Dicas para quem ainda tem uma maratona de blocos pela frente

ViDA & Ação selecionou uma série de dicas de especialistas para ajudar os foliões a se recuperar da ressaca do Carnaval ou encarar mais dias de festa até domingo

Redação

O Carnaval termina oficialmente nesta terça-feira (5), mas para muita gente só acaba mesmo no próximo  domingo (10). Até lá, centenas de blocos vão arrastar multidões pelas ruas de grandes cidades, além do esperado Desfile das Campeãs no sábado no Rio de Janeiro.

Na Praia do Pepê, na Barra da Tijuca, por exemplo, shows dos badaladíssimos blocos Fogo e Paixão e Simpatia é Quase Amor vão animar o Quiosque Prezunic, respectivamente, nesta quarta-feira de Cinzas (6) e no domingo (10).

Seja na praia, nas viagens ao interior ou exterior ou mesmo em casa, as comemorações não param e, muitas delas, vêm acompanhadas de uma cerveja, drinques e outras bebidas alcoólicas.

Mas, depois de muita festa, é importante pensar na chamada ressaca, uma resposta do organismo ao consumo excessivo de álcool. Os sintomas para aqueles que exageram podem ser náuseas, enjoos, vômitos, sensação de mal-estar, tontura, dor de cabeça, sensibilidade à luz, falta de apetite e sede.

Alimentos que ajudam a combater a ressaca

A nutricionista do Prezunic, Leusimar Nunes, preparou uma lista de alimentos que ajudam a aproveitar o melhor da festa, do início ao fim. “Mesmo as bebidas refrescantes, como a cerveja e o espumante, causam desidratação. É preciso beber muita água e estar bem alimentado, afinal o estômago vazio faz quem que o álcool seja absorvido mais rápido, causando tonturas e mal-estar”, diz Leusimar.

Samara Lopes, nutricionista da Renewmed, recomenda que os foliões caprichem na ingestão de líquidos. Você precisa hidratar o corpo para reverter a boca seca e repor os sais minerais, vitaminas, potássio, magnésio e cálcio que se foram com todo aquele xixi da noite anterior”.

Além de regular a hidratação, o consumo de água ajuda a preencher o estômago, reduzindo a vontade. Segundo ela, pode ser água pura, água de coco ou sucos. Se você estiver na vibe de sucos, tente tomar suco de tomate, que é especialmente benéfico para a ressaca por ser rico em vitaminas e potássio. E, se puder, coloque gengibre e hortelã no suco: eles aliviam as náuseas.

Dicas para aliviar os efeitos de quem exagerou

·       Água de coco: repõe os minerais perdidos com o consumo de álcool.

·        Água aromatizada com alecrim: alivia a dor de cabeça e aumenta a circulação sanguínea.

·        Chás: boldo e carqueja ajudam a diminuir as toxinas, auxiliam na digestão e diminuem o mal-estar.

·        Isotônico caseiro: 500 ml de água, suco natural de frutas (laranja, limão, uva – 50 ml), açúcar (mascavo, demerara ou cristal – 2 colheres de sopa), e sal (1 colher de chá).

·       Atum e sardinha em lata: repõe diversos minerais essenciais para o corpo. Tem enzimas que ajudam a fazer passar a dor de cabeça e ameniza o mal estar.

·       Frutas: Fontes de água, carboidratos, vitaminas e minerais. Podem ser consumidas como sobremesas ou pequenos lanches entre as refeições principais. Destaque para a banana, ótima fonte de potássio e de vitamina B6, que atua na serotonina, um dos neurotransmissores responsáveis pelo bom humor. “Isso significa que a fruta dará um up no seu astral e ajudará a desmanchar o azedume causado pelos sintomas da ressaca”, afirma Samara.

·       Massas, bolos e pães: ricos em carboidratos, se transformam em açúcar depois de digeridos e fornecem energia para o corpo.

·       Couve e espinafre: contêm ácido fólico, vitamina C e enxofre, para a limpeza do fígado.

·       Grãos integrais: fontes de vitamina B e ácidos, são aliados do processo de desintoxicação do organismo.

·       Ovo: rico em proteína cisteína, que contém glutationa, substância naturalmente produzida pelo organismo para evitar a intoxicação.

·       Tomate: rico em vitamina C, glutationa e potássio. Tem propriedades antioxidantes, que combatem os radicais livres liberados pelo consumo de álcool.

.       Mel: “É importante recuperar a energia do corpo, para passar o mal-estar do corpo. “A melhor coisa para repor energia é o açúcar natural do mel, a frutose. Não tem efeitos colaterais e o organismo absorve rapidinho”, afirma Samara.

Por que ocorre a ressaca?

A ressaca ocorre porque o álcool inibe a produção da vasopressina, hormônio que regula a hidratação do corpo humano. em decorrência desse bloqueio, urina-se mais do que o necessário, gerando forte desidratação. De acordo com o cardiologista Luiz Bettini, professor do curso de Medicina da Universidade Positivo, os efeitos são causados por conta da absorção do álcool no organismo.

Para metabolizar o álcool, diversos órgãos do corpo, principalmente o fígado e o pâncreas, precisam trabalhar mais, causando os sintomas conhecidos da ressaca“, explica.

Outro efeito muito conhecido após a ingestão de bebidas alcoólicas é o aumento da necessidade de urinar. Esse sintoma é explicado pelo estímulo causado pelo álcool na diurese. “Quando a pessoa ingere altas doses de álcool, a bebida aumenta a vontade de ir ao banheiro e, não ocorrendo a ingestão adequada de líquidos, isso acelera o risco de desidratação”, conta Bettini.

A glicose também deve ser um ponto de atenção ao ingerir álcool. “A metabolização do etanol sobrecarrega as células do fígado, que acabam deixando de lado a produção de glicose e aumentam o risco de hipoglicemia”, explica Bettini.

“Os sinais da ressaca só aparecem depois que o álcool já saiu do organismo. A hidratação e o sistema nervoso são afetados por alterações sanguíneas causadas pelas bebidas. A dor de cabeça e as náuseas ocorrem porque todas as bebidas alcoólicas, sejam elas fermentadas (cerveja e vinho, por exemplo) ou destiladas (vodca, conhaque etc.) são vasodilatadoras, e o cérebro reage aos vasos sanguíneos dilatados.

Já a boca seca ocorre porque o álcool diminui o hormônio antidiurético vasopressina – é isso, inclusive, que faz com que a gente vá ao banheiro muitas vezes para fazer xixi enquanto bebe – e resseca o organismo. Estes efeitos retardam os reflexos e a concentração. Por isso, especialistas recomendam que se evite dirigir não apenas quando há álcool no sangue, mas também quando se está de ressaca.

A medida certa do álcool

“A melhor forma de prevenir a ressaca é não beber além da conta”, explica Abrão José Cury, de 60 anos, presidente do Departamento de Clínica Médica da Associação de Paulista de Medicina (APM). “Para os homens não mais do que 40 gramas de álcool por dia e para as mulheres não mais do que 30”.

O cálculo é feito com base na bebida a ser consumida. Dr. Abrão conta que os destilados, por exemplo, têm mais de 40% de teor alcoólico. Então uma dose de uísque de 50 ml já possui 20 gramas de álcool, o que significa que duas doses já passam do indicado.

De acordo com o professor Luiz Bettini, o ideal, ao ingerir álcool, é não ultrapassar mais de dois drinques por dia. “A ingestão moderada corresponde a 30 ml de álcool, sendo, em média, 720 ml de cerveja, 300 ml de vinho ou 60 ml de uísque 100% puro”, ressalta.

Como ninguém vai sair na rua com uma tabelinha no bolso, a recomendação do ponto de vista prático é não beber de estômago vazio e nunca ingerir álcool sem intercalar com água”, adverte Dr Cury.

Água, açúcar e pastilhas. E nunca misturar bebidas

Para a prevenção da ressaca uma dica é ficar em uma só bebida. A mistura confunde os sabores, favorecendo o consumo de “saideiras”. Também é indicado se alimentar antes e durante a ingestão de bebidas, porque isso retarda a absorção para a corrente sanguínea.

Segundo Dr Cury, a ingestão de açúcar e pastilhas para a ressaca não é adequada porque pode promover uma absorção inadequada do álcool pelo organismo. “A melhor prevenção e tratamento é não exagerar e se manter sempre bem hidratado”.

Consumir álcool pode gerar efeitos graves no corpo humano, evoluindo para uma gastrite, duodenite, pancreatite, hepatite ou até para arritmia cardíaca. “Atenção: essas doenças podem ser causadas mesmo com o consumo moderado de álcool, dependendo da pré-disposição de cada pessoa. A ressaca é uma resposta ao exagero, mas é o menor dos problemas”, ressalta o especialista.

Como evitar ou curar os sintomas da ressaca

Seguem algumas dicas do cardiologista Luiz Bettini:

Beba bastante água intercalando com a ingestão de álcool e também durante a ressaca.

Tome suco natural de frutas: um copo de suco de laranja, por exemplo, contém frutose, açúcar que ajuda o corpo a eliminar o álcool.

Repouso. Descansar bastante. A maioria das ressacas some dentro de 24 horas.

Azeite. Nos países do Mediterrâneo, um remédio popular é tomar uma colher de azeite de oliva antes de beber, para diminuir a absorção do álcool. Mas é preciso cuidado, pois a gordura pode levar ao desenvolvimento de outras doenças.

Uma das práticas adotadas em Prontos Socorros para tratar a intoxicação por álcool é a ingestão de compostos de carvão. Comer uma fatia de torrada queimada funciona como uma versão muito mais leve desse tratamento.

O principal conselho para evitar a ressaca é: beba com moderação!

Para quem ainda tem outra maratona pela frente

A nutricionista Samara Lopes, da Clínica Renewmed, também traz dicas importantes para quem ainda tem uma maratona de blocos pela frente. Confira!

  1. Nunca sair de estômago vazio pros blocos, principalmente se for consumir bebidas alcoólicas.
  2. Beber bastante água: antes, durante e depois. “Em média perdemos 750 ml de água por dia através da pele, valor que aumenta  consideravelmente em dias muito quentes ou durante atividade física, e a folia não deixa de ser isso, certo?”, ressalta.
  3. Intercalar bebida alcoólica (se for consumir) com 200 ml de água. Isso evita a desidratação e a ressaca no dia seguinte.
  4. Muito cuidado com bebidas energéticas: em geral possuem muita cafeína e pra quem tem sensibilidade a ela, pode causar algum tipo de desconforto e até estragar a festa. Além do que a cafeína também pode aumentar a chance de desidratação.
  5. Evitar produtos industrializados  e preferir se alimentar de comida de verdade (legumes, frutas, verduras, ovos..) sempre é a melhor opção além de dar mais energia.
  6. E manter-se ativo: a prática de atividade física regular além de ser saudável, faz com que a pessoa tenha mais disposição par aguentar a maratona dos blocos até o último dia.

Dicas para EVITAR a ressaca

Faça um lanchinho antes de sair de casa

Samara Lopes  sugere que a barriga nunca fique vazia, na verdade. “É bom fazer um lanche leve antes de beber e ir comendo algo enquanto estiver bebendo. Pode ser até aquele amendoim clássico de bar ou um mix de castanhas, nozes e outras oleaginosas. De preferência algo que não seja fritura, porque o óleo frito sobrecarrega o fígado, que já terá trabalho com a bebida”.

O álcool será processado pelo organismo junto com a comida, evitando que a bebida “bata” no estômago vazio e cause um estrago.

Tome uma colher de azeite de oliva antes de beber

Muita gente acha que é lenda, mas é real. “O azeite cru diminui o ritmo de absorção do álcool”, esclarece a nutricionista.

Intercale uma dose de bebida com um copo d’água

Esses copos de bebida livre de álcool combatem a desidratação e evitam a boca seca do dia seguinte. Se preferir, pode substituir a água por uma bebida isotônica rica em minerais.

Prefira as bebidas destiladas

as bebidas fermentadas (cerveja, vinho, saquê) têm elementos  metabólicos que agravam todos os sintomas da ressaca. Por isso, opte pelas destiladas (vodca, uísque, tequila e conhaque, por exemplo) se quiser evitar ressaca

Da Redação, com Assessorias

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.