Cristo veste a camisa para chamar atenção para vacinas

Iluminação especial marca ação do Movimento Vacina Brasil na véspera do Dia D da vacinação contra a influenza. Rio quer vacinar 4,8 milhões de pessoas

Redação
Cristo Redentor 'veste a camisa' de movimento pela vacinação (Foto: Reprodução/GloboNews)

Por meio de um de seus principais símbolos, o Rio de Janeiro veste a camisa do Movimento Vacina Brasil, para incentivar a população a não deixar de se imunizar corretamente contra várias doenças. O Cristo Redentor, um dos monumentos mais conhecidos mundialmente, foi iluminado na noite desta sexta-feira (3 de maio), com as principais cores da campanha lançada no início de abril para reverter o quadro de quedas das coberturas vacinais no país nos últimos anos.

Com o slogan “É mais proteção para todos”, a ação tem o objetivo de alertar a população sobre a importância de manter a caderneta de vacinação em dia e chamar o público prioritário para o dia “D” da Campanha Nacional de Vacinação contra a influenza, que acontece neste sábado (4), em mais de 36 mil postos de vacinação em todo o país. Até o dia 31 de maio deverão ser vacinadas, em todo o Brasil, 59,5 milhões de pessoas que integram o público-alvo.

No Estado do Rio, o objetivo é vacinar 4,8 milhões de pessoas e, para isso, foram recebidas mais de cinco milhões de doses da vacina. Cerca de 500 mil pessoas já receberam a dose no estado desde 10 de abril.  A SES espera atingir uma cobertura de 90% do público-alvo.

Em 2018, o Estado registrou 233 casos de influenza, com 30 mortes. Em 2019, houve três notificações da doença, sem registro de morte, de acordo com a Secretaria de Estado de Saúde. Segundo dados do Ministério da Saúde, até março deste ano foram notificados 232 casos de influenza e a morte de 50 pessoas no país.

Ação no Rio

Uma ação integrada entre o Ministério da Saúde, o Governo do Estado e o Município marcará o lançamento do Dia D de Vacinação contra a gripe no Rio de Janeiro neste sábado (4), com a presença do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, do secretário de Estado de Saúde, Edmar Santos, e da secretária municipal de Saúde, Ana Beatriz Busch.

A ação será em um posto de vacinação itinerante montado na praça Almirante Júlio de Noronha, no Forte do Leme, Zona Sul do Rio, e contará com mil doses disponíveis ao público-alvo da campanha. Estão programadas também atividades para crianças com brinquedo de cordas, Zé Gotinha, cachorros de busca dos Bombeiros, Programa Academia Carioca, entre outras ações.

O dia de mobilização é uma parceria do Ministério da Saúde com as secretarias estaduais e municipais de saúde e tem como objetivo reforçar a importância da vacinação desse grupo prioritário, pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

Também neste dia, será feita a projeção no prédio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fesp), na Avenida Paulista (SP). O prédio abriga a primeira Galeria de Arte Digital a céu aberto da América Latina.

Vacina em shopping da Ilha

De olho no período do inverno, o Ilha Plaza Shopping, em parceria com a Policlínica Newton Alves Cardozo, vai receber neste sábado, dia 4, uma equipe especial de vacinação no Dia D da campanha contra a gripe. Essa ação é totalmente gratuita e tem como objetivo imunizar crianças de 6 meses a menores de 5 anos, trabalhadores da área da saúde, gestantes, puérperas, idosos, portadores de doenças crônicas e professores.

Todas orientações e instruções serão repassadas pelos agentes de saúde das 10h às 17h, no piso L2, próximo à entrada principal do shopping. A iniciativa faz parte do projeto “Sou mais Ilha”,  criado pelo Shopping para promover a valorização do bairro através de serviços e entretenimento que são oferecidos de forma gratuita para os moradores insulanos.

Quem pode tomar a vacina?

As pessoas que fazem parte do grupo prioritário devem procurar os postos de saúde para serem vacinadas gratuitamente. São elas:

Crianças de 6 meses a 5 anos de idade;

Gestantes; puérperas, isto é, mães que deram à luz há menos de 45 dias;

Idosos;

Profissionais de saúde, professores da rede pública ou privada, portadores de doenças crônicas, povos indígenas e pessoas privadas de liberdade.

Portadores de doenças crônicas (HIV, por exemplo) que fazem acompanhamento pelo SUS também têm direito à vacinação gratuita.

Não são apenas as pessoas acima que podem tomar a vacina. Qualquer pessoa pode tomar, mesmo sem fazer parte dessas categorias. Para isso, precisa adquirir a vacina contra a gripe na rede privada por cerca de R$ 100 a 150.

A única contra-indicação é para pessoas alérgicas a algum componente da vacina, como a clara de ovos, usada na fabricação. Inclusive quem já está doente pode tomar a vacina contra gripe, mas os médicos costumam indicar que a pessoa não tome enquanto tiver febre.

Da Redação, com Assessorias

 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.