Com mais de 6,6 mil mortes, Rio flexibiliza isolamento social

Estado libera jogos de futebol e o funcionamento de bares, restaurantes e shoppings. Mas são as prefeituras que vão determinar como e quando vão aderir

Redação

Começaram a valer neste sábado (6) as medidas de flexibilização do isolamento social no Estado do Rio de Janeiro. O decreto assinado pelo governador Wilson Witzel autorizando  a reabertura de vários setores da economia depende, no entanto, das prefeituras. No Rio, clientes ficaram confusos com estabelecimentos fechados. As cidades podem decidir se vão aderir ou não as regras do estado.

O prefeito do Rio, Marcello Crivella, disse que o decreto liberando jogos de futebol e o funcionamento de bares, restaurantes e shoppings traz ‘insegurança jurídica’ e cria dúvidas para a população. Segundo Crivella, as regras apresentadas pelo estado são apenas orientações e que somente a prefeitura pode determinar a reabertura desses setores.

De acordo com registro, na cidade do Rio de Janeiro nada muda. Marcelo Marques, procurador geral do município, afirmou que com a declaração do governo de que as cidades podem decidir se seguem ou não a determinação da administração estadual, deixa de haver conflito de competências.

Apesar da expectativa gerada pelo decreto do governador Wilson Witzel, permitindo a volta dos jogos de futebol no estado, a reunião do Conselho Arbitral do Campeonato Estadual deste sábado não deliberou sobre uma nova data para a volta da competição. Uma nova reunião deverá ser convocada para definir um calendário para a retomada do torneio.

O estado do Rio tem 166 novos óbitos em decorrência da Covid-19. A atualização do painel da Secretaria de Estado de Saúde mostra que, desde o início da pandemia, 6.639 fluminenses morreram por causa da doença. em 24 horas, foram registrados 1.467 novos diagnósticos positivos para o novo coronavírus. No total, são 64.533 casos da doença, com 48.783 pessoas já recuperadas.

Pacientes aguardam retorno de atendimentos e cirurgias eletivas. Por conta da pandemia do coronavírus, em março o governo do estado e a prefeitura do Rio suspenderam por decreto as cirurgias e consultas eletivas na rede pública, exceto as oncológicas e cardiológicas e os exames de pré natal. A SES não informou se tem uma data para retorno.

A justiça do Rio proibiu a reabertura das escolas estaduais na próxima semana para distribuição de merenda. No texto, o juiz afirma que o decreto do governo cria sérios e desnecessários riscos à saúde pública. A secretaria estadual de Educação disse que os diretores dos colégios vão consultar pais, responsáveis e alunos para definir como vai ser a distribuição de alimentos nas unidades de ensino.

 

In the news
Leia Mais