Crianças também podem consumir bebidas energéticas?

Nutricionista explica os benefícios do consumo da cafeína, taurina e vitaminas B6 e B12 presentes na bebida, mas não recomenda o uso pelo público infantil

Rosayne Macedo
energético

Alexandra Marinho nutricionista

Na Alemanha, as pessoas trocam um café da manhã na padaria por uma lata de energético. E aqui no Brasil, o que se diria desse hábito? Para a nutricionista Alexandra Marinho (foto), as principais vantagens da bebida estão especialmente na presença de cafeína e taurina, que são importantes fontes de energia, e nas vitaminas B6 e B12,  ideais para repor as energias de quem pratica muita atividade física.

“A reposição energética é muito eficiente quando o corpo e mente estão fadigados. Mas é preciso atentar-se para as quantidades de carboidratos e sódio que são expressivos nesse tipo de bebida. Já as fibras podem ser insuficientes”, adverte. Segundo ela, a taurina é um excelente nutriente para trabalhar a melhoria do foco, concentração e memória das crianças e adolescentes. No entanto, qualquer tipo de suplementação ou complementação de vitaminas e minerais para o público infantil deve ser individualizado, personalizado.

“Não sou a favor de bebidas energéticas para as crianças por achar desnecessário e também relacionar seu uso com possíveis casos de aumento da obesidade infantil. Para o público infantil eu não recomendo, embora a açúcar extraído da beterraba (como ocorre na fórmula orgânica do Vrauu, por exemplo) seja muito melhor que o refinado. Indico a beterraba para crianças depois de dois anos que precisam adoçar e não aceitam outros tipos de açúcar”, destaca.

Vitaminas B6 e B12: benefícios para a pele, TPM e até depressão

A presença das vitaminas B6 e B12 também é um benefício dos energéticos, na avaliação da nutricionista. Isso quer dizer que ajuda a manter o metabolismo em ordem ocasionando outros tantos benefícios, desde a pele até a saúde ocular, sem falar no aumento do nível de energia.

Uma das funções da vitamina B6 é fazer a hemoglobina transportar oxigênio aos glóbulos vermelhos, A vitamina B6 ativa as funções principais do ser humano (movimento, memória, queima de energia e fluxo sanguineo)”, explica.

Melhoria da saúde cerebral, combate aos sintomas da artrite, alívio nos sintomas da TPM, melhora do humor e manutenção dos vasos sanguíneos saudáveis são algumas de suas vantagens. Já a vitamina B12, aponta a especialista, é indispensável ao corpo humano. “Se mantida em taxas baixas pode afetar suas funções cognitivas. Portanto, a carência dessa vitamina pode causar problemas gravíssimos que vai desde o cansaço até a morte passando por perda de memória e demência”, alerta.

Ainda segundo ela, depressão e estresse estão no cardápio de quem não faz uma autoavaliação. “Os sintomas da falta de vitamina B12 são diversos. Cansaço excessivo, dores musculares e nas articulações, tontura, incapacidade de concentração, mudanças de humor palpitações cardíacas, saúde bucal comprometida, problemas digestivos e falta de apetite requerem observações”, ressalta Alexandra.

Manutenção dos níveis de energia, prevenção de perda de memória, anemia e câncer, melhora do humor, saúde do coração, da pele e cabelo, ativa para uma boa digestão e gravidez saudável são algumas das vantagens da vitamina B12.

Energético orgânico usa açúcar da beterraba

Ronaldo Gaúcho foi o garoto propaganda de marca de energético importada da Áustria (Foto: Divulgação)

A tendência mundial pelo consumo de produtos orgânicos saudáveis é uma realidade crescente até 2013. O segmento deve atingir faturamento de 15% entre 2018 e 2021. De acordo com o fabricante, a proposta de produzir o Vrauu – um produto premium importado da Áustria – vai ao encontro dessa tendência mundial de consumo de orgânicos.

Por ser um produto importado e de identidade cultural europeia, o Vrauu usa o açúcar da beterraba. Essa prática acontece na Europa onde a cana-de-açúcar ficou para trás no século XIX. Dentre os componentes da fórmula, toda a matéria-prima é da Europa Central e a água, vinda dos Alpes Suíços, passa por um processo de filtragem sete vezes antes de misturar-se a outros componentes.

Além dessas características, o fabricante assegura que a bebida possui mais vitaminas B6 e B12 que os demais concorrentes. A composição de cafeína do produto possui quantidade inferior à uma xícara de café. Já a taurina, em formato pastoso, é adicionada à embalagem quatro horas antes do envasamento justamente para não correr o risco dela virar pó, e consequentemente, prejudicial à saúde.

A pedido de ViDA & Ação, ela avaliou o energético Vrauu, que considera “uma bebida com níveis nutricionais positivos”.

O sódio do produto é bem reduzido em comparação às marcas que eu conheço no mercado. É um ponto positivo, assim como a superioridade de vitaminas B6 e B12. As quantidades aplicadas na fórmula são interessantes. Faço uma ressalva quanto não ter fibra, o que não é bom, apesar do tipo de açúcar ser palatinose, o que, teoricamente, teria baixo índice glicêmico”, destaca.

A cafeína, embora reduzida na composição do produto, é estimulante em qualquer quantidade, e assim como as vitaminas, também precisam ser personalizadas. Quanto à quantidade de fibra para energéticos, creio que 1,5 grama é o ideal”, afirma a nutricionista Alexandra Marinho. Segundo ela, o Vrauu Energy Drink é um produto pensado para atletas e pessoas que praticam esportes com frequência.

Dica de consumo de energético consciente

Mas, afinal, qual é o consumo ideal de energético? Questionada por ViDA & Ação, Alexandra diz que “nunca leu nada sobre a restrição de consumo, mas acredita que 250 ml seja uma boa quantidade para quem precisa melhorar a energia, idosos e adolescentes. Ela ainda dá uma dica de consumo consciente:

Antes ou após uma sessão de treinamento esportivo, aeróbico, artístico, qualquer atividade que faça você suar. Outra sugestão, é consumir antes dos estudos porque o energético cria uma concentração maior e a energia ajuda no aprendizado”, destaca Alexandra. O energético pode ser consumido em diversos momentos. Para esse tipo de bebida também vale o chavão de que “tudo em excesso faz mal”.

Com apoio da assessoria da Vrauu

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.