Conheça os 12 indícios de um relacionamento abusivo

No dia a dia, convivendo a dois, às vezes não percebemos que precisamos de espaço: entenda no e-book Guia do Relacionamento, do ClubSaúde

É muito difícil manter a individualidade quando a relação não é sadia. No dia a dia, convivendo a dois, às vezes não percebemos que precisamos de espaço. Embora sejamos seres sociais, e como questão de sobrevivência, tendemos sempre a conviver em grupo, preservar a individualidade e a própria essência é fundamental para a manutenção da autoestima e do autoconhecimento, pois somente quando estamos realmente bem com o nosso próprio eu é que podemos, também, sermos bons para o outro.

A relação saudável é uma compilação de ações que cada um deve desempenhar. Com isso em mente, a equipe do ClubSaúde desenvolveu um e-book, o Guia do Relacionamento, dando dicas de como identificar se o seu relacionamento é saudável ou abusivo. Para baixar o e-book, acesse: www.clubsaude.com.br ou veja abaixo algumas dicas de como ter uma relação com mais respeito e saúde.

Se você identificar um destes indícios na sua relação o ideal é procurar ajuda. Serviços de telepsicologia (terapia online), como o do ClubSaúde, dão acesso a consultas online com psicólogos a partir de R$ 50. O Instituto Borboleta Azul oferece atendimento psicológico qualificado e gratuito para pessoas em situação de desigualdade social, numa parceria do ClubSaúde com outras entidades sociais. Uma rede de profissionais de saúde mental voluntária credenciada realiza os atendimentos por telepsicologia e em alguns casos, presencialmente.

Veja aqui uma relação de serviços gratuitos a preços populares, selecionados pelo Portal ViDA & Ação.

Dicas para manter um relacionamento saudável

Reserve um tempo para vocês

É primordial que exista tempo apenas para o casal. Com a chegada dos filhos, muitos relacionamentos acabam ficando de lado, pois as prioridades agora são outras. Separe um tempo para dedicar a isso, seja um dia ou um mês de férias, por exemplo, para casais com filhos deixe as crianças com algum familiar de confiança, assim, vocês poderão viajar ou curtir o tempo juntos com mais tranquilidade.

Recrie momentos marcantes para você e o seu parceiro (a), relembrar pode unir ainda mais o relacionamento fazendo com que fiquem mais tempos juntos.

Não idealize o casal perfeito

Saber lidar que todos temos defeitos é um fato que você deve admitir. Não existe um relacionamento perfeito e muito menos um modelo, as pessoas muitas vezes podem se perder em tentar se encaixar em uma norma imposta pela sociedade. Nunca compare o seu relacionamento ou o dos outros, é importante reparar nas qualidades do seu parceiro (a) pois, a grama do vizinho quase sempre parecerá mais verde, exceto para o próprio vizinho.

Releve sempre que possível

Aquela toalha jogada em cima da cama é realmente motivo para briga? Pense nas coisas que realmente são importantes e que fazem diferença no dia a dia. Deixe de discutir o que não for primordial. Muitos relacionamentos acabam desgastados por pequenos conflitos desnecessários. Às vezes só você está um pouco estressado e acaba descontando essa frustração no seu parceiro. Por isso, pense duas vezes antes de levantar a voz ou usar palavras duras.

Saiba dizer que às vezes você está errado (a)

Com o passar dos anos, algumas coisas acabam se perdendo nos relacionamentos. Por exemplo, o hábito de agradecer ao outro por pequenas gentilezas, ou de reconhecer os méritos e até mesmo de perdoar os erros. Essas três atitudes têm um poder transformador na vida de qualquer casal:

  1. Sempre reconheça os esforços de seu parceiro;
  2. Aceite seus próprios erros:
  3. E entenda que a saúde do seu relacionamento depende de vocês.

Entenda se está dentro de um relacionamento abusivo

Você sabe o que é um relacionamento abusivo? Saberia identificar se alguém próximo (ou você mesma) está em um? Estar em um relacionamento abusivo não quer dizer, necessariamente, apanhar. Muitas vezes, a violência toma outras formas, como a violência psicológica, sexual e financeira. Elas são muito mais sutis que a agressão física e, por isso mesmo, mais difíceis de identificar.

Os 12 indícios do relacionamento abusivo

1 – Ciúme excessivo – Com a justificava de “amar de mais” o ciúme deixa de ser normal e vira justificativa para o controle.

2 – Controle – “Porque eu te amo demais” ou “é para o seu bem” são frases comuns usadas pelo abusador para controlar a outra pessoa.

3 – Invasão de privacidade – Em um relacionamento abusivo, é comum que o abusador não respeite o espaço individual da outra parte. Roubar senhas, mexer no celular, ler e-mails e mensagens, instalar programas de rastreamento. Tudo isso é invasão de privacidade.

4 – Afastamento de outras pessoas – “fulano é má influência para você”, as desculpas são sempre as mesmas, o objetivo é sempre fazer com que você dependa apenas dele.

5 – Chantagem – A manipulação é uma ferramenta central no relacionamento abusivo. Se a parceira não aceita de forma pacífica do que é cobrada, o abusador costuma, então, usar de chantagem para conseguir o que quer.

6  – Destruição da Auto Estima – A mudança começa com “críticas construtivas”, que vão se tornando cada vez mais comuns e pesadas. Sem perceber, a vítima vai perdendo a autoestima até o ponto de achar que é alguém tão ruim que nenhuma outra pessoa vai amá-la se essa relação terminar.

7 – Invalidação de sentimentos – O medo, a dor e a tristeza de estar passando pelo abuso passam a ser enxergados como besteira pela própria vítima, fazendo

com que ela permaneça no relacionamento abusivo.

8 – Falta de diálogo – No relacionamento abusivo, a falta de diálogo é usada para levar o outro à dependência econômica.

9 – Pegar, roubar ou destruir itens do outro – Quando a relação abusiva evolui, pode chegar ao ponto de a pessoa esconder ou quebrar os pertences da outra como forma de controle.

10 – Exigir relação sexual – Quando o casal tem filhos, as coisas ficam mais complicadas. No relacionamento abusivo, a pessoa usa os filhos como ferramenta de chantagem.

11 – Ameaças – Quando a relação abusiva já está avançada, ameaças se tornam comuns. Elas podem ser dos mais diferentes tipos: tirar o dinheiro, sumir com os filhos, agressões e até ameaças de morte.

12 – Violência física – Ela também é gradual. Começa com empurrões ou apertões e vai crescendo com o passar do tempo.

 

 

 

Por Favor, Compartilhe!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais