Geração selfie: jovens trocam sonho de dirigir por cirurgia plástica

Brasil já é o recordista mundial em procedimentos estéticos entre jovens e adolescentes. Especialistas avaliam os prós e contras e dão dicas de segurança para quem tomar essa decisão

Redação
Lohanne, aos 17 anos, aproveitou uma cirurgia de correção do septo para diminuir o nariz (Foto: Acervo pessoal)

Foi se o tempo em que ao completar 18 anos o desejo principal era a carteira de habilitação. A plástica caiu no gosto da famosa “geração selfie” e faz do Brasil o país que mais realiza cirurgias reparadoras no público jovem. De acordo com dados da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP), nos últimos dez anos houve um aumento de 141% nos procedimentos em jovens de 13 a 18 anos.

O Brasil ultrapassou os americanos quando se compara a faixa etária dos pacientes que se submetem a cirurgias plásticas. Nos Estados Unidos 4% dos que procuram essas cirurgias são jovens e adolescentes. O país realizou 66 mil cirurgias plásticas para esse público em 2017. Já no Brasil o número chegou a 90 mil intervenções estéticas no mesmo período.

O último Censo da SBCP, publicado em 2016, já apontava este crescimento quando divulgou que 38% das cirurgias plásticas correspondiam à faixa etária dos 19 aos 35 anos, contra 34,20% do público na faixa dos 36 aos 50 anos. Naquele ano, foram realizadas 1.472.435 cirurgias plásticas estéticas ou reparadoras, sendo 6,6% em adolescentes, ou seja, um total de 97 mil cirurgias.

Cirurgiões plásticos confirmam que o número de atendimentos no consultório a pacientes de 18 anos e, às vezes menores de idade, só aumenta. A necessidade de aceitação junto à sociedade acaba definindo quais são os padrões estéticos ideais, o que tem feito este público liderar cada vez mais o ranking de plásticas no Brasil.

As selfies fazem com que tanto adolescentes quanto adultos se vejam nas fotos de forma mais crítica e façam comparações com a aparência de outras pessoas. Isso faz com que a busca pelo corpo e rosto perfeito seja uma prioridade”, explica o cirurgião plástico Pedro Lozano, que é integrante da SBCP.

Rinoplastia e implante dos seios são as mais procuradas

Lohanne, aos 17 anos, antes e depois da rinoplastia (Foto: Acervo pessoal)

Apesar de ser a cirurgia mais procurada entre as mulheres de todo o mundo – em 2017 foram implantadas 1,6 milhão de próteses de seios – o implante de silicone fica em segundo lugar quando observada apenas a faixa etária até os 18 anos. Foram 44.600 procedimentos de aumento de mamas em adolescentes de todo o mundo.

A rinoplastia (correção estética ou funcional do nariz) é a cirurgia plástica campeã entre os adolescentes, totalizando 70.800 procedimentos em 2017. A estudante carioca Lohanne Aquino de Andrade, é uma delas. Apesar de ser muito bonita, não estava satisfeita com sua aparência. Achava que o tamanho do nariz era desproporcional ao seu rosto. Mas nunca pensou que poderia fazer uma plástica aos 17 anos.

Acabei realizando esse sonho após saber que eu deveria fazer uma cirurgia para consertar um desvio de septo. Então, procurei saber se seria possível já fazer de uma vez a parte de estética que sempre me incomodou”, conta a adolescente.

Hoje, após a cirurgia, ela diz que se sente outra pessoa. “Gosto do que vejo quando me olho no espelho, não tem mais aquele incômodo de não me achar tão bonita ou tão bem comigo mesma. Não pretendo realizar outro procedimento por enquanto, o que realmente me incomodava já consegui, estou muito feliz e satisfeita com o resultado”, afirma.

Bullying influencia na decisão

Para o cirurgião plástico da SBCP, Bernardo Ramalho, que operou Lohanne, muitas adolescentes acabam sendo influenciadas a passar por uma cirurgia plástica por conta dos resultados que veem na internet, nas redes sociais, na televisão, enfim, de pessoas famosas, o que desperta a curiosidade o interesse. O especialista destaca que o bullying também influencia nessa decisão. Segundo ele, a maioria das cirurgias em adolescentes é mais por questões estéticas.

Ele cita como exemplo, um paciente que tem orelha de abano (otoplastia) e sofre na escola quando criança, busca cirurgia plástica para reparar essa orelha de abano; a paciente que tem uma mama muito grande, muito pesada (gigantomastia), é impedida de fazer atividades físicas normalmente, então buscam cirurgias plásticas por isso, mas também há a questão estética.

Outro aspecto que também faz aumentar a procura de adolescentes nos consultórios é que realizar uma cirurgia plástica está mais acessível à população, principalmente com a facilidade de pagamento: “Hoje em dia a gente busca um resultado cada vez mais natural, então os próprios pais desses adolescentes já fizeram cirurgia plástica com algum médico, e quando o adolescente deseja, os pais levam nesse mesmo médico que realizou a cirurgia deles”.

Ele ressalta que a certificação do médico pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica é fator primordial, pois significa que a pessoa será atendida por um profissional que teve acesso à formação certificada e rigorosa, está habilitado para realizar todo tipo de cirurgia plástica, trabalha submetido a um código de ética e realiza as cirurgias somente em instalações médicas credenciadas, com centros cirúrgicos autorizados pela Vigilância Sanitária, com equipamentos e equipe treinada para qualquer intercorrência.

Cuidados e exigências antes de fazer a cirurgia

Mas não basta o adolescente querer – nem os pais autorizarem. “Antes de qualquer decisão, é fundamental que se procure um cirurgião plástico para discutir e avaliar detalhadamente a intenção, avaliar as expectativas e confrontá-las com o resultado possível de ser obtido”, alerta Pedro Lozano.

A recomendação geral é aguardar até os 18 anos para que haja um amadurecimento da parte física e emocional do paciente. É fundamental também que se tenha estrutura psicológica para encarar e aceitar a mudança de imagem que uma cirurgia proporciona, com expectativas realistas sobre os resultados e responsabilidade para a preparação e o pós-operatório.

Em relação à qual idade, o cirurgião diz que depende do que deseja operar. “Se for uma orelha de abano, temos que esperar a formação completa da orelha, que se dá em torno de 4 ou 5 anos, alguns livros dizem que até 7 anos, então assim, teoricamente a partir de 7 anos de idade já pode fazer a correção da orelha de abano, não precisa esperar ser adolescente nem adulto”.

No caso da paciente que tem as mamas muito grandes e pesadas, conhecido como gigantomastia, o ideal é esperar um pouco mais para realizar a cirurgia. “Normalmente a formação se dá em torno de 16 anos, então seria bomE a paciente que deseja colocar uma prótese de silicone, por exemplo, o ideal seria esperar um pouco mais essa formação completa das mamas”, acrescenta Ramalho.

PERGUNTE AO DOUTOR – BERNARDO RAMALHO

 

– Cirurgia plástica em adolescente pode trazer mais riscos do que em um adulto?
Bernardo Carvalho, cirurgião plástico (Foto: Divulgação)

Os riscos de uma adolescente normalmente são menores do que os riscos de uma paciente mais envelhecida, porque normalmente adolescente não tem comorbidade, ou seja, não tem doença nenhuma, como pressão alta, diabetes, então normalmente os adolescentes são saudáveis, por isso os riscos são até menores, mas, obviamente, tem que ser avaliado cada caso. Serão pedidos exames pré-operatórios para diminuir o máximo possível esses riscos.

– É preciso ter um cuidado maior ao operar um adolescente?

O mais importante é os pais ou responsáveis estarem de acordo com a cirurgia, e tomar muito cuidado também. É preciso ter um feeling durante a consulta desse grau de exigência da paciente, porque às vezes o grau de exigência é altíssimo, e mesmo que a cirurgia fique boa, você não vai conseguir que o paciente fique feliz, então isso tem que ser muito bem trabalhado durante a consulta para o paciente não ficar insatisfeito depois da cirurgia.

– Qual a importância dos pais nesse momento?

Hoje em dia a gente busca um resultado cada vez mais natural, então os próprios pais desses adolescentes já fizeram cirurgia plástica com algum médico, e quando o adolescente deseja, os pais levam nesse mesmo médico que realizou a cirurgia deles. Obviamente o procedimento deve ser realizado sempre junto com os pais. Pacientes menores de idade têm que ir à consulta junto com os pais, com os responsáveis e tudo de acordo com a lei.

Veja as cirurgias mais procuradas pelos jovens

Entre as mais procuradas estão as cirurgias de nariz, orelha, mama e lipoaspiração. Confira uma breve lista das indicações, segundo Pedro Lozano:

  • A rinoplastia (cirurgia no nariz) só pode ser feita a partir dos 16 anos.
  • A otoplastia, conhecida como cirurgia das orelhas de abano, pode ser feita entre 5 e 6 anos de idade, período que a orelha para de crescer.
  • A redução das mamas deve ser feita quando a situação compromete a coluna e a respiração. O procedimento é feito geralmente a partir dos 16 a 17 anos, após a mama estar totalmente desenvolvida.
  • Para o implante de silicone nos seios se recomenda a espera dos 18 anos, porém muitas pacientes realizam esse procedimento pouco tempo antes da maioridade. Independentemente da idade é necessário considerar peso, altura, elasticidade da pele, e proporção do tórax para a escolha do tamanho ideal.
  • A lipoaspiração só pode ser feita após os 18 anos, quando também se aconselha, conforme o caso, a consulta com um psicólogo ou psiquiatra para analisar se não há riscos de desvios de imagem corporal.

Da Redação, com Assessorias

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.