Dia do Sexo: teste o seu nível de testosterona

Questionário desenvolvido nos EUA ajuda a identificar problemas causados pela baixa produção de testosterona

robbie-williams
Robbie Williams, que se diz viciado em sexo, já admitiu tomar testosterona para recuperar sua energia (Foto: Reprodução de Internet)

Está faltando testosterona no mercado. Você já deve ter ouvido essa frase… Especialmente da boca de alguma amiga solteira e insatisfeita com a, digamos, falta de atitude dos homens. Pois o mais importante hormônio masculino que atua sobre a força muscular, libido e desempenho sexual parece andar mesmo em baixa. Até o cantor inglês Robbie Williams, de 43 anos, com seu jeitão todo másculo, já chegou a revelar que sua taxa de TST era igual a de um idoso de 100 anos. Para equilibrar a testosterona e voltar a ter a energia sexual de um homem na faixa dos 40 anos ele iniciou um tratamento com hormônio duas vezes por semana.

Mas o que, afinal, pode influenciar nessa baixa hormonal, alterando interesse, desejo e performance sexual? Obesidade, inatividade física, doenças hepáticas, renais, uso de medicamentos, doenças da tireoide, diabetes, depressão, tabagismo e outras condições clínicas podem provocar o problema. Uma preocupação também é com o uso de esteroides anabolizantes, que contribui para a queda na produção de testosterona natural. Ironicamente, apesar de ajudar a esculpir corpos sarados, essas bombas produzem homens pouco dispostos ou eficientes na “hora H”.

O endocrinologista Maurício Bungerd Forneiro, especializado em saúde sexual masculina e autor do livro ‘Vida e Prazer após os 50′, confirma. A partir dos 40 anos o corpo passa a produzir menos hormônio, diz ele que é membro da Sociedade Americana de Endocrinologia. “Essa redução é gradual e os sintomas, em geral, só começam a aparecer em torno dos 50 anos”, afirma. No entanto, o médico tem registrado aumento do número de jovens com disfunção erétil no consultório. Outros fatores podem causar o problema em homens mais jovens, desde agentes químicos presentes em comidas processadas até a ansiedade dos frequentes encontros casuais.

Mas nem sempre manter a testosterona em alta pode gerar felicidade na vida de um homem – ou de um casal. James Dabbs e Alan Booth analisaram as relações amorosas de 4.462 militares entre 30 e 40 anos. Eles perceberam que os homens com testosterona alta eram menos propensos a se casar e se divorciavam mais facilmente. Além disso, os campeões da testosterona tinham o dobro de chances de ter relações extraconjugais.

Nesse Dia do Sexo, que tal experimentar uma importante ferramenta para saber como anda o seu nível de Testosterona Biodisponível? Ou ajudar seu marido, namorado, companheiro ou parceiro sexual a descobrir se ele está precisando de ajuda terapêutica? Conheça o Questionário ADAM, desenvolvido pela Universidade de St. Louis, nos Estados Unidos, e que é aplicado em todo o mundo.

  1. Tem observado diminuição da libido?
  2. Tem observado falta de energia?
  3. Percebe redução da força muscular?
  4. Perdeu altura ou peso?
  5. Percebeu diminuição da alegria de viver?
  6. Fica triste ou rabugento com frequência?
  7. Percebe que as ereções são menos vigorosas?
  8. Tem diminuído as atividades esportivas?
  9. Sente sonolência após o jantar?
  10. Tem percebido piora no desempenho profissional

Cartilha sobre a saúde urológica dos homens

A redução dos níveis de testosterona é conhecida cientificamente como o Distúrbio Androgênico do Envelhecimento Masculino (DAEM). Esse é um dos destaques da cartilha recém-lançada sobre saúde do homem. O guia gratuito, em linguagem simples, apresenta as principais doenças que acometem os homens, seus sintomas, causas, incidência e tratamentos. A publicação foi apresentada pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) no 36º Congresso Brasileiro de Urologia, em Fortaleza, em agosto.

Outras doenças muito comuns entre os homens, como disfunção erétil, câncer de próstata e incontinência urinária, também são explicadas na publicação. Menos conhecida, a Hiperplasia Benigna de Próstata (HPB), o crescimento benigno da próstata por causa da idade, pode causar dificuldade de urinar.

“O homem enumera motivos para não procurar um médico: não tem tempo, não sente nada de errado. E ainda tem o medo de descobrir alguma doença”, ressalta Wagner Porto, vice-presidente da SBU. Em 42 anos de profissão, ele viu de perto a dificuldade enfrentada por homens que deixaram o cuidado com a saúde para depois e tiveram que tratar doenças em estágio avançado.

“O homem acha que é um ser diferenciado, que não fica doente e não precisa ir ao médico regularmente. Precisamos desmistificar isso. Como todo ser humano é necessário dar importância para a saúde”, afirma. “Ele deve perceber que com a prática regular de cuidar de si mesmo pode viver melhor, com mais saúde e qualidade de vida”.

Cada capítulo da cartilha foi escrito por um urologista, membro da SBU, para conscientizar da importância de cuidar da saúde e de consultar um médico.  A cartilha pode ser baixada gratuitamente no Portal da Urologia.

Resultado do teste

Caso a resposta seja SIM para pelo menos 3 perguntas, seu nível de testosterona pode estar baixo. Recomenda-se procurar um médico.

Por Favor, Compartilhe!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais