Comunidades cariocas terão teleconsultas e testes gratuitos de Covid-19

Projeto liderado pela Fiocruz une parceiros de peso para oferecer serviços de telemedicina e testagem molecular, entre outras ações, na Maré e Manguinhos (RJ)

Redação
Oferta de testes moleculares é uma das ações previstas no projeto (foto: Peter Ilicciev / Fiocruz)

Moradores do Complexo da Maré e de Manguinhos, na Zona Norte do Rio de Janeiro, terão acesso a orientações sobre saúde, com direito a teleconsultas e testes para detecção do novo coronavírus. E o melhor: tudo de graça. Um projeto lançado nesta quarta-feira (19) une parceiros de peso para oferecer serviços de telemedicina, testagem molecular, rastreamento de contactantes e produção de mapas de risco dentro das comunidades.

Batizado de Conexão Saúde: de olho na Covid, o projeto é realizado pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), em parceria com o Conselho Comunitário de Manguinhos, Redes da Maré, Dados do Bem, SAS Brasil e União Rio. O objetivo é levar atendimento integral em saúde às favelas e contribuir para o enfrentamento da pandemia de Covid-19. A iniciativa conta ainda com o apoio da gestão municipal, por meio das unidades de saúde da Área Programática local.

O lançamento do projeto contou com a presença do médico oncologista Dráuzio Varella; da presidente da Fiocruz, Nísia Trindade Lima, e da pesquisadora Margareth Dalcolmo. Eles conversaram com representantes das favelas da Maré e de Manguinhos e das entidades parceiras, para explicar toda a complexa operação envolvida nesse modelo de vigilância em saúde pública.

Vigilância ativa em favelas e territórios populares

Segundo os especialistas envolvidos, essas ações, implementadas de forma estruturada, constituem uma proposta de vigilância ativa que poderia ser considerada um modelo para o enfrentamento da pandemia em favelas e dos territórios populares.

A partir do envolvimento de diversos parceiros, estamos conseguindo integrar a atenção básica, de maneira sistêmica, ao enfrentamento da pandemia na região, oferecendo uma cadeia completa de atendimento, desde a possibilidade de um diagnóstico precoce e acompanhamento clínico, até a testagem molecular e o rastreamento de contactantes”, explica Valcler Rangel, coordenador do projeto pela Fiocruz.

De acordo com Rangel, uma segunda etapa do projeto prevê que ele possa ser replicado em outras favelas e periferias como um modelo de intervenção para emergências em saúde pública já testado em nível local, sendo uma contribuição complementar ao que já vem sendo feito pelos poderes públicos, com o objetivo de atingir a integralidade e equidade em saúde e assistência social, em sintonia com os princípios estruturantes do Sistema Único de Saúde (SUS).


Uma segunda etapa do projeto prevê que ele possa ser replicado em outras favelas e periferias como um modelo de intervenção para emergências em saúde pública (Foto: Peter Ilicciev)

A expectativa é que a iniciativa possa deixar um legado nos territórios onde seja implementada, com bases técnicas para o desenvolvimento de ações de Vigilância Ativa em Saúde, a construção de expertise para estratégias de distanciamento social em favelas, consolidação de modelos de comunicação voltado para emergências em saúde e ações de teleatendimento em psicologia e medicina adequado às condições de populações vulnerabilizadas.

Leia mais

Moradores de comunidades dão exemplo de solidariedade na pandemia

Garis higienizam ruas de comunidades no Rio

A união faz a força: empresas e ONGs ajudam comunidades

Os parceiros envolvidos

A articulação de todos os parceiros envolvidos foi uma ação do União Rio, responsável por integrar esforços e expertises para a viabilidade do projeto. Além do processamento das amostras, a Fiocruz atuará na coordenação do projeto e será responsável pela capacitação dos profissionais envolvidos, logística das etapas, doação de insumos para coleta e transporte das amostras para seus laboratórios.

A Dados do Bem oferece um aplicativo que permite a avaliação de sinais clínicos e epidemiológicos para testagem molecular, além de mapeamento de distribuição do vírus. SAS Brasil cuida da experiência de acompanhamento por telemedicina. As Redes da Maré e o Conselho Comunitários de Manguinhos ficam responsáveis por toda a mobilização local.

Conexão Saúde: de olho na Covid recebeu cerca de R$ 1,6 milhão do Todos pela Saúde, iniciativa liderada pelo Itaú Unibanco que vem financiamento uma série de ações para o enfrentamento da pandemia.

Da Fiocruz, com Redação

In the news
Leia Mais