Entenda a fibromialgia que tirou Lady Gaga de festival

Lady Gaga, que sofre de fibromialgia, cancela apresentação em festival de rock. Especialistas explicam a doença

Cantora pop revelou um dia, pelo Twitter, antes sofrer de fibromialgia (Foto: Jon Kopaloff/FilmMagic)
Cantora pop revelou um dia, pelo Twitter, antes sofrer de fibromialgia (Foto: Jon Kopaloff/FilmMagic)
Cantora pop no Grammy Awards 2017: ela revelou, pelo Twitter, sofrer de fibromialgia (Foto: Jon Kopaloff/FilmMagic)

Lady Gaga não vem mais ao Brasil. Decepção para os fãs, alívio para quem sofre com uma dor invisível, que muitas vezes não consegue nem andar, que dirá dançar e cantar com o vigor de uma diva da música pop. A estrela que frustrou milhares de fãs que esperavam ver seu show no Rock in Rio na noite desta sexta-feira (15) é uma entre as milhares de vítimas da fibromialgia em todo o mundo. Ainda indecifrável, a doença afeta 10 vezes mais mulheres do que homens. A Sociedade Brasileira de Reumatologia (SBR) estima que, por aqui, a fibromialgia atinja cerca de 3% da população, o que representa até 6 milhões de casos, sendo mais comum em 90% dos casos nas mulheres na faixa dos 30 aos 55 anos (reveja aqui o relato da jornalista Flávia Domingues ao Blog Vida & Ação).

“Brasil, estou devastada por não estar bem o suficiente para ir ao Rock In Rio. Faria qualquer coisa para ir, mas tenho que cuidar do meu corpo agora. Peço desculpas e compreensão. Prometo conhecê-los em breve”, escreveu Lady Gaga em seu Instagram, nesta quinta-feira (14), junto com uma foto em que mostra o braço recebendo medicação na veia. Pelo Twitter, Lady Gaga  já havia revelado no dia 13 que tinha a doença. “Desejo aumentar a conscientização e conectar as pessoas portadoras [da síndrome]. Todos nós podemos dividir o que ajuda/machuca”, disse.

Cantora postou no seu Instagram uma foto enquanto era medicada, justificando que sofre com a doença (Reprodução de Internet)
Cantora postou no seu Instagram uma foto enquanto era medicada, justificando que sofre com a doença (Reprodução de Internet)

 

A doença de Lady Gaga causa dores intensas por todo o corpo, além de fadiga, distúrbios do sono, alterações no humor e episódios depressivos. As pacientes que convivem com a fibromialgia também podem apresentar ansiedade, depressão, síndrome do intestino irritável e disfunção da articulação.  Dificuldades cognitivas, dormência e formigamento nas mãos e nos pés, palpitações e redução na capacidade de se exercitar são outros sintomas. Quem tem fibromialgia costuma descrever uma dor intensa que se espalha pelo corpo saindo da nuca, ombros, tórax, região lombar, quadris, canelas, cotovelos e joelhos.

“Um simples cutucão na perna ou apertão no braço do fibromiálgico pode ser interpretado como um estímulo doloroso. Além dessa amplificação dolorosa, esse paciente também pode ter dor espontânea. É característica da doença uma sensação de dor difusa, sem explicação anatômica, e que perdura por pelo menos três meses”, explicou o pesquisador Jamil Natour, professor da Disciplina de Reumatologia da Unifesp.

De forma direta, a fibromialgia que tira o sono e o humor de Lady Gaga não oferece risco de morte, mas de maneira indireta ela pode trazer muito sofrimento à portadora por conta das dores crônicas. A causa específica ainda é desconhecida, porém existem tratamentos que podem colaborar para uma vida mais saudável. “A atividade física colabora com o bem-estar físico e mental da paciente. Bons hábitos como não fumar e acompanhamento multidisciplinar, são ótimos mecanismos para se alcançar uma melhor qualidade de vida. Evitar situações estressantes é fundamental para se manter bem durante o tratamento”, recomenda a ginecologista e obstetra da Perinatal (RJ) Mariana Conforto.

Natação é tão eficaz quanto a caminhada 

Estudo da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) mostrou que a natação é tão eficaz quanto a caminhada na redução da dor e na melhoria da qualidade de vida de pacientes com fibromialgia, doença que atinge Lady Gaga.  O estudo foi feito com 75 mulheres com fibromialgia e com idade entre 18 e 60 anos. Todas eram sedentárias no início da avaliação. “A atividade física está em todas as diretrizes de tratamento da fibromialgia e o que comprovadamente traz mais benefícios são os exercícios aeróbicos de baixo impacto. Mas nem todo mundo gosta ou pode fazer a mesma atividade física, então nosso grupo tem testado alternativas”, contou Jamil Natour, que coordenou a pesquisa.

Os resultados do ensaio clínico randomizado foram divulgados em agosto de 2016 na revista Archives of Physical Medicine and Rehabilitation, editada pela American Congress of Rehabilitation Medicine. Em um artigo publicado em 2003 no The Journal of Rheumatology, a equipe de Natour havia mostrado que a caminhada é melhor que o alongamento não apenas para reduzir a dor como também para melhorar a depressão e outros aspectos emocionais de pacientes com fibromialgia – além de, como esperado, aumentar a função cardiorrespiratória. Já em um estudo de 2006, divulgado na revista Arthritis & Rheumatism, o grupo mostrou que a corrida aquática também era uma boa opção para o tratamento da doença.

 

Acupuntura sem agulhas é indicada

Outra novidade no combate à fibromialgia que tirou Lady Gaga do palco do maior festival de rock do mundo é a acupuntura a laser. O procedimento é feito com o equipamento Fluence, da HTM, e dispensa as finas agulhas usadas na técnica milenar inspirada nas tradições médicas orientais. “Esse método evoluído de aplicação utiliza a tecnologia para obter resultados ainda melhores e com maior conforto ao paciente. O laser é capaz de produzir os mesmos efeitos da terapia convencional, mas sem causar dor ou danos à pele”, explica a a consultora científica da HTM e fisioterapeuta Thaís Rodrigues. Segundo ela, além da fibromialgia, a  acupuntura com laser trata diversos tipos de dor, como a causada por movimentos repetitivos  e as dores localizadas nas costas.

Thaís afirma ainda que essa técnica também pode ser aplicada para promover o bem-estar como o controle da ansiedade e estresse.  O tratamento deve ser realizado por profissionais habilitados. O número de sessões varia de acordo com a patologia. Assim como acupuntura tradicional, a técnica com laser também estimula locais, chamados pontos ou meridianos, para equilibrar o yin e o yang e proporcionar alívio e bem-estar ao paciente nos casos de dor. “A acupuntura estimula as terminações nervosas da pele e outros tecidos, enviando ao cérebro um impulso que desencadeia diferentes efeitos no corpo, como a ação analgésica ou anti-inflamatória”, explica.

Fisioterapeuta dá dicas para combater a dor

O fisioterapeuta Sandro Raad,  que trata Bibi Ferreira sempre que necessário em home care, diz que a fisioterapia é uma opção de tratamento no caso da fibromialgia, já que ela ajuda a controlar os sintomas de dor, cansaço e distúrbios do sono, promovendo o relaxamento e o aumento da flexibilidade muscular.  Ao Vida & Ação, ele fala sobre a doença, mostra algumas atividades físicas indicadas e dá dicas para melhorar a qualidade de vida dos pacientes. Sandro Raad é graduado em Fisioterapia pela UniIbmr (Instituto Brasileiro de Medicina de Reabilitação), com especialização em Crochetagem, Kinesio Taping, Pilates e Auriculoterapia.

1 – O que é fibromialgia?

Fibromialgia é uma síndrome comum que a pessoa sente dores por todo corpo durante longos períodos, com sensibilidade nos músculos, articulações, tendões e outros tecidos moles. Causa alterações de humor sono e memória. Algumas pessoas também podem apresentar dores de cabeça tensionais, disfunção da articulação temporomandibular, ansiedade e depressão.

2 – Por que as pessoas têm fibromialgia?

Não se sabe ao certo as causas especificas da doença. Todas as pesquisas que foram feitas até o momento não chegaram a uma resposta definitiva. Porém, é uma doença que predomina no sexo feminino, em mulheres entre 40 e 65 anos.  Em casos isolados crianças também podem ter fibromialgia.

3 – A fisioterapia é alternativa para o tratamento? Por quê?

Sim, a fisioterapia é uma opção de tratamento no caso da fibromialgia, já que ela ajuda a controlar os sintomas de dor, cansaço e distúrbios do sono, promovendo o relaxamento e o aumento da flexibilidade muscular. O tratamento fisioterápico pode ser feito de três a cinco vezes na semana, visando trabalhar em cima dos sintomas apresentados pelo paciente.  O tratamento consiste nas técnicas: 

  • Alongamentos– promovem relaxamento, flexibilidade e mobilidade muscular
  • Hidroterapia– a água permite a realização de exercícios com maior amplitude reduzindo dor e fadiga e melhora a qualidade do sono.
  • Massoterapia– promove redução de dor e fadiga, melhora do sono
  • Eletroterapia (Tens)- utilizado para diminuir a dor nos pontos atingidos pela fibromialgia.

 

4 – Quais as dicas para melhorar a qualidade de vida?

Para melhorar a qualidade de vida dos pacientes sempre recomendo:

– Aceitação: aprender a conviver com a doença.

– Aprender a se organizar.  Quando a pessoa esta sobrecarregada acaba ficando ansiosa e estressada e piorando o quadro.  Buscar estratégias para evitar estes males é muito importante. Cada paciente deve refletir sobre como pode melhorar sua saúde mental.  Pense em coisas que gosta de fazer e comece a fazê-las.

– Controlar o peso. Estar acima do peso causa sobrecarga nas articulações, causando dores.

Da Redação, com Agência Fapesp e assessorias

 

 

 

Por Favor, Compartilhe!
1 Comment
  1. […] Com lúpus eritematoso sistêmico (LES) desde 2015, a cantora Selena Gomez se submeteu a uma cirurgia para transplate de rim no dia 14 deste mês. Ela usou seu Instagram para explicar aos fãs que se afastou da carreira para fazer o tratamento. E publicou uma imagem em que aparece no hospital, de mãos dadas com a doadora, a atriz Francia Raísa. As complicações causadas pelo lúpus, associado à fibromialgia, também podem ter feito a cantora Lady Gaga desistir de se apresentar no Rock in Rio. […]

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais