Corrida para o verão: confira os cuidados ao realizar um procedimento estético

Cirurgião plástico Lucho Montellano tira as principais dúvidas, fala de cuidados e nova técnica aliada da lipoaspiração

Redação
Cirurgia plástica corrige flacidez da pele do rosto (Foto: Divulgação)

Lucho Montellano*

Falta menos de uma semana para o começo do verão e nesta época é muito comum que o movimento aumente no consultório. Uma pesquisa recente, da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética, mostrou que o Brasil lidera o ranking de países que mais realizam cirurgias plásticas no mundo e, agora, essa demanda é ainda maior, já que muitas pessoas entram de férias e têm uma renda extra devido ao 13º.

Mas, antes de escolher um procedimento, é preciso ter consciência de que este é um período que necessita de mais cuidados, principalmente com o sol. Isso porque ele pode deixar manchas na pele e nas cicatrizes. Nesta época, vemos muita gente aproveitando o clima ensolarado para ir à praia, o que também é desaconselhado por nós, especialistas. Sempre recomendo que o (a) paciente fique um tempo sem banhos de mar ou piscina, claro que isso varia de acordo com a operação que foi feita.

É importante ressaltar também que alguns cuidados pós-operatórios podem se tornar mais incômodos durante o verão, como utilizar a cinta modeladora, indicada após muitas cirurgias plásticas. Vale lembrar que é preciso evitar esforços físicos logo após os procedimentos. E é fundamental que o paciente leve tudo isso em conta, assim, as chances de sucesso são ainda maiores.

As cirurgias plásticas mais procuradas no verão são as que visam melhora do contorno corporal. Afinal, é comum que, nesta época, o corpo fique mais à mostra. Por isso, vemos um crescimento significativo de cirurgias como a mamoplastia, lipoaspiração e abdominoplastia.

Conheça as dúvidas mais comuns

Lucho Mantellone

Na hora de escolher o procedimento estético ideal, muitas dúvidas aparecem. Quando fazer, idade para começar, quanto tempo dura, e entre outras questões. O importante nesse momento é fazer todo esse acompanhamento e buscar esclarecimentos com um bom cirurgião plástico. Abaixo, algumas perguntas que costumamos ouvir dos pacientes em consultório:

1- Quem amamenta pode colocar prótese mamária?
Não. A prótese só pode ser colocada seis meses após o fim da amamentação.

2- De quanto em quanto tempo tenho que trocar minha prótese mamária?
Hoje, com as novas tecnologias temos materiais melhores e mais resistentes, que não precisam de troca e/ou manutenção, porém, os pacientes devem fazer exames anuais para verificar se a prótese está íntegra e não há complicações como encapsulamento ou ruptura que seriam motivos para uma nova cirurgia.

3- Obesos podem fazer lipoaspiração?
Embora tenhamos muitas tecnologias para a retirada de gordura, eu não aconselho um paciente obeso a fazer o procedimento, pois a lipo é indicada para reduzir gordura localizada e não para o emagrecimento.

4- Depois de quanto tempo preciso fazer uma nova aplicação de botox?
O botox é um procedimento pouco invasivo, por isso, se tornou um sucesso e é um dos queridinhos no consultório. Esta inclusive é uma das perguntas que mais me fazem e isso é relativo. Hoje, a toxina dura em média cinco a seis meses.

5- Dá para resolver o aspecto do olhar cansado?
Sim. Temos alguns procedimentos usados nesses casos, um deles é a blefaroplastia, que é o tratamento do excesso de pele nas pálpebras e das bolsas de gordura, retirando o aspecto de cansaço.

Nova tecnologia é aliada da lipoaspiração no contorno corporal

Para aqueles que querem se preparar para os meses de sol, a nova tendência é o Renuvion J-Plasma, que promete revolucionar a cirurgia plástica com tratamento avançado para a flacidez da pele. Lançada mundialmente em 2018, a tecnologia foi liberada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para ser utilizada no Brasil em agosto deste ano.

O equipamento estimula a retração da pele em 30% a até 80%. Além de não ser dolorido nem fazer marcas, após uma única sessão já é possível ver uma melhora de 50% a 60% na flacidez e no aspecto geral da pele. Geralmente, uma ou duas sessões já são suficientes. Mas o procedimento é individual e cada pessoa deve passar por uma avaliação para que o médico defina qual grau de flacidez existe no paciente.

O Renuvion foi produzido a partir de pesquisas científicas e aprimora o resultado da lipoaspiração, além de tratar a tão indesejada flacidez. Após a lipoaspiração, uma ferramenta descartável é introduzida embaixo da pele e libera gás hélio e radiofrequência. Isso cria um fluxo de energia que contrai os tecidos da pele, tencionando e retraindo-os.

Ele pode ser feito como um procedimento independente ou usado em combinação com a lipoaspiração, proporcionando um resultado melhor para a lipo, e pode ser feito nos braços, coxas, abdômen, costas e papada. E o valor vai depender de cada caso e da área a ser tratada.

A recuperação se assemelha à da lipoaspiração, com retorno às atividades entre 7 e 15 dias. O resultado depende principalmente da qualidade da pele e da quantidade de colágeno do paciente. Como em outros procedimentos estéticos, é indicado para pessoas a partir dos 18 anos de idade. Antes disso, não é comum a pele ter flacidez significativa que necessite de tratamento.

Outro ponto muito importante a destacar é que, na hora de escolher um procedimento estético, como o uso do J-Plasma, é imprescindível procurar um bom cirurgião, um profissional que vai conseguir amparar o paciente durante todo o processo.

*Lucho Montellano é cirurgião plástico, formado em Medicina pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) e pós-graduado em Cirurgia Plástica pelo Instituto Ivo Pitanguy (PUC-RJ). É especializado em cirurgia geral pela Décima Terceira Enfermaria da Santa Casa de Misericórdia do Rio de Janeiro, um serviço credenciado pelo Colégio Brasileiro de Cirurgiões.

In the news
Leia Mais