Dia Mundial dos Oceanos: praias do Rio recebem mutirões de limpeza

11 milhões de toneladas de resíduos plásticos entram nos oceanos anualmente, podendo triplicar nos próximos 20 anos. Confira e participe dessas ações

Mutirão do Reciclata em praias do Rio (Foto: Arquivo)

Segundo o relatório “Da Poluição à Solução”, produzido pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), cerca de 11 milhões de toneladas de resíduos plásticos entram nos oceanos anualmente, podendo triplicar nos próximos 20 anos. Além disso, mais de 800 espécies marinhas e costeiras são afetadas, seja por ingestão, emaranhamento e outros perigos.

Grande parte dessa poluição se dá por meio do lixo, que destinado de maneira incorreta, chega aos oceanos através dos rios e galerias de água da chuva, além do material deixado por banhistas nas praias. Para chamar atenção para esse problema ambiental alarmante e reforçar a importância da preservação das praias e oceanos a fim de manter o equilíbrio da vida no planeta Terra, em 8 de junho é celebrado o Dia Mundial dos Oceanos.

Nesta data e ao longo da semana, diversas organizações não-governamentais, sociedade civil e empresas se preparam para esclarecer a população sobre a importância de não aumentar o descarte de resíduos em rios, lagos que deságuam nos mares e oceanos.

Para marcar a data no Rio de Janeiro, a Recicla Latas, entidade gestora responsável por aperfeiçoar o processo de logística reversa das latas de alumínio para bebidas, realizará um mutirão de limpeza na orla do Leblon. A ação acontecerá na quarta-feira (8), das 9h às 12h, no quiosque La Carioca Cevicheria, e é aberta ao público.

Mutirão do Recicla Latas em praias do Rio de Janeiro (Foto: Arquivo)

Além desta ação, acontecerá uma triagem educativa e rodas de conversa com especialistas sobre a importância da reciclagem para a preservação do meio ambiente. O evento conta com o apoio do Ministério do Meio Ambiente, Programa Combate ao Lixo no Mar, Recicla Orla, Guardiões da Orla Carioca e Kafango Verde.

O evento tem o objetivo de trabalhar a educação ambiental, a importância da limpeza de praia e a destinação correta dos resíduos sólidos. O clean-up também contará com uma triagem educativa, às 10h30, e rodas de conversas com especialistas sobre a relação entre a reciclagem e preservação dos oceanos, a partir das 11h.

Vinicius Peruzzi, do Guardiões da Orla Carioca e professor da UFRJ, falará sobre o tema “Praia Local, Lixo Global: a importância da educação ambiental”, e Renato Paquet, secretário-executivo da Recicla Latas, sobre “A eficiência da reciclagem das latinhas para o combate ao lixo no mar”. A ideia desses momentos é mostrar para as pessoas a importância do descarte correto de resíduos e como isso afeta todo o ecossistema se for feito da maneira incorreta.

“O Rio de Janeiro é um estado que tem grande parte dos seus municípios na extensão litorânea, conta com grandes reservas preservadas de Mata Atlântica e possui o maior parque florestal urbano do mundo, o Parque Estadual da Pedra Branca e a Floresta da Tijuca. Ou seja, precisamos mostrar para a população, de forma prática, a importância dessa ação para o meio ambiente e o que pode acontecer com as nossas praias se não fizermos o descarte correto dos materiais”, comentou Renato Paquet.

AquaRio promove ação de limpeza e restauração na Praia da Macumba

O AquaRio e o Instituto Conhecer para Conservar promovem uma limpeza na orla da Praia da Macumba na próxima quarta-feira (8), às 10h. A ação, que tem como padrinho o surfista Rico de Souza, conta ainda com o plantio de 250 mudas de Restinga, vegetação protegida por lei, devido à sua fragilidade e importância ecológica.  

A atividade é aberta ao público, quem quiser participar basta se dirigir ao ponto de encontro, que será no quiosque Point do Rico, no Recreio dos Bandeirantes. São parceiros deste evento Meros do Brasil, SMAC, SEAS, BRbio, Ambiente Jovem, FEMAR, Cea, P.M.N Marapendi e Chico Mendes, Comlurb, Iguá e Squair. 

Para complementar as ações, o AquaRio promove ainda uma live em seu perfil de Instagram, às 18h, sobre o Peixe-Leão, espécie que é considerada exótica e invasora e apresenta ameaças ao equilíbrio dos ecossistemas marinhos brasileiros. 

Ao longo da semana ocorrem outras ações de limpeza, sendo no dia 9 de junho a restauração e conservação da Lagoa de Jacarepaguá, em parceria com Mário Moscatelli, focando na limpeza da lagoa e na reintrodução de Guaiamu — espécie de caranguejo terrestre.

Enquanto no dia 11 de junho 11 de junho, haverá o “Clean Up Bay”, evento promovido pela REDAGUA, em parceria com o AquaRio e o Instituto Conhecer para Conservar, que tem o objetivo de iniciar uma limpeza em três praias da Baía de Guanabara, para celebrar o Dia Mundial de limpeza de baías.

Dados sobre a poluição plástica nos oceanos

– Mais de 8 milhões de toneladas de plástico acabam nos oceanos todos os anos. O custo ambiental atinge US$ 8 bilhões anualmente.

– Em 2018, a produção mundial foi de 280 milhões de toneladas de material plástico. Um terço dessa produção são de itens de uso único, como sacolas, canudos ou copos.

– Segundo o Banco Mundial, o Brasil é o 4º maior produtor de lixo plástico no mundo, com 11,3 milhões de toneladas, atrás apenas dos Estados Unidos, China e Índia.

– O Brasil recicla menos de 2% do lixo plástico coletado. Esse é um dos menores índices da pesquisa e bem abaixo da média global de reciclagem plástica, que é de 9%.

– O custo estimado do lixo marinho varia de € 259 a € 695 milhões, principalmente para o setor do turismo e da pesca.

– A reciclagem de 1 milhão de toneladas de plástico equivale a retirar 1 milhão de carros das estradas (CO2).

Com Assessorias

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais