Esqueceu o protetor e queimou demais no sol?

Especialistas dão dicas do que fazer para minimizar a dor, cuidar da descamação e recuperar a pele mais rapidamente

Redação

Calor de mais de 40 graus e sensação térmica beirando os 50. Assim tem sido os últimos dias no Rio de Janeiro e em vários lugares do país. Você aproveitou o calorão, se esqueceu de passar protetor solar, abusou da exposição ao sol e agora está com a pele vermelha e ardendo? Não se preocupe! Existem algumas dicas e técnicas para minimizar tudo isso.

“A falta de cuidados com a proteção de pele é a principal causa de queimaduras, que ficam aparentes na pele entre duas a seis horas depois da exposição solar. A queimadura passa por alguns estágios que vão desde a vermelhidão, a formação de bolhas, a escamação e a descamação”, diz a dermatologista Paula França Müller. Caso isso ocorra, é preciso observar alguns cuidados, que podem ajudar a minimizar a dor e a recuperar a pele mais rapidamente.

“Mas, se ocorrer febre, aí será preciso procurar um médico, principalmente se for alguma queimadura mais grave. “A queimadura solar é caracterizada por uma inflamação que pode apresentar-se como mancha avermelhada ou mesmo bolhas no local acometido. Seus sintomas são dor, queimação, ardência, pinicamento, mudança de textura da pele e, às vezes, bolhas. O aparecimento delas está ligado à profundidade e à gravidade da queimadura”, explica Maria Paula Del Nero, da Sociedade Brasileira de Dermatologia.

Mas, lembre-se: o ideal mesmo é se prevenir, passando protetor solar e renovando-o a cada duas ou três horas, além de usar chapéus e bonés, ressalta a médica, pós-graduada em dermatologia pelo Instituto Superior de Medicina (ISMD), de São Paulo. Ela listou algumas dicas importantes no cuidado com a pele.

Use compressa de água gelada com toalhas macias ou gaze para ajudar a baixar a temperatura corporal

  1. Repouse, descanse e não se esforce. A insolação traz cansaço e dores.
  2. Se houver febre, corra para o médico, que indicará o uso de medicamentos.
  3. Hidrate a pele passando cremes hidratantes, que ajudam a aliviar a dor.
  4. Hidrate o corpo bebendo muito líquido, principalmente água gelada, água de coco e sucos naturais.
  5. Evite uma nova exposição ao sol durante algum tempo.
  6. Não estoure as bolhar e, se elas estourarem sozinhas, não puxe a pele.
  7. Evite arrancar a pele descamada, pois ela protege a que está nascendo, por baixo.

‘Tive queimadura de primeiro e segundo grau’

Maria Paula Del Nero explica que as queimaduras de sol são classificadas em três graus:

  • queimaduras de sol de primeiro grau – atingem a camada mais superficial da pele (a epiderme); quando ocorrem, causam avermelhamento (mancha escura);
  • queimaduras de sol de segundo grau – atingem a epiderme e parte da derme mais profunda. É comum que a pessoa sinta dor, tenha inchaço e que forme quase bolha ou bolha superficial;
  • queimaduras de sol de terceiro grau – atingem a camada mais profunda da pele. Esse caso é o mais grave com formação de bolhas e exigem tratamento/cuidados médicos especiais.
Veja os cuidados que se deve ter nestes casos:

1-Lave a pele com água mais fresca;

2- Borrife água termal ou faça compressa com chá de camomila gelado;

3- Aplique cremes calmantes indicados por seu dermatologista.” Prefiro cremes que tirem o vermelhão e a ardência mas que não são corticoide.” Completa a médica.

4-Aplique cremes cicatrizantes (também indicados por dermatologista) para evitar que se forme bolhas;

5-Use um filtro solar mais potente e lembre-se de reaplicar se for se expor novamente ao sol;

6- Comecei a descascar?! A dermatologista indica não puxar a pele solta! “A troca da superfície danificada por uma nova é mais sensível e deve ocorrer de forma natural para evitar marcas”, explica. Esfolie a região levemente até duas vezes por semana e capriche na hidratação do corpo.

Sol, praia, piscina: aquela combinação para um verão perfeito. Contudo, os cuidados com a saúde no verão precisam de atenção especial para evitar desidratações, envelhecimento da pele, queimaduras e também a exposição que pode resultar em câncer de pele.

Um dos aliados indispensáveis para esses meses quentes (e dias nublados também) é o protetor solar, que protege a pele contra os raios ultravioletas (UVA e UVB). Contudo uma pesquisa respondida pelos usuários do aplicativo gratuito Quinto, mostram que 89% dos usuários do app de opinião pública não utilizam protetor solar todos os dias.

De acordo com o Ministério da Saúde o câncer de pele é o mais comum no Brasil e Mundo, mais frequente em pessoas com mais de 40 anos e é causado principalmente pela exposição excessiva ao sol. Para os usuários do Quinto a prevenção contra o câncer ainda não é prioridade. Apenas 36% responderam que se previnem contra a doença

Abaixo algumas dicas para curtir o verão sem descuidar da pele

– Usar o protetor solar diariamente – Aplicar o produto de 20 a 30 minutos antes da exposição solar e fazer a renovação a cada 3 horas para quem está na praia ou piscina. Trabalhadores que ficam expostos aos raios solares as recomendações são as mesmas.

– Água doce após banho de praia – Após um dia na areia e mar deve-se tomar um banho com água doce, de preferência fria, para se livrar do sal que pode causar o ressecamento da pele. Uma dica é levar uma garrafa de água doce para jogar no corpo assim que sair da areia.

– Evitar procedimentos estéticos no verão: Para as mulheres que fazem tratamentos com laser ou produtos químicos é recomendável evitar esses procedimentos que causam manchas na pele difíceis de remover e podem danificar a pele bronzeada.

– Invista em betacaroteno – Comer cenoura, mamão, abóbora e beterraba deixam a pele morena por mais tempo e protegem do sol deixando a pele mais bonita e hidratada.

– Horários específicos: Entre 10h e 16h deve-se evitar a exposição solar direta, Nesse horário procurar um guarda-sol, tenda ou bar da praia para evitar insolação ou queimaduras. Para quem deseja se bronzear um protetor solar mais fraco FPS 4 ou 8 que filtra os raios nocivos e deixam a pele bonita e protegida.

• A exposição solar sem proteção é a principal causa do envelhecimento precoce da pele. Por isso, o uso do protetor solar deve ser diário, independente da estação. Os raios ultravioletas conseguem ultrapassar as nuvens mesmo nos dias nublados e frios.

• Ao comprar um protetor solar, procure por produtos que ofereçam “proteção de amplo espectro” no rótulo para garantir que você esteja protegido dos raios UVA, responsáveis pelo envelhecimento, e UVB, causadores das queimaduras.

• A quantidade de protetor solar necessária para aplicar no corpo todo é de cerca de 30 ml (equivalente a um copo de shot). Só o rosto precisa de uma colher de chá (5 g).

• Aplique protetor solar cerca de 15 a 20 minutos antes de se expor ao sol, tempo suficiente para que o produto penetre na pele. O aspecto avermelhado indica que o dano já começou.

• Proteja todas as áreas expostas da pele, incluindo as orelhas, pescoço e até pontos de calvície. Vista roupas com proteção solar, como camisas de manga comprida, calças compridas e chapéus de abas largas. Também use óculos de sol com proteção UVA e UVB para proteger as pálpebras e ainda evitar a exposição aos raios UVB, que pode levar à catarata.

• Não pense que o vidro do carro é capaz de proteger sua pele. Os raios do sol penetram através do vidro, por isso proteja-se mesmo que você não esteja na luz solar direta.

• Torne o uso do protetor solar um hábito e reaplique sempre após sudorese intensa, nadar ou banhar-se, secar-se com toalha e durante a exposição ao sol.

• Não se exponha ao sol durante as horas mais quentes do dia. Procure a sombra sempre que possível.

• Se você quer uma pele bronzeada, lance mão de um autobronzeador. Mas lembre-se de usar protetor solar ao se expor ao sol.

• Use um protetor solar específico para o rosto.

Confira alguns cuidados especiais

Higiene

Para a pele do rosto a higiene também é muito importante, sendo recomendada sua limpeza duas vezes ao dia, de manhã e à noite, para evitar o acúmulo de oleosidade e resíduos de maquiagem e outros produtos, poluentes e poeira. O acúmulo de sujeira na pele do rosto leva à oclusão dos poros, e favorece o aparecimento de cravos e espinhas, além de contribuir para o envelhecimento precoce.

De acordo com Simone Neri, dermatologista, é recomendável usar sabonete adequado para cada tipo de pele, preferencialmente, líquido. Para peles oleosas a mistas, o ideal é optar por sabonetes à base de ingredientes adstringentes que favorecem a remoção das impurezas e a desobstrução dos poros.

No caso das peles secas e normais, o ideal são os sabonetes líquidos com PH neutro e complementação do processo com loção de limpeza. Os tônicos ajudam a remover os traços de óleo, sujeira e maquiagem que o sabonete pode ter deixado durante a limpeza. Se quiser, pode usá-lo para retirar a maquiagem também.

Hidratação

Uma boa hidratação diária da pele auxilia na manutenção do viço e da beleza, além de manter a integridade da camada de proteção cutânea e evitar problemas como descamação, ressecamento, envelhecimento precoce, irritações e infecções. Mas atenção! É importante o uso do produto adequado a cada tipo de pele que deve ser indicado por seu dermatologista.

Tanto a pele do corpo quanto a do rosto necessitam de hidratação que deve ser específica para cada área. As peles secas necessitam de uma maior emoliência, porém, já as peles oleosas podem contar com a ajuda dos produtos oil-free, a base de água, que hidratam sem engordurar. Uma boa hidratação deve ser feita por dentro e por fora. Por isso, além do uso de produtos específicos, recomenda-se a ingestão diária de, no mínimo, dois litros de água.

Proteção

Os fotoprotetores, também conhecidos como protetores solares ou filtros solares, são produtos capazes de prevenir os males provocados pela exposição solar, como o câncer da pele, o envelhecimento precoce e a queimadura solar.

A exposição à radiação ultravioleta (UV) tem efeito cumulativo e os raios solares penetram profundamente na pele, podendo provocar diversas alterações, como o surgimento de pintas, sardas, manchas, rugas e outros problemas.

“Ao sair ao ar livre, procurar ficar na sombra, principalmente no horário entre 10h e 16h, quando a radiação UVB é mais intensa. Usar sempre protetor solar com fator de proteção solar (FPS) 30 ou maior. Cobrir as áreas expostas com roupas apropriadas, como uma camisa de manga comprida, calças e um chapéu de abas largas. Óculos escuros também complementam as estratégias de proteção”, finaliza a dermatologista Simone Neri.

Com Assessorias (atualizado em 14/01/2020)

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.