Dicas para quem quer fazer exercícios na areia

Ortopedista alerta sobre os riscos de realizar exercícios na areia, sem o devido preparo físico. Fisiologista ensina alguns cuidados especiais

Redação

No verão a grande maioria das pessoas aproveita os dias de folga para viajar. Muitos  se sentem mais dispostas e motivadas, e os dias de sol costumam ser convidativos para a prática esportiva.Os parques, as praças, as ruas e ela, a queridinha da estação, as praias se tornam palco de caminhadas, pedaladas e corridas. Sim, para muitos, a rotina de treino é um dos itens que não pode faltar na mala.

Embora recomendada para aqueles que buscam desenvolver a força e a resistência, a prática esportiva na areia exige cuidados importantes para evitar lesões. Os exercícios também são mais desgastantes e exigem maior preparo físico, visto que a perda de líquidos e sais minerais pela evaporação, aumentam os riscos de desidratação. Por isso, ficar atento ao horário do treino, é fundamental.

Para estes meses do ano, o médico ortopedista e especialista em traumatologia do esporte, Thiago Righetto faz uma ressalva sobre aqueles que querem curtir esses dias ensolarados na praia, praticando futevôlei, corrida, frescobol ou até mesmo um treino funcional aproveitando o visual. É preciso ter cautela! Se o corpo não está preparado para esse gasto de energia ou para o excesso de esforço, você pode acabar com as suas férias logo nos primeiros dias.  Antes de começar, além de estar em dia com o trabalho de musculação, é preciso realizar um treino de base em asfalto por alguns meses.

“É preciso levar em consideração o condicionamento físico. Se não houver preparo, pode ocorrer lesões diversas, como as musculares, entorses, lesões ligamentares ou por sobrecarga, como as tendinoses” – revela. Não podemos esquecer que esse terreno é totalmente diferente do que encontramos em parques ou academias, que costuma ser uniformes. Como a areia oferece um solo irregular, o impacto é menor, mas automaticamente, o esforço precisa ser maior e isso a longo prazo é extremamente benéfico, porém, em um curto período e sem o devido preparo pode ocasionar lesões.

Mas se a intenção é começar ou finalizar o dia correndo ao ar livre, o solo continua sendo o ponto principal. Além claro, dos fatores básicos, como proteção contra os raios solares, roupas adequadas, bonés e óculos escuros. “Mas o tênis é item obrigatório, tanto no calçadão, quanto na areia. Muitas pessoas acham que é saudável correr descalço, uma vez que está na praia. Entretanto o uso de tênis auxilia na absorção do impacto do pé contra o chão, além de proteger contra a sobrecarga dos joelhos, quadril e coluna. Se você não está acostumado a correr com tênis minimalista ou descalço, esse não é o momento para começar. Ah, e procure correr onde a areia é mais firme e lisa, próxima ao mar”, conclui Righetto.

Além disso, Dr. Thiago Righetto salienta que a prática de exercício físico na praia, permite um fortalecimento dos ossos. Ou seja, é saudável e benéfico usar os noventa dias do verão para se manter ativo, mas cuidado com os excessos. Para evitar lesões, o indicado ainda é manter um ritmo de treino durante todo o ano, sem querer fazer tudo de uma única vez, sobrecarregando os músculos e aumentando as chances de se lesionar.

A dúvida é quem pode correr na areia, o fisiologista do esporte do HCor, Diego Leite de Barros, orienta: “Este tipo de treino, principalmente em areia fofa, é indicado, apenas, para indivíduos bem adaptados. A areia exige mais esforço muscular, pois é um piso que não oferece aderência”, diz. “Ou seja, é preciso fazer mais força para posicionar o corpo, o que causa um desgaste maior em comparação aos treinos em asfalto”, acrescenta.

Para os iniciantes, além de orientação de um profissional, o treino pode ser feito na areia batida – aquela mais próxima ao mar. Caso o objetivo seja manter o condicionamento, segundo o fisiologista, o mais adequado, é correr na rua ou calçada e, preferencialmente, com um tênis apropriado. “O horário, neste caso, faz muita diferença. Para um melhor rendimento, treine em horários onde as temperaturas estão mais amenas, como no início da manhã ou final da tarde”, reforça.

Cuidados antes de encarar essa atividade

Tipo de areia: quanto mais fofa a areia, maior a exigência muscular, e consequentemente seu desgaste. Tudo vai depender do nível de adaptação para esse tipo de atividade.Inclinação: é comum haver uma inclinação acentuada da areia próxima ao mar. Segundo o fisiologista, é preciso cuidado: “Procure sempre o local mais plano para realizar seu treino. Muito tempo correndo, ou mesmo caminhando em uma superfície inclinada, pode provocar maior sobrecarga em um único lado do corpo, o que aumenta a chance de lesões”, destaca.

Hidratação: por causa da exposição excessiva ao sol, o nível de desidratação costuma ser maior na praia. O ideal é sempre ter à mão uma garrafinha de água ou fazer paradas a cada 20 ou 30 minutos para se hidratar.

Treino: corredores experientes devem optar por um treino com volume ou intensidade menor. Para os iniciantes da prática, a atenção tem de ser redobrada. “É importante considerar o desgaste que essa atividade causa. Por isso, quem está começando este tipo de atividade deve dar preferência às caminhadas, sempre respeitado seus limites e a sensação de conforto”, comenta Barros.

Tênis ou descalço: para quem já tem experiência, correr descalço na areia fofa é o mais indicado. Para quem não está acostumado com este tipo de treino, o fisiologista do HCor recomenda o uso de tênis, principalmente para aqueles percorrem longas distâncias.

Com Assessorias