos pacientes com Covid-19 vivenciam um misto de sentimentos: ao mesmo tempo em que há o desafio, existe também um sentimento de presteza e dever cumprido muito grande.

Todos os que já são formados na Teoria ou estão cursando o último período possuem conhecimento e aptidão necessários, e têm o suporte de uma equipe multidisciplinar. O fato de já estarem em campo, fazendo estágio, e muitas vezes, na linha de frente, confirma a importância da profissão. Para isso, contam com a figura do professor preceptor enviado pela instituição, que atua ao lado dos alunos juntamente com os supervisores locais de cada unidade”, explica o professor Ewerton. 

Ainda segundo ele, esses jovens alunos podem ser considerados heróis. “Saem de casa focados em cumprir sua missão e se sentem como parte da equipe, mesmo na condição de estagiários. No momento em que vestem o jaleco branco, são do time da linha de frente na guerra contra o vírus. Lidam com a Covid-19 em campo e sabem que são eles que estarão sempre na linha de frente. São destemidos e amam essa profissão”, conclui Ewerton, que também coordena os cursos técnicos da instituição.

E o reconhecimento também vem da outra ponta. Para a estagiária Fernanda, a equipe que coordena o curso de Técnico em Enfermagem é formada por profissionais altamente capacitados, em quem ela se espelha. “Tenho muito a agradecer aos meus coordenadores, que já são parte de minha história. Está sendo gratificante, em meio ao caos em que o mundo se encontra, estarmos sendo preparados para fazer a diferença”, afirma.

Coordenador Ewerton Artur (à direita). com alunos durante estágio de Enfermagem em Saúde Coletiva (Foto: Divulgação)

Como o ensino híbrido fez a diferença

No último ano dos cursos de Técnico em Enfermagem e de Radiologia da Rede Daltro, o primeiro e segundo semestres aconteceram à distância, o chamado EAD, que deixou de ser uma opção e virou regra em 2020 devido à pandemia do coronavírus.

Nossos alunos se mantiveram resistentes superando todas as expectativas. A migração para o ambiente virtual de aprendizagem aconteceu em pouco tempo e, após praticamente um ano de ensino remoto, é uma realidade. Tivemos aulas remotas até outubro, quando aliamos às ferramentas digitais, o que chamamos de “laboratório de campanha”, uma criação necessária em nossas unidades para dar sequência às aulas presenciais sem que houvesse aglomeração”, disse Teresa Daltro, CEO da rede.

Ela avalia que, logo no início da pandemia da Covid-19, as aulas online geraram uma certa desconfiança entre os alunos do curso. “Mas, ao fim do ano letivo, que contou com ensino híbrido a partir de outubro, o profissionalismo do corpo docente, aliado à vontade dos alunos em fazer a diferença durante a grave crise sanitária, venceram as desconfianças”, comentou.

A estagiária Fernanda aprovou o formato das aulas. “A pandemia afetou a todos e foram seis meses de EAD. Mas acabei me surpreendendo com as aulas online. Eu tinha uma leve dúvida sobre aulas EAD, porém, foram tão boas quanto as presenciais! Quando voltamos às aulas presenciais, em outubro, recebemos os EPIs com todas as informações e todos os cuidados necessários”, conta.

Esta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é ‘Laboratórios-de-campanha’-criados-nas-unidades-Taquara-e-Méier-da-Rede-Daltro-Educacional-para-dar-sequência-às-aulas-presenciais-sem-que-houvesse-aglomeração..jpeg
‘Laboratórios de campanha’, criados nas unidades da rede Daltro, para aulas presenciais sem aglomeração (Foto: Divulgação)

Um desafio para alunos e educadores

Segundo Teresa, 2020 foi um desafio para ambos os lados – estudantes e educadores. “Coube aos professores o aprimoramento das ferramentas digitais para o melhor uso dos métodos de ensino a distância, enquanto os alunos também tiveram que se adaptar às novas dinâmicas de transmissão de conhecimento. E estão todos de parabéns!”, comentou.

Na sua opinião, todo o setor de educação serve de exemplo de superação – da Educação Infantil ao Ensino Superior. “Afinal, não estava nos planos de ninguém o que estamos vivenciando”, opina Teresa Daltro, que reafirma a importância dos cursos técnicos da área da saúde neste momento. 

Quero destacar o trabalho realizado pelo corpo docente da Rede Daltro, que atuou com muito empenho em meio a tantas adversidades motivando, encorajando e mostrando a importância da profissão em meio a uma pandemia com as suas diversas complexidades e também aos alunos que encaram o desafio imposto a todos os profissionais da área da saúde, e não se abateram”, ressaltouu a CEO.

Ex-aluna hoje coordena estágios

Teresa não esconde o orgulho de se deparar com profissionais da instituição no mercado de trabalho. É o exemplo da ex-aluna Elisangela Alves que, atualmente, é uma das responsáveis pelo acompanhamento dos estágios em clínica médica realizados na Santa Casa – Hospital Nossa Senhora Das Dores, em Cascadura. 

É muito gratificante ver os nossos alunos no campo de estágio. Nosso curso forma técnicos que atuam na promoção, prevenção, recuperação e reabilitação da saúde, ensinando todos os cuidados de enfermagem necessários para cuidar dos pacientes em todas as etapas da vida. Isso inclui, ainda, o conhecimento técnico sobre a prevenção à contaminação ao covid-19″, conclui Teresa Daltro.

Para 2021, a rede conta com o aprendizado adquirido ao longo de 2020 com a pandemia. Este ano, o próximo ciclo dos cursos de Técnico em Enfermagem e o de Radiologia começa dia 8 de fevereiro, também de forma híbrida, com turnos manhã, tarde e noite, nas duas unidades – Taquara e Méier. 

Os interessados em Técnico em Enfermagem precisam do Ensino Médio completo ou em concomitância ao curso. Já para Radiologia o aluno precisa ter concluído o Ensino Médio. “O curso segue a rigor as boas práticas de ensino exercidas pela instituição, atuando juntamente aos alunos, através do seu corpo docente e da figura do professor preceptor (orientador), no campo do estágio.   

Fonte: Rede Daltro Educacional, com Redação

In the news
Leia Mais