Como prevenir e tratar cáries durante a pandemia

Cirurgiã-dentista e farmacêutica esclarece qual o caminho que o paciente deve seguir caso tenha problemas com a saúde bucal

Redação

Os atendimentos odontológicos são essenciais para a saúde da boca pois são importantes para enfrentar qualquer doença no corpo, sejam crônicas ou agudas como o COVID-19. Com a presença do coronavírus no Brasil, a primeira orientação médica para o paciente que venha a ter uma dor insuportável no dente, seria entrar em contato direto com o dentista de confiança. As recomendações iniciais para redução da dor de como e quando definir ir a uma consulta devem estar de acordo com o protocolo da OMS – Organização Mundial da Saúde, do Ministério da Saúde e do Conselho Federal de Odontologia.

Segundo Regiane Marton, cirurgiã-dentista, farmacêutica e diretora na ABIMO (Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos, Odontológicos, Hospitalares e de Laboratórios). “A avaliação junto ao dentista da família e o custo benefício do atendimento clínico nesse período é determinante na fase em que estamos vivendo. Sempre, com os devidos cuidados e protocolos de segurança, a população em geral pode estar fortalecida e com a saúde bucal em dia para enfrentar situações adversas. Por isso, é muito importante conversar com o seu dentista caso haja um problema com a cavidade bucal.”, esclarece uma das organizadoras da campanha “Sorrir Muda Tudo”.

O primeiro passo é entrar em contato com o dentista de confiança, que por meio de uma conversa ao telefone, tenha uma noção do que está acontecendo com o paciente para fazer as primeiras orientações. No caso de necessidade de consulta, protocolos de segurança de atendimento em época de COVID-19 devem ser adotados para paciente e dentista. Por isso, é muito importante que além da higienização das mãos frequente, o paciente esteja atento aos sinais de doença na boca como sangramento na gengiva, aftas que não doem ou demoram a desaparecer, manchas na mucosa, dentes com mobilidade ou fraturados.

Alimentação e vida saudável também estão ligadas a saúde geral do corpo, inclusive a boca. Quando esses fatores de saúde não são rotina de um paciente, a melhor forma de lidar é a visita com maior regularidade ao dentista, para limpeza profissional, avaliação dos dentes e todos os tecidos moles da boca (gengiva, língua, bochechas e palato), assim como os devidos tratamentos clínicos para a manutenção de uma boca saudável.

“O auto exame da boca é um ato de cuidado muito importante, e muitas vezes o paciente esquece de verificar simples sinais no dia a dia. Além disso, se estiver com alguma emergência, ele precisa buscar ajuda imediata, mesmo os que fazem higiene oral diária, tem alimentação saudável e saúde em dia. É recomendável que a população visite um cirurgião-dentista a cada seis meses. Para os pacientes com saúde debilitada, que tem alimentação não saudável, higiene oral precária, o ideal é visitar com frequência menor, de pelo menos de três em três meses, ou em caso de alguma intercorrência, como sangramento gengival, fratura do dente, mau hálito e outros sintomas.”, afirma Regiane Marton, cirurgiã-dentista e farmacêutica, CEO da Kulzer Brasil e diretora na ABIMO.

Uma alerta importante nesse período de pandemia é o cuidado que o paciente com doenças crônicas deve ter em caso de dor no dente ou outras situações de emergências já citadas. Em geral, são grupo de risco para o Covid-19, portanto, as recomendações são comunicar o dentista sobre os sintomas para que possa ser orientado sobre a melhor conduta. Em alguns casos é possível fazer orientações por telefone ao paciente, em outros a consulta presencial é necessária, mas somente o dentista tem capacitação para diferenciar essas situações e recomendar o que deve ser feito.

No caso da consulta presencial ser necessária, um protocolo de biossegurança rigoroso deverá ser adotado tanto para o atendimento clinico, quanto para garantir a segurança do profissional, do paciente em si e outros pacientes. Nunca deixe de informar seu dentista, antes de ir ao consultório, se houver sintomas de COVID-19, pois neste caso o isolamento social é recomendado, assim como é imprescindível que os pacientes com doenças crônicas tenham a saúde bucal em dia. Dor de dente é um sinal importante, que deve ser avaliado por um dentista.

Guia da saúde bucal: cuidados importantes para a população na quarentena

  1. Ao longo da vida, a limpeza e cuidados diários com os dentes como escovação, uso do fio dental e consumo de alimentos saudáveis são elementares como forma de prevenção. A visita regular ao dentista se faz necessária para manter uma avaliação clínica, prevenção e reabilitação em alguns casos mais graves.
  2. Caso o paciente esteja com o COVID-19, a higienização bucal é essencial pois há o comprometimento do sistema respiratório. A falta de higiene pode promover a proliferação de bactérias na boca, nos dentes e gengivas, que pode agravar o quadro de doenças respiratórias.
  3. As doenças crônicas que mais afetam a saúde bucal são o diabetes, cardiopatias, doenças respiratórias, doenças do sistema digestivo e depressão. Todas podem afetar a boca ou serem agravadas por doenças na boca.
  4. Se o paciente estiver no hospital tratando o coronavírus, as melhores práticas para garantir que a saúde bucal não afete tanto a saúde do corpo são a higiene bucal rígida e com regularidade assídua. Verificação de possíveis sinais de falta de saúde bucal (sangramento de gengiva, amolecimento de dentes, aftas que não doem e estão na boca há algum tempo) e a solicitação de um dentista imediato para avaliação e possível tratamento no hospital.
  5. A COVID-19 afeta as vias respiratórias, sistema do qual a boca faz parte. Há relatos na literatura de que mudança de paladar e falta de olfato podem ser sintomas de COVID-19, além de casos mais severos onde há necessidade de intubação no hospital pode ocasionar traumas de variados tipos na boca. Por isso, é muito importante ter a boca saudável.
  6. A recomendação paliativa caso o paciente chegue ao hospital com algum tipo de ferimento na boca é fazer uma consulta com um especialista na área de traumatologia orofacial para avaliação ou outro cirurgião dentista que faça parte do corpo clinico do hospital. Em casos extremos o paciente ou acompanhante podem solicitar uma visita do cirurgião-dentista de confiança para situações de emergência, onde não é possível esperar para o atendimento posterior em consultório.
  7. Se a criança ou adulto fraturou o dente, o ideal em casos de urgências ou emergência é entrar em contato com cirurgião-dentista imediatamente para receber orientações de como proceder. Por telefone é possível realizar as primeiras orientações e definir a necessidade ou não de uma consulta presencial. Lembrando sempre de seguir todos os protocolos de atendimento em época de COVID-19.

Uma das formas mais importantes no combate ao coronavírus sem dúvida nenhuma é a higiene geral que deve ser realizada diariamente. Na contenção contra a disseminação do vírus no mundo, infectologistas, pneumologistas, cientistas e especialistas em saúde pública recomendam o isolamento social, além da importância de lavar as mãos a cada contato com o mundo externo. Mas, vale lembrar que segundo os cirurgiões-dentistas, o maior índice de contaminação também chega através da boca.

A campanha Sorrir Muda Tudo e a ABIMO (Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos e Odontológicos), fazem um alerta muito importante. Cuidar da higiene bucal é imprescindível, pois evita problemas sérios aos pacientes que tem doenças crônicas como diabetes, hipertensão, colesterol alto, DPCO (Doença pulmonar obstrutiva crônica), Asma, Osteoporose, Derrame Cerebral, Câncer, Mal de Parkinson, Doença de Alzheimer entre outras.

“É necessário que a população compreenda que a saúde bucal é crucial na manutenção da saúde integral e na qualidade de vida, pois está intimamente ligada à saúde do corpo. Além disso, a boca é a maior cavidade do corpo a ter contato direto com o meio ambiente, sendo a porta de entrada para bactérias e outros microrganismos prejudiciais à saúde”, afirma Rejane Dias, Gerente de Marketing da ABIMO.

Por outro lado, a conexão entre a saúde bucal e o bem-estar geral das pessoas são fundamentais para evitar complicações futuras caso exista diagnóstico positivo de COVID-19. O Presidente da ABO SP (Associação Brasileira de Odontologia), cirurgião-dentista, conselheiro e apoiador da campanha Sorrir Muda Tudo, Dr. Mário Cappellette Junior afirma: “Conscientizar todos os cidadãos sobre os fatores de risco e promover bons hábitos de higiene oral são necessários neste momento de isolamento social no Brasil.  A boca desempenha importantes funções que repercutem na saúde do organismo como um todo e muitos não sabem disso por pura falta de informação. Uma boa higiene bucal diminui o risco de problemas bucais e dentários”.

Dicas importantes sobre a saúde bucal

  • Lavar as mãos é o primeiro passo básico para iniciar uma excelente higienização. Nunca começar a escovação dos dentes sem esse procedimento básico, que é universal no sistema de saúde mundial.
  • No ritual diário de higiene bucal, recomendamos escovar os dentes pelo menos três vezes ao dia, após as principais refeições (café da manhã, almoço e jantar), principalmente antes de dormir, pois durante o sono o fluxo salivar diminui, deixando a boca mais seca.
  • Se puder, utilizar fio dental toda vez que for escovar os dentes, antes da escovação. Isso evita que restos alimentares se aglomerem entre os dentes.
  • Higienizar a língua e massagear a gengiva juntamente com a escovação dentária de praxe.
  • Usar sempre um enxaguante bucal para auxiliar na limpeza da boca após a escovação. Utilizar conforme orientação do cirurgião-dentista, sempre que for necessário.
  • Um visita periódica ao cirurgião-dentista a cada 6 meses é o ideal. Lembre que a boca é um dos maiores órgãos de contaminação por bactérias.
  • Fazer tratamento imediato de qualquer lesão dentária ou em tecidos moles bucais como: lesões, manchas, placas esbranquiçadas ou pequenos machucados. Isso evita problemas futuros e um diagnóstico e acompanhamento ao cirurgião-dentista.
  • Manter alimentação saudável, evitando alimentos que facilitam o surgimento de cáries como a ingestão de sucos ácidos, alimentos processados, refinados ou em forma de carboidratos.
  • É muito importante escolher adequadamente os produtos de higiene pessoal. Indicamos o uso de escovas com cerdas macias e a cabeça adequada ao tamanho bucal para que se alcance todas as estruturas bucais. Um creme dental com flúor e baixa abrasividade para evitar desgaste do esmalte e enxaguante bucal.
  • Se tiver alguma emergência, recomendamos que acesse o cirurgião-dentista por telefone. Caso contrário, fique em casa em isolamento e siga as recomendações do Ministério da Saúde e da OMS – Organização Mundial da Saúde.

Campanha Sorrir Muda Tudo

No final de outubro de 2019, foi realizado o lançamento da campanha “Sorrir Muda Tudo”, encabeçada pela ABIMO(Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos, Odontológicos, Hospitalares e de Laboratórios) com apoio das principais entidades e indústrias do setor. A ação visa conscientizar a população sobre a importância da saúde bucal e a ampla valorização da odontologia no Brasil. Com previsão de oito meses de duração nesta primeira onda, a campanha se baseou em três pilares: engajamento por meio de influenciadores, histórias reais de transformação da saúde pela odontologia e a relação da saúde bucal com a saúde geral.

“Percebemos ao longo dos anos que foi necessário unir as pontas entre médicos e cirurgiões-dentistas, e reintegrar a boca nos cuidados com a saúde, por isso trabalhamos com afinco na campanha “Sorrir Muda Tudo”, afirma Paulo Henrique Fraccaro, diretor superintendente da ABIMO. “Queríamos alertar as pessoas para que elas fossem os principais agentes dessa transformação de saúde integrativa, que trata o indivíduo como um todo e não mais avaliando doenças ou órgãos isolados como se tudo não se relacionasse”.

De outubro a março, quase 6 milhões de pessoas foram alcançadas diretamente pela campanha “Sorrir Muda Tudo”. Os influenciadores alcançaram 200 mil pessoas e as histórias reais tiveram 180 mil visualizações aproximadamente. “Pelos comentários que temos recebido, percebemos que conseguimos atingir nosso objetivo, de atrair a população de maneira diversa, independente de nível sócio-econômico, formação educacional, gênero ou idade”, conta Rejane Dias, gerente de marketing da Abimo.

A cada mês, a campanha Sorrir Muda Tudo abordou um tema específico de correlação da saúde bucal com a saúde geral. Especialistas médicos e odontológicos foram convidados a falar sobre os temas. Para atrair a população em geral, temas associados às questões de saúde foram trabalhados mensalmente. Em função do isolamento domiciliar, a ação de ativação na Paulista foi cancelada mas o Março Brilhante ganhou uma relevância ainda maior, que se estendeu até abril.

Sorrir Muda Tudo é uma ação que visa propagar a mensagem da  importância  e o cuidado com a saúde bucal para a saúde como um todo. Nesse projeto, estão agregadas outras instituições e associações ao movimento de conscientização e valorização da saúde bucal. São eles: APCD (Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas), ABCD (Associação Brasileira de Cirurgiões-Dentistas), ABO (Associação Brasileira de Odontologia), CFO (Conselho Federal de Odontologia) e CROSP (Conselho Regional de Odontologia de São Paulo). A campanha conta ainda com o patrocínio das empresas Morelli, Neodent, Colgate, Dental Cremer, Dentsply Sirona, Dental Speed, Conexão Digital Implant e S.I.N. Implant System.