Empresas e ONGs se unem para ajudar comunidades

A pandemia de coronavírus virou o mundo de cabeça para baixo e os primeiros reflexos já são sentidos no Brasil. Há poucas semanas, não imaginaríamos que a maioria de nós estivesse praticando o isolamento social e trabalhando de home office – as incertezas econômicas diante da pandemia de coronavírus são muitas. Em alguns poucos dias de sintomas, a Covid-19 trouxe estragos gigantescos para toda a população do Brasil. Além das pessoas que faleceram, muitas outras sofrem com a perda de seus empregos ou de alguma renda, que ajudava diretamente a manter as contas de casa e alimentação.

A crise se espalha pelos mais diversos setores, mas junto com ela, também cresce a solidariedade. Com o isolamento social, muitas famílias, principalmente da periferia de São Paulo têm passado alguns apertos diante do cenário atual e futuro incerto do País. Com a importância de manter a quarentena, atendendo às orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e das autoridades locais, muitas pessoas que trabalham na informalidade ou que estão desempregadas precisam de ajuda para se manterem neste período desafiador.

Segundo dados da pesquisa Data Favela, a pandemia já afeta 97% das 13,6 milhões de pessoas que moram em comunidades, principalmente, os autônomos. Sendo assim, cerca de 86% dos moradores de favelas vão passar fome por causa do coronavírus. O estudo realizou 1.142 entrevistas, no mês de março, em 262 comunidades de todos os Estados da Federação. Foram ouvidos homens e mulheres com 16 anos ou mais, e a margem de erro é de 2,9 pontos percentuais. Visando o cenário acima e com a expectativa de amenizar a “dor” da comunidade, ONGs e comerciantes locais se unem para doar cestas básicas – alimentos, álcool em gel, máscaras, sabonetes etc. 

No Bloco do Beco, em São Paulo, comerciantes locais já se mobilizaram a iniciativa do bloco e estão contribuindo para amenizar as perdas da comunidade. A Dassi Boutique, loja que nasceu no bairro e hoje fatura quase R$ 10 milhões/ano, sabe a importância de manter a comunidade ativa em tempos de crise. “Sabemos da realidade da comunidade, isso acontece aqui e em todo o Brasil, mas, ainda sim, com as dificuldades a própria comunidade se ajuda e cria mecanismos de sobrevivência”, complementa a CEO da Dassi Boutique, Sirlene Costa.

É necessário entender o cenário que o país está passando, mas, muitas vezes, o morador da favela não tem como ficar em casa de quarentena, ele já recebe um salário mínimo – o que não é muito – e ficar em casa não melhora o cenário. Esse trabalhador paga aluguel, água, luz, comida, e por vezes é esse cidadão que sustenta toda a família, que mantém a casa ativa”, menciona o diretor da Associação Cultural Bloco do Beco, Luiz Cláudio Souza. 

Crescer & Semear atende famílias vulneráveis

Em época de pandemia e isolamento social, o Crescer & Semear levantou uma grande preocupação, com as famílias mais vulneráveis dos alunos de escolas públicas, que não possuem condição financeira para se alimentarem e até mesmo de se protegerem do coronavírus. Esta condição torna-se mais grave quando estes alunos fazem nas unidades de ensino, a principal ou até mesmo a única refeição do dia.

Diante disso, o Instituto Alice, responsável pelo projeto Crescer & Semear, realizou uma campanha de arrecadação de donativos e dinheiro, para a entrega de 100 cestas básicas a estas famílias. Estabeleceu parceria com 10 empresas e engajou 251 doadores, conseguindo assim, distribuir mais de 2 toneladas de alimentos, cerca de 500 kg de material de limpeza e de higiene, para 100 famílias de Blumenau e Indaial, em Santa Catarina.

A ação conseguiu atender 623 pessoas, dentre elas, 124 alunos de escolas públicas, contando com a ajuda de 18 anjos voluntários. Todas as etapas da ação seguiram rigorosos protocolos, a fim de evitar riscos de contaminação para qualquer um dos envolvidos. E a campanha não para por aí. Nos dias 4 e 5 de abril, o mutirão levou almoço e jantar para um abrigo que acolhe, em média, 80 moradores de rua, frequentadores assíduos do local, onde regularmente podem tomar banho, trocar de roupas e se alimentar. Nesta ação, foram distribuídas por volta de 360 refeições.

No dia 11 de abril, o Crescer & Semear ampliou os atendimentos. Além do abrigo atendido, receberam refeições, as famílias de Blumenau que receberam as cestas básicas e mais um abrigo de moradores de rua, em um total de quase 600 refeições. As crianças das famílias da ação em Blumenau receberam ovos de Páscoa de uma empresa, que também se engajou na ação.

Ong Visão Mundial doa 800 cestas básicas

Diante da dimensão da miséria brasileira, especialistas preveem um cenário de caos social nos próximos meses. Para conter esse impacto social e colapso do sistema de saúde, os governos pelo mundo têm agido fortemente na conscientização pela prevenção. Pensando em ajudar prioritariamente às crianças e adolescentes que vivem em comunidades empobrecidas e em situação de vulnerabilidade, a ONG Visão Mundial está distribuindo, no Rio de Janeiro (RJ), 800 cestas básicas, kits de higiene e materiais educativos para instruir sobre cuidados necessários na prevenção.

Também constam nos kits materiais que incentivam a interação com as crianças e promovem a ternura em tempos de isolamento social. A ONG pede doações para conseguir aumentar a quantidade de kits doados e o número de famílias atendidas. A campanha de doação Juntos Pelas Crianças contra o COVID-19 foi lançada no dia 27 de março.

As primeiras entregas aconteceram em Recife (PE), Maceió (AL), Fortaleza (CE), Rio de Janeiro, Salvador (BA), São José dos Campos (SP) e São Paulo. Entregas também estão previstas para as próximas semanas em Boa Vista (RR), Fortaleza (CE), Governador Dix-Sept Rosado (RN), Inhapi (AL) e Canapi (AL), porém, ainda sem data definida.

Infância com ternura – A campanha prevê três possibilidade de doação. Em todas, serão entregues materiais que estimulam a interação com a criança e os adolescentes em atividades lúdicas e educativas, com o foco no cuidado e na ternura. “Além de dicas importante de prevenção do contágio, buscamos amenizar os efeitos desse período de isolamento social, com sugestões de atividades que possam ser trabalhadas por pais e responsáveis com as crianças”, conta Andrea Freire, gerente de operações de emergência da Visão Mundial.

No kit mais básico da campanha de doação, chamado de Caixa de Ternura, será entregue uma cartilha informativa sobre cuidados e proteção contra a COVID-19; materiais educativos, de cuidado para as crianças; bíblia sagrada infantil; salmos e provérbios para colorir; brinquedos pedagógico e matérias de entretenimento, como caderno, lápis grafite, borracha, lápis de cor e massinha de modelar. No Kit de Prevenção e Proteção, também serão entregues itens de higiene básica, como sabão, álcool em gel, álcool para limpeza, material desinfetante, luvas e máscaras. Há, ainda, uma terceira possibilidade, onde doadores garantem a entrega da Caixa de Ternura e do Kit de Prevenção e Proteção, além de auxílio financeiro e aconselhamento terapêutico a famílias identificadas pela Visão Mundial.

Como ajudar – Um número muito maior de famílias estão em situação de vulnerabilidade e precisam de ajuda e precisam garantir proteção e segurança. A ONG, que dedica todos os esforços e recursos para contribuir com o alcance do bem-estar de crianças, adolescentes e jovens que vivem nas comunidades mais pobres de nosso país, pede doações para conseguir aumentar a quantidade de kits doados e o número de famílias atendidas.

Há também a possibilidade de empresas de higiene e limpeza ou de organizações realizarem doações de lotes desses produtos. Para todas as doações, a Visão Mundial disponibiliza o telefone 0800 70 70 374 e o site http://visaomundial.org/covid19/.

ONG doa 1.500 cestas básicas a famílias

Unibes – União Brasileiro Israelita do Bem Estar Social, atuante há mais de 100 anos na cidade de São Paulo e considerada uma das instituições mais respeitadas do terceiro setor, atende a um público formado por crianças, adolescentes, idosos e famílias que vivem em situação de vulnerabilidade social.

Com os desdobramentos do novo coronavírus, a instituição organizou uma campanha de arrecadação de cestas básicas para as famílias que dependem do CCA (Centro de Criança e do Adolescente) e do SASF (Serviço de Assistência Social Família) para as refeições do dia. Os centros estão fechados desde o dia 23 de março.

A instituição deu início à entrega das cestas para as mais de 1.500 famílias atendidas e a campanha segue arrecadando. As entregas estão sendo feitas individualmente, para garantir a segurança dos colaboradores da Unibes e dos atendidos, em períodos agendados e respeitando o distanciamento necessário durante a ação. Caso queira doar, acesse o link: https://unibes.doareacao.com.br/

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais