Fiocruz recruta voluntários em pesquisa sobre anticorpos pós-vacinas

Ao longo de dois anos, pesquisadores da Fiocruz vão observar resultados de exames de 150 voluntários. Entenda como será feito o estudo

Diagnóstico laboratorial de casos suspeitos do novo coronavírus pelo Laboratório de Vírus Respiratório e do Sarampo do Instituto Oswaldo Cruz (Foto: Divulgação)

Estão abertas as inscrições para voluntários interessados em contribuir com o desenvolvimento de uma nova pesquisa científica da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) sobre efeitos da vacinação contra a Covid-19. O estudo visa observar fatores imunes, genéticos e populacionais que influenciam na forma como o organismo humano responde à vacinação contra o Sars-CoV-2.

Após extensiva rodada de testes, ao longo de dois anos, os pesquisadores do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz) esperam conhecer a dinâmica de produção de anticorpos anti-Sars-CoV-2 após a vacinação e o impacto de variáveis individuais nessa resposta. Os resultados serão compartilhados com o Ministério da Saúde e com a Organização Mundial da Saúde e poderão contribuir para o constante aprimoramento das vacinas.

O estudo recrutará até 150 voluntários residentes, preferencialmente, na cidade do Rio de Janeiro, que serão acompanhados por dois anos. Podem participar pessoas com ou sem imunidade prévia ao novo coronavírus, com idades entre 18 e 60 anos, índice de massa corporal (IMC) menor que 25 ou maior que 30 e que ainda não tenham sido vacinados contra a Covid-19. Serão analisadas respostas imunológicas às vacinas Astrazeneca/Fiocruz, Coronavac/Butantan e Pfizer/BioNTech.

Estudo não envolve aplicação de vacinas

O estudo não promoverá aplicação de vacinas e, portanto, poderão participar apenas os indivíduos contemplados no calendário de vacinação na data do recrutamento. Ao longo do estudo, em caso de suspeita de Covid-19, os voluntários serão encaminhados para realização de testes específicos.

A participação efetiva do voluntário somente se dará após a assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (termo que manifesta anuência à participação na pesquisa). Todos os voluntários irão receber, presencialmente, explicações sobre os objetivos, metodologia, benefícios e potenciais riscos da pesquisa.

A participação se dará em seis encontros presenciais, para entrevista e coleta de sangue diretamente na sede da Fiocruz, em Manguinhos, no Rio de Janeiro (Av. Brasil, 4.365). A partir das amostras de sangue serão realizados testes para quantificação de anticorpos e citocinas e análise da presença de marcadores genéticos associados à resposta à vacina. Não haverá custeio de transporte e alimentação.

Os encontros serão:
1- No dia em que tomar a primeira dose da vacina;
2- No dia em que tomar a segunda dose;
3- Um mês após tomar a segunda dose;
4- Seis meses após tomar a primeira dose;
5- Um ano após tomar a primeira dose;
6- Dois anos após tomar a primeira dose da vacina.

Mais sobre a pesquisa

O trabalho envolve pesquisadores do Laboratório de Vírus Respiratórios e Sarampo do Instituto Oswaldo Cruz (IOC/Fiocruz), que atua como Centro de Referência Nacional em vírus respiratórios junto ao Ministério da Saúde (MS) e como referência para a Organização Mundial da Saúde (OMS) em Covid-19 nas Américas.

Denominada Estudos virológicos e imunológicos de infecções respiratórias e exantemáticas na rede de vigilância do Laboratório de Vírus Respiratórios e Sarampo: Estudo da resposta à vacina contra a Covid-19, a pesquisa foi previamente aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa com Seres Humanos – CEP Fiocruz/IOC. Mais informações, esclarecimentos sobre o estudo e agendamento da participação podem ser obtidos pelo e-mail pesquisavacinacovid@ioc.fiocruz.br.

Confira na tabela com o público-alvo do voluntariado:

Da Agência Fiocruz

Por Favor, Compartilhe!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais