Famosos revelam sofrer de transtornos mentais

lady gaga

Destacamos domingo no Jornal O DIA o caso da atriz Giovanna Antonelli que revelou ter sofrido sintomas típicos da síndrome do pânico quando era criança, após sofrer 12 assaltos no Rio  (veja a matéria aqui). Abordamos no Blog Vida & Ação o caso da apresentadora Angélica, que também contou recentemente que foi diagnosticada com o transtorno após sofrer um acidente aéreo com os filhos em 2015 (veja a matéria aqui).

Cada vez mais famosos e anônimos estão expondo que sofrem com transtornos psicológicos. O ator Marcos Pasquim já havia declarado publicamente se tratar de agorafobia  (veja aqui). Celebridades internacionais também admitem que sofrem de doenças mentais. A cantora Lady Gaga contou ter sofrido durante longos cinco anos com Transtorno de Estresse Pós Traumático (TEPT).

Em uma campanha para a instituição Heads Together, a diva pop revelou em carta aberta: “Lutei durante algum tempo sobre quando, como e se deveria revelar meu diagnóstico. Depois de cinco anos de procura das respostas à minha dor crônica e à mudança que senti em meu cérebro, finalmente estou suficientemente bem para contá-lo. Existe uma boa dose de vergonha que acompanha a doença mental, mas é importante que se saiba que há esperança e uma oportunidade de recuperação”. Gaga também abriu uma Fundação chamada ‘Born this way’ para ajudar pessoas com o mesmo problema.

Confira o vídeo com celebridades internacionais

https://www.youtube.com/watch?v=73WmwtJM-50

Nem a realeza escapa: o Príncipe William, contou em um vídeo para campanha com a cantora Lady Gaga que o estigma ainda é mais profundo para os homens. “Todos iremos passar por momentos difíceis em nossas vidas, mas os homens sentem especialmente a necessidade de fingir que tudo está bem, porque admitir isso a seus amigos pode fazer com que pareçam frágeis. Posso afirmar que isso na verdade é um sinal de força.”

Nesta campanha internacional, outros nomes como David Beckham, Ryan Reynolds, Carrie Fisher também relataram suas experiências. Modelo e atriz, Cara Delavigne publicou para seus fãs um tuíte sobre sua enfermidade. “Sofro de depressão e trabalhei como modelo durante um período bastante difícil de autodesprezo”, sentenciou.

O cantor Kid Cudi postou em uma rede social um desabafo sobre como é viver com a depressão: “Minha ansiedade e a depressão governaram minha vida durante todo o tempo de que me lembro e nunca saio de casa por isso. Não consigo fazer novos amigos por isso. Não confio em ninguém por isso e estou cansado. Mereço ter paz. Mereço ser feliz e sorrir”.

Hipnose ajuda no tratamento

Para a psicóloga Miriam Farias,  é importante é classificar o risco e a motivação das doenças que afetam a mente, além de desmistificar os males que acometem o emocional e, às vezes, doem na “alma”.  Especialista em Hipnose Clinica, ela explica que o estresse ou momentos difíceis que a pessoas esteja passando podem ser o estopim para desencadear alguma doença. Por isso, cuidar das emoções é tão importante quanto cuidar da saúde do corpo.

“O estresse, a ansiedade, a depressão, as fobias e o pânico estão chegando a níveis alarmantes e podem causar sintomas físicos como dores de estômago, úlceras, fortes dores de cabeça, cansaço excessivo, insônias, entre outros fatores que influenciam na saúde física e mental”, alerta. Mas dependendo do nível das crises, ela pode ser tratada com terapias e mudanças de hábitos.  “A hipnose  por exemplo,  é 80%  mais eficaz que as terapias convencionais”, garante a especialista. “Nós vamos investigar a causa das crises e trabalhamos o emocional, de dentro para fora, transformamos o medo em confiança, o estresse em equilíbrio, e sugerimos mudanças de hábitos”, ressalta.

Segundo a psicóloga, quando a pessoa está hipnotizada ela não perde a sua capacidade de raciocinar. Pelo contrário. Ela consegue resolver problemas complexos, fazer improvisos e ainda manter uma capacidade crítica sobre o que lhe está sendo sugerido. A prática de hipnose atua no sistema nervoso parassimpático, regulando e equilibrando o ritmo natural da pessoa, levando o paciente ao equilíbrio e tranquilidade. No estado hipnótico a pessoa produz substâncias do prazer, que aumenta a produção de   serotonina e endorfina.

A hipnose é uma pratica reconhecida pelos conselhos Federal de psicologia, medicina, odontologia e fisioterapia. No Brasil a hipnose é uma técnica aprovada pelo CFM (Conselho Federal de Medicina), em 20/08/99, através do Parecer nº 42/99. Os resultados positivos do tratamento, que se mostram definitivos na maioria dos casos de tabagismo, são obtidos através do equilíbrio entre o desejo de parar de fumar, e o tratamento dos sentimentos e emoções, que levam o paciente a encontrar no cigarro uma válvula de escape para suas questões emocionais.

O medo de ter medo

Segundo Miriam, na agorafobia e na síndrome de pânico, a pessoa sente “medo de ter medo”. A ansiedade de sair de casa e ter uma crise a impede de se expor a situações fora de casa, por isso o comportamento mais comum na agorafobia é a evitação, a esquiva, a fuga de situações fora de sua zona de conforto – normalmente sua casa.

Durante a crise a pessoa pode chegar a ter a sensação de que está enlouquecendo, o que a faz evitar certos lugares, por exemplo, não vai mais ao cinema pois  tem medo de passar mal; não sai de carro, não entra em supermercado, não entra em banco. Tudo isso devido à agorafobia sofrida em uma situação anterior e associada ao pânico, diz a especialista.

Segundo ela, é possível se prevenir e ser ajudado. “A dica é procure realizar atividades prazerosas, estar entre amigos, se possível, realizar atividade física, não assumir responsabilidades além do seu limite, evitar cobranças excessivas, valorize os momentos de lazer. Em alguns casos é indicada a ajuda de um psicólogo para investigar a origem do problema”, explica.

Fonte: Miriam Farias, com Redação

Por Favor, Compartilhe!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais