‘O fundo do poço tem mola e é possível retomar a vida normal’

Professora de 49 anos conta como mortes de familiares deflagraram episódios de tristeza que culminaram em crises de depressão

Falante, divertida e sempre cercada de amigos. Era assim que a professora Georgia Santos, hoje com 49 anos, sempre viveu. Até se deparar com um mal que, inexplicavelmente, passou a consumi-la. Foram duas grandes crises: a primeira, há 20 anos, quando perdeu o irmão assassinado. E a segunda, quando os tios faleceram, há sete anos.

Confira a história de Georgia e como ela conseguiu se recuperar, com apoio da família, de medicamentos e de terapia.

Ela vem chegando sorrateiramente e até dá alguns sinais de que algo não vai muito bem com a sua alma, o seu coração e sua cabeça. Normalmente algum acontecimento trágico, uma separação, uma morte, a perda de um emprego a antecede. Mas nem sempre é assim. Às vezes ela surge sem motivo aparente mesmo.

No meu caso, as duas vezes em que a doença se apossou de mim (acho que a palavra é essa mesmo porque parece que algo muito ruim te invade e você não tem forças para lutar), com intervalo de 13 anos mais ou menos, foram por causa da morte de parentes.

A primeira, o meu único irmão, assassinado aos 32 anos, em 1997, e depois meus dois tios em menos de um mês, em 2010. Você pensa que se trata apenas de uma tristeza profunda e que tudo vai melhorar, mas acaba que tudo só piora.

As coisas que te davam imenso prazer como passear, sair com os amigos, trabalhar, ir ao cinema, passam a não ter o menor valor. Você se esconde num buraco sem fundo e os pensamentos negativos não te largam o dia inteiro.

Quem me conhece sabe o quanto sou alegre, gulosa e extrovertida. Nem chocolate eu comia. Emagreci 16 quilos em um mês e fui ficando cada vez mais triste, mais cabisbaixa e me fechei num mundinho sombrio.

De ‘rueira’ e tagarela que eu era passei a ficar 12 horas na cama, dormindo ou com pensamentos ruins, sem contar que a minha voz não era mais ouvida por ninguém.

Por sorte tenho uma mãe maravilhosa que foi primordial para que eu saísse do ostracismo em que me coloquei. E é bom saber que com a ajuda da família, de medicamentos e de terapia é possível superar (controlar) essa doença que não é brincadeira e atinge milhões de pessoas que se chama depressão.

Não tem nada de frescura como muita gente afirma. E o melhor de tudo é saber que o fundo do poço tem mola e que é possível retomar a vida normal e esquecer essa fase ruim de nossas vidas”.

* Escreva ou grave um vídeo e compartilhe com a gente o seu relato. Envie para superacao@vidaeacao.com.br.

1 Comment
  1. Olá Bom dia . Quero me ajude tirar uma depressão por fundo do poço e no escuridão sem saída . Não tenho apoio de ninguém sem amigos sem família . A minha vida foi sempre no sofrimento de pequena . Foi violada por meu pai dês dos meus 6anos . Ninguém ajudo . Foi sempre no sofrimento . E depois foi como um tio que me violou me também e ninguém fez nada para em pedir este sofrimento que eu estava a passar como meu pai e como um tio irmão do meu pai . A depois o meu tio casou e a cá vou como ele . Mais foi sempre como o meu pai até ao meus 15ano. Minha mãe sabia o que se passava como a filha ela nunca fez nada por mim na por meus irmãos que também foram violados por meu pai até 15anos . Comigo e como a minha irmã e como meu irmão foi até 16anos . sofreram . E ninguém fez nada . Eu uma dia começei a namora como meu marido . Ele um dia está os dois a namorar . O meu pai veio era para ter comigo . Mais eu está como meu marido . E depois o meu marido quere falar comigo o que se passa comigo e como o meu pai . E eu disse tudo o que eu passei tudo em pequena até ao 15anos . Ele foi falar como ele e cá vou tudo comigo e como o meu pai . E meu marido tirou me daqui que eu estava a passar e fez nada por mim . foi ele que tirou do meu sofrimento que eu estava passar que na a minha mãe fez na minha avó que sabia que se passa como o meu pai e comigo . Nunca fez nada . Foi feliz como o meu marido e pai dos meus filhos . Eu foi muito feliz ao lado dele . Ele foi o meu herói que tirou do sofrimento que eu estava passar . Que ninguém fez nada por mim . A minha mãe é cólica foi sempre é agora também é . Nunca mudou . A depois á minha irmã junto como o namorado que é hoje marido dele . Elas me terou o meu marido na prisão ele está em no inocente . Ninguém ajuda ele na a mim . Estamos os dois a sofrer e muito . Eu estou a lutar por ele . Eu não consigo ver o meu marido . Na que lá prisão . Sem compa ninhoma . Eu agora estou como depressão por fundo sem saída é na escuridão . É ninguém ajuda ninguém . A minha dor e ver o meu marido a sofrer e ninguém fazer nada . E eu também não tenho dinheiro dar comer ao meu filhos são pequenos um Taí 7anos e outou Taí 13anos . Eu não tenho ninguém me ajudar . Eu estou no má escuridão sem saída . O meu sofrimento . E a minha dores e estômago vazio estare na cama fazer nada e dores no meu corpo tudo e estare em casa ver ninguém . É fichar as portas . Só quero murrer . Se ele não consigo ver o meu marido na quela prisão . E no invente . É ninguém faz nada . Que de via estare na prisão era o meu pai . Não meu marido . Aqui a justiça em Portugal é uma merda . Estou é muito tristeza dentro de mim que ninguém sabe o queeu estou passar . Só queria que Deus me ajude tirar o uma pessoa que eu amo de lá para fora eu já não aguento mais tão sofrimento . É não está fácil a minha vida . Estou é triste muito triste .

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais