Dia da Terra: em defesa do meio ambiente e pela paz

Medita na Rua, mutirões de limpeza de praias da Bica, na Ilha do Governador, e de Charitas, em Niterói, marcam as celebrações neste domingo (22)

Ano passado meditação teve o Pão de Açúcar como cenário. Este ano, Medita na Rua será na Barra da Tijuca (Foto: Divulgação)

As estimativas são assustadoras: até 2050 corremos o risco de perder até 40% da nossa biodiversidade, o que pode trazer sérios problemas com abastecimento de água, energia e alimentos. Já um estudo divulgado pelo Fórum Econômico Mundial aponta que até 2050 haverá mais plástico do que peixe nos oceanos. Um milhão de aves marinhas e mais de 100 mil mamíferos marinhos morrem anualmente por interação com o plástico, substância que demora cerca de 400 anos para se decompor. As previsões servem de alerta neste Dia da Terra, celebrado domingo (22) com várias ações em todo o planeta.

No Rio de Janeiro, haverá mutirões de limpeza das praias na Ilha do Governador e Niterói e palestra no Museu do Amanhã. Já na Barra da Tijuca, acontece o Medita na Rua, movimento que já reúne adeptos em 12 países para pedir a paz no mundo. Estes são alguns dos destaques deste fim de semana no roteiro de Boas Ações de ViDA & Ação, que traz ainda doação de ovos para hospital que atende crianças cardíacas;  campanha de doação de alimentos e materiais em escolas do Rio; doação de sangue em escola de Laranjeiras e  jantar beneficente em shopping de Bangu.

Mutirão de limpeza de praias na Ilha do Governador e Niterói 

oceano sem plástico

O avanço da poluição das praias no litoral fluminense, além de gerar graves problemas ambientais e de saúde pública, poderá provocar perdas na economia com redução de empregos.  Dados do mês de março de 2018 do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) comprovam que a grande maioria das praias das baías urbanas – Guanabara e Sepetiba – encontra-se imprópria ao banho.

Ecologistas, praticantes de esportes náuticos, pesquisadores e moradores começam a se mobilizar na defesa desta opção de lazer que tem forte influência na economia carioca e fluminense. Neste sábado, 21 de abril, será lançada a mobilização S.O.S Praias, Saneamento Já! O movimento acontece de 10h às 13h na Praia da Bica (Ilha do Governador), em homenagem ao Dia Mundial da Terra (22 de abril).

A programação prevê um mutirão de limpeza da praia, coleta de óleo de fritura para reciclagem, oficinas de Educação Ambiental e sinalização ecológica da praia, além de atividades esportivas como Torneio de Frescobol e Canoa Havaiana – Stand Up Paddle. Já no domingo, dia 22, será realizado o Seminário em Defesa da Baía de Sepetiba Viva na Paróquia Santa Edwiges, em Sepetiba, Zona Oeste do Rio de Janeiro, das 9 às 14h.

A realização é do movimento Baía Viva, fundado na década de 1990, em parceria com o Grupo de Frescobol da IG (Praia da Bica), Núcleo de Canoa Havaiana PILIALOHA VA’A, Stand Up Paddle Beira-Mar (Praia das Pitangueiras), Doi Óleo Ilha, Galpão de Reciclagem do Santos (Parque Royal) e a Cooperativa de Reciclagem Rio Limpo.

Oceano sem plástico – Neste domingo, a Unilever, o WWF-Brasil, a campanha Mares Limpos (ONU Meio Ambiente) e os parceiros locais realizam uma grande ação de limpeza na Praia de Charitas, em Niterói. O evento “Oceano Sem Plástico” chama atenção para descarte incorreto de microplásticos coletivo e valorizarmos o pequeno produtor e uma alimentação saudável podemos viver de forma sustentável. A previsão é envolver cerca de 500 voluntários.

Em meio à campanha Oceano sem Plástico, foi aprovada pela Comissão de Meio Ambiente (CMA) um projeto de lei (PLS 92/2018) que prevê a retirada gradual do plástico em bandejas, pratos, talheres e copos descartáveis. A proposta sugere que, no prazo de 10 anos, o plástico seja substituído por materiais biodegradáveis nos itens destinados a alimentos prontos para consumo.

O mutirão conta com agentes especialistas nas áreas de Educação Ambiental e conservação marinha que vão conversar com banhistas na busca de conscientizar a população sobre o problema do descarte incorreto do lixo no meio ambiente. A ação é voluntária e ocorre entre 8h e 13h. Qualquer pessoa pode participar, desde que realize a inscrição online (Baia de Guanabara: http://bit.ly/mutirao-guanabara).

Extinções brasileiras: o que há de novo?

No Rio de Janeiro, a data é celebrada no Museu do Amanhã com a palestra “Extinções brasileiras: o que há de novo”, no Observatório do Amanhã, das 15h às 18h. O biólogo Carlos Alfredo Joly, professor da Unicamp, abordará questões ligadas às perspectivas de alteração da biodiversidade no planeta para os próximos anos.

Podemos perder até 40% da nossa biodiversidade até 2050, e esta perda significa que também perderemos serviços ecossistêmicos como a produção de alimentos, de água e de energia. Ou seja, nossa saúde também está ameaçada”, enfatiza o professor.

Na data, serão apresentados dados dos últimos relatórios sobre o status da biodiversidade no planeta lançados pela IPBES (Plataforma Intergovernamental de Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos). De acordo com Joly, que também é coordenador da BPBES (Plataforma Brasileira de Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos), apresentar regularmente diagnósticos da biodiversidade é de grande importância, uma vez que as alterações no ecossistema afetam diretamente nossa qualidade de vida.

“Precisamos reverter este quadro, não só com mudanças políticas, mas também com mudanças de comportamento. Sendo assim, torna-se cada vez mais importante celebrar o Dia da Terra”, destaca o professor. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no site do Museu. A inscrição para participar do evento não dá acesso às exposições do Museu.

Meditação pela paz acontecerá no Brasil e em mais 11 países

Medita na Rua em São Paulo
Medita na Rua em São Paulo em 2017 (foto: Divulgação)

Neste domingo, dia 22, pessoas de todas as idades e diferentes culturas se encontrarão em lugares públicos em 34 cidades, de 12 países, criando uma onda pacífica de silêncio por 20 minutos. Um total de 50 anfitriões e voluntários de Brasil, Argentina, Chile, Espanha, Estados Unidos, Ilha de Man, Inglaterra, México, Noruega, Portugal, Quênia e Uruguai se reúnem para o terceiro encontro global do Medita na Rua, a ser realizado no dia 22 de abril, às 11h (hora local).

Na data e hora marcadas, praticantes de mais de 27 técnicas de meditação distintas, ou interessados sem nenhuma experiência, se reunirão em praças, praias e diferentes locais públicos para apenas sentar, fechar os olhos, e ficar em silêncio.  O Medita na rua une variadas culturas, idiomas e práticas meditativas na mesma intenção de inspirar mais pessoas a experimentarem a paz e a união.

No Brasil 20 cidades estão mobilizadas para viabilizar este movimento  que, segundo os organizadores, é aberto, inclusivo, não vinculado a grupos específicos de meditação, religião ou instituição filosófica e espiritual. No Rio, o evento acontece no Bosque da Barra, no grande lago, perto da ponte de madeira.

Pelo Norte, está Manaus (AM); do Nordeste, as cidades são Natal (RN), Recife (PE), Praia de Mundaú, em Trairi (CE), além de Nova Viçosa e Teixeira de Freitas (BA); do Sul somam-se Florianópolis (SC) e Alvorada, Porto Alegre e Viamão (RS); Brasília (DF) e Goiânia (GO) representam a região centro-oeste e, pelo Sudeste, estão Araguari e Belo Horizonte (MG), São Paulo, Guarulhos, Indaiatuba, Jarinu e Sorocaba (SP).

A participação nos encontros locais é aberta e totalmente gratuita. É só chegar no dia. Todos podem participar independentemente de idade, experiência, crenças. Os 20 minutos de meditação não são guiados para que cada pessoa pratique sua própria forma de conexão interna. Os locais dos encontros são divulgados na página oficial do Medita na Rua no Facebook. A organização sugere que os participantes cheguem ao local marcado às 10h30 e levem uma almofada ou cadeira para sentar e água. Mais informações no link  https://goo.gl/forms/OXK5rdGPFBzdXwhM2.

AÇÕES SOLIDÁRIAS

Restaurante promove jantar beneficente em shopping

O feriado de São Jorge no Rio de Janeiro será de solidariedade no Bangu Shopping. O novo Outback Steakhouse promoverá um jantar beneficente em apoio à Associação Obra de Assistência à Infância de Bangu nesta segunda-feira, dia 23 de abril, das 19h às 21h. Toda a renda arrecadada no evento será revertida para a Instituição.

A Obra é responsável pelo acolhimento de crianças carentes em Bangu, um dos bairros mais populosos do Rio de Janeiro. Fundada há 69 anos, a ONG atende crianças da região que vivem em situação de risco e vulnerabilidade social.

O convite dá direito a um cardápio exclusivo, com entrada, aperitivo, prato principal com acompanhamento, sobremesas e bebidas. A cebola gigante dourada Bloomin’ Onion, ícone do cardápio, será uma das opções servidas. Os convites para esta noite solidária custam R$ 120 e estão à venda pelo telefone (21) 3331-0038 ou (21) 3331-6650 e também pelo e-mail obrabangu@gmail.com ou equipetecnicaoaib@gmail.com.

Semana Solidária no Miraflores tem doação de sangue

Solidariedade também se aprende (e se pratica) na escola! Os alunos do Ensino Fundamental do Centro Educacional Miraflores são os condutores de boas ações que envolvem toda a comunidade escolar e a vizinhança. O colégio, em parceria com o Hemorio, realiza campanha de doação de sangue, em sua unidade de Laranjeiras, nesta quarta-feira, dia 25 de abril.

Jane Serrato, coordenadora pedagógica, reforça a importância da sensibilização dos alunos para causas solidárias e da inserção do tema nos projetos pedagógicos da escola. Com o mote da semana, as aulas abordaram questões do sistema circulatório, fator RH, importância da doação, entre outros. “Todos somos responsáveis uns pelos outros e nossos alunos estão crescendo e sendo estimulados a mudarem o mundo”, explica.

Semana Solidária – A atividade faz parte da Semana Solidária, que inclui arrecadação de leite em pó para o Instituto Saúde Criança Ilha / Hospital Municipal Senhora do Loreto, na Ilha do Governador, que cuida de crianças com lábio leporino. A escola estará aberta para que todos possam colaborar e participar da doação de sangue e de leite em pó. Citando o material de divulgação da campanha, Jane convoca a população do entorno da escola: “Precisamos de pessoas tipo você! Venha doar sangue no dia 25 e leite durante toda a semana!”.

Além do envolvimento com as ações solidárias, ​durante a ​Semana Solidária (​de 24 a 27 de abril​)​ os alunos apresentam​ trabalhos relacionados com a saúde. Entre os temas estão: ​conhecendo o coração; ​sistema cardiovascular; ​composição do sangue e fator RH; ​prevenção de acidentes e cuidados com o nosso coração; ​e​ ​a importância da doação de sangue. A Manhã Solidária também conta com o apoio ​do grupo Escoteiro João Ribeiro dos Santos, que mantém um espaço de atividades e reuniões na sede do Miraflores.

Ovos para ajudar um coração novo          

Grupo Mantiqueira renovou a edição da campanha “Ovos Solidários do Coração”, que contribuem com o Pro Criança Cardíaca, uma instituição médica sem fins lucrativos, que já atendeu mais de 10.000 crianças cardíacas carentes, realizou mais de 25 mil atendimentos ambulatoriais e 1.200 procedimentos invasivos, cirurgias cardíacas e cateterismos no Rio de Janeiro, fundada pela cardiologista Dra. Rosa Celia. Pela iniciativa, 10% das vendas líquidas (menos impostos) feitas pela Mantiqueira são doadas para o Projeto.

Escola arrecada doações para instituições beneficentes

Mariana Possidente, Ronna da Silva e Letícia Ferreira (foto), que cursam o 1° ano do Ensino Médio no Jardim Botânico, decidiram se envolver na edição 2018 do projeto CEL Solidário, realizado pelo CEL International School. Até o fim do ano, o colégio arrecada doações de materiais e alimentos para instituições que atuam em várias frentes.

Este ano, serão beneficiadas creches que atendem a famílias de baixa renda, além de instituições como o Movimento de Mulheres de Apoio Humanitário (MMAH), a ala pediátrica do Instituto Nacional do Câncer (Inca) e o voluntariado do Hospital Universitário Pedro Ernesto (Hupe).

Durante os meses de abril e maio, o projeto recebe doações de leite em pó integral e alimentos não-perecíveis para a creche Cruzada Pela Infância do Leme, que cuida e educa cerca de 60 crianças vindas de lares pobres, enquanto os responsáveis trabalham ou estudam. “A maioria dos beneficiados é das comunidades do Chapéu Mangueira, Babilônia e Morro dos Cabritos, mas também atendemos mães que vêm de Caxias e trabalham como diaristas na Zona Sul”, explica Arlita Andrade, responsável pela Cruzada desde 1981.

Em fevereiro de 2014, o marido de Arlita, o cinegrafista da TV Bandeirantes Santiago Andrade, foi morto ao ser atingido por um rojão enquanto cobria um protesto na cidade do Rio. Ela conta que, graças ao trabalho na creche, conseguiu reunir forças e amenizar a dor da perda.

As crianças nos tiram da tristeza. Também queremos vê-las felizes e saudáveis. Se conseguimos doações de leite, podemos investir em outros alimentos importantes”, explica.

Outra obra que este ano vai ser beneficiada pelo CEL Solidário é a creche comunitária Anjinho Feliz, da Ação Social Edmundo e Olga. O projeto atende famílias de comunidades da região central da cidade, como São Carlos, Chuveirinho e Fogueteiro. Os donativos podem ser entregues nas quatro unidades do CEL, localizadas na Barra da Tijuca, no Jardim Botânico e no Norte Shopping, respectivamente Zonas Oeste, Sul e Norte do Rio.

Iniciada em 2009, a campanha surgiu com o objetivo de despertar a comunidade escolar para temas ligados à responsabilidade social. Agora, o CEL quer expandir sua rede de solidariedade e convida também pessoas que não têm ligação com a escola a contribuir com a causa e fazer a diferença na cidade. “Esta é uma ação de solidariedade e diferentes segmentos da sociedade podem participar”, explica Norma Correia, coordenadora do CEL Solidário.

Da Redação, com Assessorias

Sugestões para esta seção, publicada sempre às sextas-feiras, devem ser enviadas até a quarta anterior para o email boasacoes@vidaeacao.com.br

 

 

 

 

 

Por Favor, Compartilhe!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais