Gripe atinge todas as faixas etárias, mas é preciso dar atenção especial às crianças

Pediatra destaca cuidados especiais com bebês e crianças, como vacinação em dia, hidratação e remédio certo para tratar sintomas da gripe

Febre dos bebês deve ser monitorada: remédio só acima de 37,8 graus (Foto: Divulgação)

Os relatos se repetem sempre que as temperaturas despencam. Os dias frios chegam trazendo acompanhantes nada bem-vindos: nariz congestionado, tosse, dores no corpo e febre. E, em meio a uma pandemia sem precedentes, como a do cononavírus, é comum que os pais não saibam quais os medicamentos são seguros para medicar os pequenos com sintomas de algumas das doenças típicas desse período do ano.

A gripe, uma das mais comuns, é também a grande vilã da saúde e pode atingir pessoas de todas as idades. Idosos e crianças são mais suscetíveis por caraterísticas de seu sistema imunológico e respiratório, que são alvo frequentes destas infecções. Por isso, a orientação de especialistas é reforçar o cuidado, beber muita água e ficar de olho na nécessaire de medicamentos que ajudam a combater os principais sintomas da doença.

“Com os pequeninos, os cuidados devem ser redobrados”, destaca a médica pediatra Ana Paula Beltran Moschione Castro, ao lembrar que a vacina contra a gripe é uma importante arma terapêutica indicada a partir dos 6 meses de idade. Ela explica que, com a imunidade em formação, as crianças ficam mais suscetíveis aos vírus circulantes e sofrem com os sintomas, que tendem a ficar mais fortes, principalmente em pacientes que já apresentam algum comprometimento respiratório.

O alerta é para que pais e mães redobrem a atenção nesse momento. As mudanças bruscas de temperaturas são comuns nesta época do ano e não podemos esquecer que estamos diante de uma pandemia, portanto, todo cuidado com a saúde é necessário, seja de prevenção e proteção”, afirma a especialista.

Como encarar os vilões da saúde

A pediatra destaca ainda algumas orientações importantes para enfrentar os vilões da saúde em período mais frios:

• O vírus causador da gripe costuma circular mais em ambientes fechados. Por isso, sempre que puder, mantenha os lugares com janelas e portas abertas, para fazer o ar circular e manter a casa livre dos riscos de contaminação;

• Nesse período também são comuns os relatos de alergia. Isso acontece por que os ácaros, agentes que causam grande parte das alergias respiratórias, se proliferam com mais facilidade. A dica é dedicar mais tempo à higienização de tapetes, pelúcias, etc, e manter o ambiente sempre ventilado;

• Se precisar sair de casa, não deixar para trás os casacos para enfrentar a queda de temperatura e não esqueça dos protocolos de segurança da Covid-19 – máscaras, álcool gel e distanciamento social;

• Beber bastante água é fundamental e investir em uma alimentação balanceada traz o equilíbrio necessário de uma vida saudável.

É gripe ou Covid-19? Saiba como identificar

Gripes e resfriados são provocados por diferentes agentes e podem ser facilmente confundidos. “É preciso atenção aos sintomas dos casos mais comuns deste período do ano”, afirma a especialista.

Para esclarecer melhor as dúvidas sobre as manifestações das doenças de inverno, a médica destacou os sintomas que ajudam a identificar casos de Covid-19, gripe e resfriado:

• Em casos de Covid-19, é comum o paciente apresentar febre, às vezes cansaço, tosse (geralmente seca), em alguns casos dor de garganta;

• A gripe se manifesta por meio de febre, cansaço, tosse seca, dores no corpo, mal-estar e dor de cabeça; mas lembre-se que temos vacina a partir dos seis meses de idade;

• Os pacientes com resfriados poucas vezes têm febre, a tosse é mais leve, espirros são comuns – assim como as dores no corpo -, além de coriza e nariz entupido.

Que medicamento usar para baixar a febre?

Para tratar os sintomas que podem surgir durante a gripe, como dor no corpo e febre, que também são comuns na Covid-19, pais e adultos de forma geral podem confiar nos medicamentos à base de ibuprofeno, explica a especialista.

A medicação tem ação predominantemente analgésica e é hoje a mais segura para o tratamento de febre e dores em geral. Inclusive, a última diretriz clínica da Organização Mundial da Saúde lista ibuprofeno, entre outros medicamentos, como uma alternativa importante no tratamento desses sintomas na Covid-19″, afirma.

Além disso, a especialista alerta: a medicação, na dose certa e na hora certa, pode evitar uma possível ida aos hospitais e postos de saúde – ambientes que geralmente ficam lotados neste período – e ainda evita os riscos de exposição ao coronavírus. “O ibuprofeno pode ser administrado em crianças, a partir de seis meses de idade, a cada 6 ou 8 horas. A dosagem deve ser adequada ao peso da criança”, detalha a médica.

No entanto, ela lembra que é importante sempre buscar orientação do médico pediatra. “Em todos estes casos, a orientação é sempre investigar. Procurar atendimento médico para identificar o problema indicar o melhor tratamento”, finaliza.

Leia mais – Especial Inverno:

Inverno esquenta redes de solidariedade para agasalhar quem precisa

Acidentes domésticos com idosos aumentam no inverno: saiba como evitar

Dá para dispensar o filtro solar no inverno? 6 mitos e verdades

Inverno exige mais cuidados com a saúde do bebê, alerta especialista

Cresce apetite por pratos calóricos no inverno: como comer saudável?

Chegada do inverno reforça cuidados contra gripe e complicações da Covid-19

Sem vacina, Brasil pode enfrentar ‘terceira onda’ ainda mais grave no inverno

Por Favor, Compartilhe!

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais