Favelas recebem cestas básicas, kits de higiene e testes

Campanha viabiliza compra de testes para instituições que atuam nas comunidades cariocas.

Por meio de um aplicativo, já é possível fazer as doações de testes rápidos de Covid-19 para instituições que atuam nas favelas cariocas. O mais interessante é que essa doação pode ser feita sem desembolsar nenhum real. Essa ideia é possível graças à união da recém-criada Favela Sem Corona e a Ribon (uma plataforma de experiência de doação onde usuários doam diariamente até mesmo de graça). A chegada do primeiro lote com 100 testes adquiridos com esta ação está prevista para o dia 6 de abril.

Para fazer a doação, é necessário baixar o aplicativo da Ribon. Dentro do app o processo de doação é bem simples: todo dia a plataforma envia uma boa notícia sobre algo relevante que está acontecendo no mundo. Essas notícias vêm sempre acompanhadas de 100 ribons (moeda usada no aplicativo) para serem coletadas gratuitamente e doadas depois.

As doações podem ser feitas para qualquer uma das cinco causas do app, que atualmente são: nutrição infantil, saúde básica, água potável, medicamentos, e agora, testes de Covid-19. Caso o usuário queira aumentar o seu impacto, a plataforma disponibiliza um serviço de assinatura de doações, no qual é possível escolher um pacote de ribons para assinar e então receber uma quantia bem maior da moeda semanalmente.

Todas as ONGs disponíveis no app trabalham em regiões de extrema pobreza na África e Ásia. O Favela Sem Corona é a primeira com sede no Brasil a receber ajuda dentro da plataforma. A iniciativa se inspirou em países como a Coreia do Sul para desenvolver um plano de prevenção da doença em favelas, partindo do princípio de que, quanto mais cedo forem detectados os casos de pessoas infectadas com o Covid-19, maiores as chances de evitar que o vírus se espalhe nessas regiões.

Além do trabalho de distribuição de testes rápidos, o projeto vai ajudar no mapeamento de casos com o “Mapa do Corona”, mostrando os casos confirmados em cada bairro do Rio de Janeiro. O mapa também mostra a faixa etária dos infectados e vários outros dados úteis para embasar tomadas de decisão de quem está trabalhando com essa causa.

O idealizador da iniciativa, o carioca Pedro Berto, é estudante de Administração Pública na Fundação Getúlio Vargas (FGV) de São Paulo e trabalha atualmente na Redpoint Eventures. Ele conhece bem a realidade desses lugares por ter nascido em uma favela do Rio. Em tempo recorde, conseguiu mobilizar 12 voluntários, fazer parcerias e arrecadar doações para a compra do primeiro lote de testes. A preocupação maior é com a falta de infraestrutura das favelas onde é comum ter muitas pessoas convivendo em um mesmo cômodo, impossibilitando uma ação de isolamento social.

No site do Favela Sem Corona também está operando um chatbot em que qualquer morador dessas comunidades consegue fazer denúncias de violação de direitos humanos, violência contra a mulher, problemas de saúde pública e até questões trabalhistas. O projeto faz o encaminhamento dos casos para os órgãos e entidades competentes resolverem essas questões em época de quarentena. “Por enquanto não fazemos doações de cestas básicas porque percebemos que outras entidades já estão trabalhando bem nessa área. Então, se aparece essa demanda, conseguimos indicar quem está fazendo isso, por exemplo”, esclarece Pedro.

O uso da tecnologia para campanhas e causas sociais como o Favela Sem Corona faz parte do DNA de socialtechs (startups com foco social) como a Ribon. “Estávamos em processo de escolha da primeira ONG brasileira a receber as doações feitas pelos nossos usuários. Fazer essa parceria é uma forma que conseguimos colaborar para gerar um impacto maior na vida das pessoas”, explica Rafael Rodeiro, CEO da Ribon.

Para baixar o app Ribon: https://rib.app.link/baixaragora

Favela Sem Corona: http://www.favelasemcorona.com/

Ribon: www.ribon.io

Campanha quer ajudar 250 famílias no Rio

Em meio à pandemia de coronavírus, o Saúde Criança, organização social que há 28 anos trabalha na promoção da saúde e do desenvolvimento humano e no combate à pobreza, lança a campanha #UmaMãoLavaAOutra, com o objetivo de arrecadar fundos para que 250 famílias vulneráveis do Rio de Janeiro tenham acesso ao mínimo de sobrevivência durante a crise. Através de doação de pessoas físicas, a organização vai garantir itens básicos de alimentação, higiene pessoal, medicamentos e outras necessidades para famílias inteiras, que também vão movimentar a economia local, sem colocar suas vidas em risco.

Além do apoio financeiro, a organização continua atendendo as famílias de maneira remota. Por telefone ou aplicativo de mensagens, o corpo técnico da equipe ampliou as orientações nutricionais, as instruções médicas, as indicações de educação e salubridade das moradias, e o atendimento psicológico. “O isolamento social pode ter diversas consequências. É necessário cuidar da saúde mental das pessoas, principalmente as que se encontram em situação de vulnerabilidade social”, conta Fabiana Pádua, psicóloga da organização.

Para estimular as doações, a organização fez um apelo para que artistas, influenciadores, jornalistas e toda a sociedade civil se juntem à campanha. Faça sua doação, poste um vídeo em suas redes sociais usando as hashtags #SaúdeCriança e #UmaMãoLavaAOutra e convide amigos e família para participarem”. Seguindo o histórico de transparência e compromisso com seus doadores, o Saúde Criança, que ao longo de sua história já atendeu mais de 75 mil pessoas, lançará publicamente as prestações de contas da campanha.

Para fazer parte deste movimento, faça sua doação por cartão de crédito ou por transferência bancária: 

Itaú – Agência 0532 – CC 18096-5

Bradesco – Agência 1444 – CC 26259-5

Banco do Brasil – Agência 3519-x – CC 29.905-7

CNPJ: 40.358.848/0001-01 – Razão social: Associação Saúde Criança Renascer

*Se possível, coloque 1 centavo a mais para identificação da doação. #SaúdeCriança #UmaMãoLavaAOutra

ONG faz parcerias com grandes empresas

Para ajudar a conter o impacto social e principalmente o colapso do sistema de saúde, muitas instituições têm agido fortemente na conscientização pela prevenção do coronavírus. Com o objetivo de, além de informações, levar também soluções a famílias que vivem em comunidades empobrecidas e em situação de vulnerabilidade, a ONG Visão Mundial reforça o seu trabalho ao firmar duas grandes parcerias: uma com a XP Inc e outra com a AME Digital.

Na quinta-feira (26), o fundador e CEO da XP Inc, Guilherme Benchimol, divulgou um investimento de R$ 25 milhões em cestas básicas, destinadas a famílias que tiveram seu sustento impactado por medidas de quarentena e afastamento social. A doação inicial será feita a três ONG’s parceiras: Gerando Falcões, Amigos do Bem e Visão Mundial.

Essa ação soma esforços e ajuda a amplificar o que já está sendo desenvolvido neste sentido pela Visão Mundial. Com a parceria, a ONG irá alcançar cerca de 65.000 mil pessoas em nove municípios: São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Brasília, Salvador, Maceió, Recife, João Pessoa e Fortaleza. “Faremos o que estiver no nosso alcance para dar suporte a quem precisa”, ressalta Valeria Bolos, Coordenadora Nacional de Parcerias e Captação da ONG Visão Mundial.

Outra organização que une esforços com a Visão Mundial é a AME Digital, uma plataforma de pagamento digital e cashback do grupo B2W. A AME concederá 50% de dinheiro de volta para quem fizer doações a entidades usando a plataforma, com o limite máximo de R$ 15 de cashback. Os valores serão destinados a ações emergenciais, compra de cestas básicas e atendimento preventivo. A iniciativa faz parte da campanha #AmeFazerSuaParte, que visa a doação e conscientização de boas práticas em tempos de quarentena. As doações recebidas por está via pela Visão Mundial serão destinadas a comunidades impactadas pela COVID-19 nas quais a ONG atua.

Para a Visão Mundial, essas parcerias são importantes para garantir a sobrevivência dos mais afetados. A expectativa é que outras empresas do setor privado ajudem a dar assistência para quem necessita nas comunidades onde, muitas vezes, falta até saneamento básico, o que dificulta as medidas de prevenção às doenças e facilita a disseminação do vírus. A Visão Mundial se dedica integralmente à missão de ajuda humanitária em todos os países onde atua.

São Paulo

Campanha para ajudar famílias em vulnerabilidade

O Instituto CCP preparou uma campanha de arrecadação de fundos para contribuir ao combate do COVID-19 e ajudar famílias em vulnerabilidade que residem no entorno dos shoppings da rede, assim como o Shopping Cidade São Paulo. A ação acontece até 3 de abril e visa colaborar para este momento em que a generosidade e a empatia são ponto de partida para todas as ações institucionais.

A campanha #sejasolidário tem como objetivo reverter o valor total arrecadado durante as doações em kits de higiene, limpeza e alimentação, que serão distribuídos com a ajuda de ONGs parceiras para famílias que estão próximas aos empreendimentos CCP e que precisam de apoio e auxílio, principalmente neste momento.

Para que o máximo de famílias possa receber a ajuda, a cada um real doado pelas pessoas, o Instituto CCP irá adicionar mais um real e os acionistas CCP também, multiplicando em três vezes o valor total arrecadado. O teto máximo de arrecadação multiplicada será de 100 mil reais. Para contribuir, basta fazer o depósito na conta corrente sinalizada abaixo.

A campanha está aberta a receber doações até 03 de abril. O Instituto CCP e o Shopping Cidade São Paulo contam com a ajuda e união de todos para fazer com que este momento seja melhor.

Conta para depósito: CNPJ: 33.007.027/0001-65 – Banco: Safra (422) – Ag: 0034 – C/C: 44961-6 @shoppingcidadesp

Shopping Cidade São Paulo – Av. Paulista, 1230 – Bela Vista, São Paulo = Central de Atendimento: (11) 3595-1230 / WhatsApp: (11) 98695-0124

Por Favor, Compartilhe!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais