Como superar perdas irreparáveis com ajuda da hipnose

Rosayne Macedo

cemiterio

Para quem, como eu, já perdeu pessoas tão próximas e tão queridas, como pai, mãe e irmão, o Dia de Finados remete a uma dor que nunca acaba, mas, com o passar dos anos, vai ficando menos insuportável. Mas como  superar o sentimento de perder alguém que fez parte de nossa história, e que tenha participado de momentos especiais como pais, irmãos, maridos, esposas e companheiros, um grande amigo ou mesmo um animal de estimação?

“Lembrar de datas festivas como Natal, batizados, aniversários, em que tenha compartilhado momentos importantes, parece não mais fazer sentido. A dor, a falta de aceitação e a angústia isolam essas pessoas que não consegue superar os traumas da velha lembrança ao longo da vida”, afirma a psicóloga Miriam Farias, que atende pessoas com dificuldades em superar perdas irreparáveis,  usando técnicas de hipnose.

Segundo ela, algumas chegam apresentar depressão, perdem a vontade de conviver em sociedade, evitando locais, cheiros e músicas que possam lembrar essas pessoas tão queridas. “A dor da perda é tão intensa que amargura no corpo e na “alma”. Superar é possível. Às pessoas se enganam em achar que, nesse caso, o melhor será esquecer tudo o que nos remete a essas pessoas queridas. Se foram importantes, não devem ser esquecidas. Contudo, revividas de uma forma saudosa, sem dor e sofrimento”, destaca.

A especialista afirma que é possível conseguir suportar as dores que todos nós, seres humanos temos, e aquelas que ainda vamos absorver ao longo da vida, aprendendo a aceitar a lei natural da vida. “E, reorganizando nossa postura em relação à forma de enxergarmos a perda. Pois, a existência é como um rio, que corre em uma só direção. E por mais que tentemos alterar, ela deságua no mar, assim como todos nós um dia vamos morrer”, afirma Miriam.

As técnicas de Hipnose Clínica, aplicadas por um psicólogo especializado, podem ser realizadas em um trabalho individual, ou em grupo, capaz de ajudar a superar estes momentos difíceis, e transformar sentimentos dolorosos em boas lembranças. A terapia atua na indução a aceitar àquela realidade, diminuindo a dor, o sofrimento, e a apatia que se encontram as pessoas em luto recente, ou aqueles que perduram por muitos anos, a retomarem a vida, e a rotina.

“Com ajuda da hipnose, é possível encontrar o caminho do equilíbrio emocional, consequentemente, tornando esse momento um aprendizado. Principalmente os das boas lembranças, seja no dia de finados, natal, nas festas em família e  lugares que remeta a esse ente querido”, afirma a psicóloga.

 Com a colaboração de Rafael Gomes, da RG Assessoria

In the news
Leia Mais