Diante da baixa procura, Rio prorroga vacinação contra a gripe

Este ano, 18 pessoas já morreram por causa de complicações causadas pelo vírus da influenza no estado. Apesar disso, meta de vacinar 90% do público ainda está longe: somente 59,4% foram imunizadas desde 10 de abril em 92 municípios fluminenses

Pessoas acima de 59 anos estão entre o ppublic-alvo da campanha (Foto: Maurício Bazílio/SES)

Termina nesta sexta-feira (31) a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe em todo o país. Cerca de 16,8 milhões de pessoas ainda não se vacinaram e precisam procurar a unidade de saúde mais próxima para se protegerem. A Campanha Nacional de Vacinação contra a influenza oferece doses da vacina contra  os tipos graves do vírus da influenza (A H1N1; A H3N2 e influenza B).

Por não atingir a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde, a Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro (SES-RJ) prorrogou até dia 15 de junho o prazo de vacinação contra a gripe nos 92 municípios. A meta é atingir uma cobertura vacinal de 90% do público-alvo.

No Estado do Rio de Janeiro, desde a abertura da campanha, que aconteceu no dia 10 de abril, foram imunizados 2,6 milhões de pessoas, o que corresponde a 54,5% de cobertura. A expectativa da Secretaria de Estado de Saúde é vacinar 4,9 milhões de pessoas.

Rio já teve 18 mortes por influenza este ano

A Superintendência de Vigilância Epidemiológica da SES informa que foram notificados, em 2019, 77 casos, com 18 óbitos. Em 2018, foram notificados 233 casos de influenza, com 30 óbitos.

Neste ano, até 11 de maio, foram registrados 807 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) por influenza em todo o país, com 144 mortes. Até o momento, o subtipo predominante no país é o vírus influenza A (H1N1) pdm09, com registro de 407 casos e 86 óbitos.

A Campanha Nacional de Vacinação Contra a Influenza teve início no dia 10 de abril em todo o país. No primeiro momento, foram priorizadas as crianças e gestantes. A vacinação está aberta para todos os públicos desde o dia 22 de abril e encerra no dia 31 de maio.

Posto Volante

Além da vacina oferecida nos postos municipais, a secretaria tem promovido vários eventos de vacinação volante com o objetivo de estimular a imunização contra a gripe. Nos próximos três dias, 28, 29 e 30 de maio, a ação ocorre no Barra Shopping (28/05, das 14h às 17h) e na estação BRT Alvorada (29/05 e 30/05) das 7h às 11h, com a aplicação de doses da gripe. A vacina é importante porque ao receber a dose a pessoa já fica imunizada contra três vírus da doença, inclusive o H1N1.

Público-alvo

Crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias), idosos, gestantes e mães com até 45 dias após o parto. A vacina está disponível a jovens de 12 a 21 anos de idade sob medida socioeducativa e população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e pessoas portadoras de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições especiais, independentemente da idade. A vacina também está sendo ofertada aos professores das escolas públicas e privadas, além de policiais civis, militares, bombeiros e membros ativos das Forças Armadas.

Meta nacional é vacinar 59,4 milhões de pessoas

A meta do Ministério da Saúde é vacinar 90% do público-alvo, composto por 59,4 milhões de pessoas. Até esta segunda-feira (27), 42,5 milhões de pessoas haviam sido vacinadas contra a gripe. O número corresponde a 71,6% do público-alvo.

Entre a população prioritária, os funcionários do sistema prisional registraram a maior cobertura vacinal, com 101,6 mil doses aplicadas, o que representa 89,7% deste público, seguido pelas puérperas (88,6%), indígenas (82,0%), idosos (80,6%) e professores (78,1%). Os grupos que menos se vacinaram foram os profissionais das forças de segurança e salvamento (30%), população privada de liberdade (47,2%), pessoas com comorbidades (63,4%), trabalhadores de saúde (69,9%), gestantes (68,8%) e crianças (67,6%).

Os estados com maior cobertura até o momento são: Amazonas (93,6%), Amapá (85,5%), Espírito Santo (75,3%), Alagoas (73,4%), Rondônia (72,6%) e Pernambuco (72,2%). Já os estados com menor cobertura são: Rio de Janeiro (45,8%), Acre (49,7%), São Paulo (57,0%), Roraima (57,4%) e Pará (59,2%). Em todo o país, a campanha permanece com uma estrutura formada por cerca de 41,8 mil postos de vacinação e com a participação de aproximadamente 196,5 mil pessoas.

Os portadores de doenças crônicas não transmissíveis, que inclui pessoas com deficiências específicas, devem apresentar prescrição médica no ato da vacinação. Pacientes cadastrados em programas de controle das doenças crônicas do SUS deverão se dirigir aos postos em que estão registrados para receber a vacina, sem a necessidade de prescrição médica.

A escolha do público prioritário no Brasil segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Essa definição também é respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias, que têm como principal agente os vírus da gripe. São priorizados os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias.

A vacina produzida para 2019 teve mudança em duas das três cepas que compõem a vacina, e protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no último ano no Hemisfério Sul, de acordo com determinação da OMS: A/Michigan/45/2015 (H1N1) pdm09; A/Switzerland/8060/2017 (H3N2); B/Colorado/06/2017 (linhagem B/Victoria/2/87). A vacina contra gripe é segura e reduz as complicações que podem produzir casos graves da doença.

TRATAMENTO DA GRIPE

Todos os estados estão abastecidos com o fosfato de oseltamivir e devem disponibilizá-lo de forma estratégica em suas unidades de saúde. Para o atendimento do ano de 2019, o Ministério da Saúde já enviou aproximadamente 9,5 milhões de unidades do medicamento aos estados. O tratamento deve ser realizado, preferencialmente, nas primeiras 48h após o início dos sintomas.

Fonte: SES-RJ e Ministério da Saúde

Por Favor, Compartilhe!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais