Dia do Médico: a importância do vínculo de confiança

Cuidado médico vai muito além da medicalização. Medicina humanizada ajuda a aproximar médico-paciente

dia-do-medico

Amor, carinho e dedicação ao cuidar de cada paciente, acompanhar seu desenvolvimento e oferecer todo o suporte necessário para uma jornada saudável. Estas são algumas características da medicina humanizada, que leva em consideração uma relação mais próxima entre médico, paciente e familiares, na qual se estabelece um relacionamento de cumplicidade. Bom para o paciente e ótimo para o profissional, já que podem refletir, juntos, sobre a importância de decisões bem pensadas com relação à saúde.

Existem alguns fatores facilitam a aproximação médico-paciente, principalmente, quando o assunto são crianças e adolescentes. “Durante a consulta, o profissional deve procurar responder todas as questões que a família traz ao consultório, mesmo que não sejam questionamentos médicos. Muitas vezes, as dúvidas trazidas estão relacionadas ao dia a dia, e, às vezes, angustiam muito mais”, afirma o pediatra Hany Simon Junior, em parceria com a Johnson & Johnson.

Segundo o especialista, durante a consulta é importante que o profissional fale com clareza, sem eufemismos, mesmo quando o quadro clínico não é favorável. “O especialista pode dizer que não há nenhum diagnóstico firmado, mas sempre expor os fatos com clareza e honestidade”, completa. Esta postura faz parte da relação de confiança que está sendo construída, e está relacionada à ideia de que o cuidado médico vai muito além da medicalização. Afinal, cuidar é mais do que aliviar. “É possível resolver muitas questões no consultório que não necessitam de prescrição médica. Omédico precisa cuidar de uma forma global”, comenta.

Desafios na consulta dos pequenos

Ao longo do crescimento de uma criança, as idas ao pediatra começam a ficar mais tumultuadas. Principalmente nos primeiros anos, há um estranhamento no contato com o médico, que não faz parte do ciclo familiar infantil. Para que o desconforto seja minimizado, a postura do profissional é fundamental. “Entre 9 meses de idade e 2,5 anos, este comportamento é normal e desejável, pois mostra que a criança está interagindo e estranhando quem não faz parte do ambiente dela. O profissional espera que o pequeno paciente resista ao contato, estranhando e chorando”, comenta o pediatra.

Neste momento, os pais podem até ficar constrangidos, mas o profissional precisa explicar para a família que isso faz parte do exame clínico, e que o médico também está avaliando a atitude da criança como forma de avaliar o seu desenvolvimento neurológico e afetivo.

 Quando estamos com dor e precisamos de atendimento médico, a primeira coisa que desejamos é que ele seja ágil e prático, afinal, os sintomas não costumam esperar para aparecer. O Brasil é um dos países que mais sofre quando o assunto é saúde, e os modelos tradicionais de atendimento têm afastado cada vez mais os usuários, que além da burocracia, precisam enfrentar horas e horas em filas esperando um atendimento que muitas vezes não é o adequado.

Especialista vai até o paciente

Fábio Tiepolo
Fabio Tiepolo, da Docway: “Hoje atendemos mais de 2.300 médicos em mais de 200 cidades brasileiras, com mais de 50 mil usuários (Foto: Divulgação)

Dados divulgados pelo do IBGE mostram que 142,8 milhões brasileiros consultam médico anualmente. Segundo informações de relatórios produzidos por empresas privadas de saúde, 80% das consultas em prontos socorros poderiam ser realizadas no ambiente domiciliar, evitando que o paciente seja exposto a ambientes de alta contaminação, sem contar o conforto e a segurança no momento da consulta.

Para atender essa necessidade e preencher uma lacuna no mercado, em 2015 foi criado o aplicativo de saúde Docway, que leva o especialista até o paciente. Para Aier Adriano Costa, clínico geral que atende pelo aplicativo desde 2016, o atendimento médico domiciliar é uma realidade mundial, e cada dia que passa ganha mais espaço na vida dos brasileiros.

“O atendimento médico domiciliar é prático e é uma necessidade e todos estão vendo isso, ainda mais em um país como o Brasil, que apresenta graves problemas neste setor. A prática médica que apoiamos visa o máximo de conforto e atenção para o paciente, que passa por um atendimento de excelência onde quer que agende a consulta. Isso faz com que os usuários se sintam mais confortáveis em um momento que, na maioria dos casos, ficaria marcado apenas por lembranças ruins”, comenta Costa.

Para o médico o aplicativo vira uma opção a mais de atendimento, com a opção de deixar visível os dias e horários disponíveis para atendimento, raio de distância e valor que deseja receber consultas o aplicativo traz uma solução que garante autonomia para esse profissional.

“Quando criamos o aplicativo, não imaginávamos onde ele poderia chegar. Queríamos melhorar a saúde no país e aos poucos estamos conseguindo. Hoje, atendemos com mais de 2300 médicos em mais de 200 cidades brasileiras, contabilizando mais de 50 mil usuários cadastrados. O atendimento humanizado e domiciliar é uma mudança de cultura necessária para a da vida moderna trazendo mais conforto, qualidade e praticidade ao paciente”, explica Fábio Tiepolo, CEO do aplicativo.

As consultas via Docway são agendadas para o dia, hora e local que o paciente escolher. Todo o atendimento médico domiciliar é personalizado para cada usuário. “Minha mãe já tem uma certa idade, não gosta de ir ao médico, então o Docway surgiu como uma ferramenta indispensável. Gostei muito do atendimento, o médico era excelente e a consulta em casa é com certeza um facilitador. Em breve ela fará outra consulta”, comenta Cláudia Carvalho. Hoje, além das consultas, o aplicativo oferece serviços como vacinas a domicílio e coleta de exames.

Cristo Redentor se iluminr de verde

Em homenagem ao Dia do Médico, o Cristo Redentor foi iluminado na cor verde na noite de quarta-feira, dia 18 (Foto: Divulgação)
Em homenagem ao Dia do Médico, o Cristo Redentor foi iluminado na cor verde na noite de quarta-feira, dia 18 (Foto: Divulgação)

Na noite de quarta-feira, 18 de outubro, quando se comemora o Dia do Médico, o Conselho Regional de Medicina do Estado do Rio de Janeiro (Cremerj) promoveu uma homenagem no Cristo Redentor. O monumento recebeu uma iluminação especial na cor verde  Além de valorizar o trabalho dos médicos, o objetivo era fazer um alerta para a importância da necessidade de uma saúde com qualidade para a população no Estado.

“Apesar do cenário crítico da Saúde no Estado, os médicos permanecem na linha de frente, atendendo com dedicação e zelo nossos pacientes, nos desdobrando para assisti-los com qualidade e nos esforçando para garantir melhorias nos nossos hospitais. E isso deve ser valorizado e o Dia do Médico é uma data importante para lembrar isso. Vamos continuar com nossa luta por condições adequadas de trabalho, salários dignos e principalmente atendimento qualificado para a população”, diz o presidente do Cremerj, Nelson Nahon.

 Na ocasião, houve também uma celebração, com o apoio da Arquidiocese do Rio de Janeiro. O evento contou com a presença do corpo de conselheiros do Cremerj e de representantes de entidades médicas. No local, ainda foram comemorados os 60 anos de criação do Cremerj, além de ser lançado o aplicativo para celulares do conselho e a TV Cremerj. Os médicos que optarem por fazer o download terão acesso a informações exclusivas e a transmissão de cursos e programações ao vivo. A celebração no Cristo foi o primeiro evento transmitido em tempo real.

Fonte: Johnson & Johnson, Docway e Cremerj

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais