Conheça os 7 problemas de pele mais comuns do verão

Acne, foliculite, melasma, alergia, queimadura e erupção são alguns. Especialistas ensinam truques para manter a pele limpa, seca e hidratada na temporada de calor

sol-risco-cancer-de-pele

Nada melhor do que aproveitar o sol durante o verão. A estação mais aguardada do ano chegou e com ela os cuidados com a pele precisam ser redobrados já que a exposição excessiva aos raios solares pode causar diversos problemas dermatológicos. A pele é a principal responsável por proteger nosso corpo de fatores externos, como: calor, luz e controlar a temperatura.

Entre os diversos problemas de pele causados pela exposição ao sol está a acne solar, que se apresenta como erupções provocadas pelo aumento da oleosidade natural da pele, causada muitas vezes pelo excesso de poluição e radiação solar.

A acne solar geralmente atinge áreas como o rosto, pescoço, ombros, tórax e costas. As erupções resultantes da acne solar costumam surgir alguns dias após a exposição intensa dessas regiões ao sol. A exposição solar sem fotoproteção resseca bastante a pele, mas logo depois vem o efeito rebote, resultando na produção de sebo em excesso como tentativa de reidratá-la

“Embora possam ser bastante graves, as doenças de pele causadas pelo excesso de exposição ao sol podem ser evitados por meio de medidas simples”, afirma o Jardis Volpe, dermatologista, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Ele explica cada um dos sete principais problemas causados pelo excesso de sol.

Entenda os principais problemas de pele causados pelo sol

Acne: “Outro fator que pode causar a intensificação da acne solar no verão, além da exposição à radiação, é que acabamos passando mais tempo em piscinas e no mar. A água clorada e a água salgada também contribuem para o ressecamento da pele, aumentam a produção de sebo e agravam os quadros de oleosidade. Por isso, além da proteção solar, é importante tomar uma ducha de água doce e hidratar a pele após sair da praia ou da piscina”, completa. “O ideal é lavar o rosto com sabonete adequado, manter a pele limpa e utilizar filtros solares com base aquosa ou em gel, propícios para diminuir ou controlar a oleosidade.

Pele seca e irritada:  O ar quente e úmido, além do sol, piscina, mar e ar condicionado podem deixar a pele seca e irritada. O Dr. Jardis recomenda a utilização de hidratantes poderosos com ácido hialurônico e o fotoprotetor de amplo espectro, com FPS 30 (no mínimo) e resistente à água; além disso, é recomendável tomar banhos em água morna (não quente) e evitar sobrecarregar seu rosto com produtos desnecessários ou com várias camadas de maquiagem.

Foliculite: Cada pelo do nosso corpo cresce em uma abertura chamada folículo. Quando os folículos infeccionam, ocorre a foliculite. Os folículos capilares infectados assemelham-se às espinhas, porém tendem a apresentar coceira e sensibilidade. “Para evitar o problema, procure esfoliar a pele três dias antes da depilação, pois isso remove as células mortas da derme e ajuda o processo depilatório, minimizando o risco de infecção. Em dias muito quentes e úmidos, utilize roupas leves e folgadas. Além disso, fique longe de piscinas e banheiras de hidromassagem se não tiver certeza que os níveis de ácido e cloro estão adequadamente controlados”, recomenda o Dr. Jardis.

Melasma: “São manchas acastanhadas, planas e lisas, de causa desconhecida, que aparecem em áreas expostas ao sol, principalmente no rosto, mas que também podem acometer outras regiões do corpo. Para evitar o aparecimento das manchas, seja em dias de exposição solar excessiva ou no dia a dia, é indispensável aplicar o protetor com um FPS de pelo menos 30 diariamente, principalmente nas regiões mais expostas do corpo, como o rosto e braços.”

Queimadura de sol: A queimadura solar é o dano causado através da radiação ultravioleta (UV) que, geralmente, aparece dentro de poucas horas após exposição excessiva à luz solar ou de origem artificial (como câmaras de bronzeamento). Os sintomas imediatos são as queimaduras, variando do eritema (vermelhão) até a formação de bolhas. Em caso de febre, calafrios e dor de cabeça, procure imediatamente um médico, pois estes sinais podem indicar insolação. “Para evitar, utilize um fotoprotetor com FPS de 30, de modo que seja aplicado antes da exposição solar e reaplicado a cada duas horas. É necessário, além disso, reaplicar o produto sempre que houver excesso de suor, ou após o contato com a água”, afirma o Dr. Jardis, que ressalta que, no verão, o recomendado é evitar o sol do período entre às 10 e 16h.

Erupção de calor: Ocorre quando as glândulas sudoríparas da pele são bloqueadas e o suor produzido não consegue evaporar. Isso causa uma inflamação que resulta em erupção. Os sintomas incluem inchaços vermelhos na pele e sensação de coceira. “A erupção de calor pode ser evitada vestindo-se roupas adequadas para dias quentes e úmidos, de preferência largas e leves. A utilização do ar condicionado e do ventilador também ajudam a prevenir o problema, pois fazem o ar circular”, afirma.

Alergia ao sol: A alergia ao sol é uma reação exagerada do sistema imune aos raios solares que provoca uma reação inflamatória nas regiões mais expostas ao sol como braços, mãos, região do decote e rosto, causando sintomas como vermelhidão, coceira e bolinhas brancas ou avermelhadas na pele. Em casos mais graves e raros, essa reação pode até surgir na pele coberta pela roupa. “O diagnóstico da alergia, assim como a indicação do tratamento, deve ser feito por um dermatologista, através da observação dos sintomas e da avaliação do histórico do paciente”, finaliza o Dr. Jardis Volpe.

Micoses e brotoejas

O médico pediatra Gentil Alves, diretor de Relações com o Mercado da Amparo Saúde, também alerta que a exposição ao sol, areia, praia e piscina combinados com o excesso de suor elevam o risco de algumas doenças de pele, como micoses e brotoejas.

As micoses são infecções causadas por fungos, que atingem a pele, unhas e cabelos. A doença pode atingir crianças, jovens, adultos e idosos. Vale lembrar que a melhor forma de evitar a proliferação do fungo é manter a pele limpa e seca, sem contato direto com o chão ou locais sujos”, ressalta.

Já as brotoejas são pequenas bolinhas avermelhadas ou bolhas esbranquiçadas, que podem ou não apresentar coceira. A doença é muito comum em bebês, mas pode aparecer em crianças e adultos. A melhor forma de evitar o problema é usar roupas leves e soltas, além de manter a pele seca.

dicas para manter a pele saudável

• Manter a pele limpa e hidratada

Tomar, pelo menos, dois banhos por dia e manter a pele livre de suor e poluição. Procure manter as partes secas do corpo hidratadas com creme ou óleos de pele. Dê preferência sempre por água morna, banhos muito quentes ressecam ainda mais a pele

• Usar protetor solar diariamente

Manter a aplicação do protetor solar todos os dias, com reforço de 3 em 3 horas, independente de exposição direta ao sol, pois a luz branca também pode agredir a pele.

• Evitar a exposição direta ao sol

Evite exposição direta ao sol durante as horas mais quentes do dia, entre as 10 e as 16 horas.

• Não se depilar no dia de tomar sol

Os pelos têm a função de proteger a pele, mas ainda geram incômodo em mulheres e homens. No verão, um cuidado importante é fazer a depilação com pelo menos 48 horas de antecedência, para evitar a aparição de manchas escuras.

• Tomar banho de água doce quando sair da água salgada

A água salgada causa irritação, secura e fissuras que podem propiciar a entrada de microorganismos na pele. Por isso, é importante lavar a pele com água doce para retirar o sal e a areia.

• Evitar tratamentos de pele no verão

Evitar tratamentos a laser e produtos químicos que deixam a pele sensível e exposta. A esfoliação é importante para eliminar as células mortas, mas deve ser feita com cuidado e apenas uma vez por semana.

• Manter alimentação com carotenoides, alimentos ricos em pigmentação

Ingerir alimentos que contêm carotenóides como cenoura, abóbora, mamão, maçã e beterraba, mantém a pele saudável e parecem ter efeito preventivo sobre o aparecimento do câncer de pele.

• Beber bastante água

Para evitar a desidratação que pode provocar intensas dores de cabeça, boca e pele seca, é importante beber cerca de dois a três litros de água por dia.

• Usar roupas de algodão e acessórios para proteção

Roupas mais confortáveis e leves podem evitar o suor em excesso e a irritação da pele. Bonés, chapéus e até mesmo roupas com proteção solar são bons acessórios para se proteger do sol.

• Evitar uso prolongado de roupas molhadas

Realizar sempre trocar de roupas ao dia, pois manter o traje úmida em contato com a pele por um longo período pode propiciar a proliferação de fungos e bactérias, gerando doenças.

Como manter a pele limpa, seca e hidratada

Na temporada de calor, a intensidade dos raios solares aumenta e, com isso, nossa pele acaba ficando mais oleosa, fazendo com que o desconforto de muitas pessoas aumente. Se esse é o seu caso, não se desespere. Segundo a esteticista Ângela Coelho, existem algumas dicas que podem te ajudar a manter sua pele sempre limpa e seca, sem perder a hidratação.

1 – Higienize e hidrate sua pele!

Para manter sua pele limpa e livre de impurezas, lave o rosto pelo menos duas vezes ao dia, pela manhã e à noite, com água morna ou fria. Use produtos que condizem com o seu tipo de pele. Depois de limpar a pele, você pode tonificá-la e hidratá-la. Sim, a pele oleosa precisa ser hidratada, já que a oleosidade não é sinônimo de hidratação e, por isso, é indispensável usar hidratantes próprios para o seu tipo de pele.

2 – Produtos em GEL ajudam a diminuir a oleosidade

Produtos com base em gel costumam ser livres de óleos e possuem uma textura mais fina e seca, penetrando com mais facilidade na pele. Isso deixa o toque mais seco e, é claro, a pele menos oleosa.

3 – Hidrate-se de dentro para fora.

A falta de hidratação aumenta a produção de lipídeos, logo, beber água é essencial para hidratação da nossa pele, além de fornecer nutrientes essenciais para as células.

4 – Aposte nos filtros solares Oil-free ou toque seco.

O filtro solar deve ser usado durante todo o ano, mas no verão esse hábito é essencial. Os produtos oil-free ou toque seco contém ativos que ajudam a reduzir a produção de sebo evitando aquele brilho indesejado no rosto.

5 – Evite banhos muitos quentes.

O banho ideal é de morno para frio, já que a água quente pode deixar a pele mais desidratada. A consequência disso é que para voltar essa hidratação, nosso corpo aumenta a produção sebácea, deixando a nossa pele ainda mais oleosa.

6 – Faça limpeza de pele.

O aumento das temperaturas, a exposição ao sol e à agentes externos tais como a poluição, faz aumentar nossa produção de oleosidade, gerando cravos e espinhas. O ideal é que você procure um especialista para avaliar o seu caso e fazer uma limpeza profunda da pele.

7 – A argila verde pode ser sua melhor amiga.

A argila verde é ótima para peles oleosas e com acne, já que ela tem ação adstringente, esfoliante e secativa, o que ajuda a combater todos esses problemas.

Para finalizar, a especialista lembra que a oleosidade é normal, ainda mais nesse período. Porém, além desses cuidados, a consulta a um especialista faz toda a diferença. “Não podemos esquecer que a oleosidade é um processo de proteção normal da nossa pele, e tem uma função importante. Com alguns cuidados, o excesso de oleosidade pode ser controlado. O indicado é que você procure sempre um especialista para avaliar o seu tipo de pele e os melhores tratamentos para o seu casa”, alerta Ângela.

Com Assessorias

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais