Guia do folião saudável: para não “atravessar” na avenida

Preparamos um desfile de dicas imprescindíveis sugeridas por médicos e nutricionistas. Dá só uma conferida antes de cair na folia

Redação
boa_alimentação_carnaval

Seja nos blocos de rua, nos sambódromos ou no frevo, muitas pessoas já se preparam para curtir os quatro dias de folia do carnaval por todo o Brasil. No entanto, para aproveitar a festança é necessário pensar muito além da fantasia. Afinal, o seu corpo precisa estar bem por fora e por dentro, ou seja, tudo o que você consumir antes e durante o carnaval, pode dar mais gás para continuar ou simplesmente esgotar o organismo.

Nesta época, milhares de pessoas sairão às ruas para celebrar mais um Carnaval, festa popular brasileira conhecida internacionalmente. A programação vai dos blocos de rua aos desfiles de escola de samba, além de bailes em lugares fechados como clubes e casas noturnas.

Para cada evento, existem alguns cuidados específicos e também os que devem ser tomados em qualquer ocasião. É importante entender o limite do corpo de cada um, o que inclui preparo físico e noções de suscetibilidade do organismo.

Confira abaixo as orientações do médico João Geraldo Simões Houly, diretor técnico do Hospital Santa Paula:

– Evite a ingestão de alimentos pesados, que dificultem a digestão. Dê preferência para as frutas e verduras;

– Hidrate-se de duas em duas horas: o recomendado é ingerir no mínimo dois litros de água por dia (exceto pacientes com restrições médicas);

– Beba moderadamente: o consumo excessivo de álcool ou a mistura de destilados com fermentados pode acabar com a festa e causar ressaca no dia seguinte. Em casos extremos, é possível desenvolver pancreatite em apenas um dia de muito excesso por causar um edema que impede a drenagem do pâncreas;

– Sempre tenha em mãos barrinhas de cereais para garantir a alimentação de duas em duas horas;

– Cuidado com o calor excessivo: em dias muito quentes a tendência é a pressão arterial cair, o que pode ocasionar enjoo, tontura e desmaios. Para evitar a queda de pressão é preciso manter o corpo hidratado, alimentar-se adequadamente, vestir roupas leves e evitar ambientes pouco ventilados;

– Beijo na boca: normalmente trocamos em torno de 250 bactérias e alguns vírus quando beijamos alguém. Portanto, é preciso ter cautela para prevenir doenças como a mononucleose, conhecida como “doença do beijo”. Trata-se de uma doença viral com sintomas parecidos com os da gripe: febre alta, dor ao engolir, tosse, cansaço, falta de apetite, dor de cabeça, entre outros;

– Doenças sexualmente transmissíveis: todo ano o Ministério da Saúde faz uma campanha sobre a importância do uso da camisinha neste período. A camisinha é item fundamental do folião consciente.

Na avenida:

– Salto alto: ficar em pé por muitas horas sambando de salto alto pode ocasionar dor nas pernas e na planta dos pés, câimbras, inchaço nos pés, joanete, calos, problemas nas unhas, entre outros. Para evitar esses problemas, procure usar um salto com a base e o bico mais largo, assim os dedos não ficam apertados. Já para o dia seguinte, o médico aconselha ficar com as pernas esticadas;

– Algumas fantasias dificultam a ida ao banheiro. Como muitos foliões ficam horas preparados para entrar na avenida, a dica é ir ao banheiro antes de se vestir. Evite reter urina por longos períodos, porque, além do desconforto, favorecem as infecções urinárias e formações de cálculos;

– Durma bem: no dia seguinte procure dormir pelo menos oito horas para reequilibrar o organismo.

Nos blocos de rua:

– Proteja sua pele: o excesso de exposição ao sol é a principal causa do câncer de pele, o mais comum no país. Por este motivo, o protetor solar deve fazer parte da rotina do folião, retocando a cada duas horas, assim como o uso de chapéus e camisetas.

– Utilize calçados confortáveis: o ideal é usar tênis para proteger os pés e ter mais flexibilidade nos movimentos. Esse tipo de calçado amortece o impacto e é mais confortável, afinal, você ficará em pé a maior parte do tempo;

– Para evitar insolação, hidrate-se pelo menos de duas em duas horas, use filtro solar e prefira as roupas com tecidos leves (evite tecidos do tipo sintético) e use chapéus ou bonés para uma maior sensação de conforto;

– Álcool gel: como não é possível lavar as mãos em banheiros químicos, a chance de contaminação aumenta. Os contágios mais frequentes são de E.coli – que faz parte da flora natural do corpo, porém, quando há um desequilíbrio, causa náusea, vômito e diarréia; e o vírus VHA, da Hepatite A. Para se prevenir, tenha um álcool gel para higienização das mãos sempre que for ao banheiro.

Como equilibrar alimentação e bebidas

Para que se tenha esse equilíbrio é importante pensar na alimentação e no consumo de bebidas. Confira algumas dicas dadas pela nutricionista do Espaço Volpi, Gabriela Forte, para o antes, durante e depois dos dias de folia:

1 – Procure consumir vegetais, legumes e frutas

Eles possuem uma excelente concentração de vitaminas, minerais, fibras e água essenciais para o organismo, principalmente para os dias de folia. No entanto, fique atento quanto a procedência desses alimentos e sua forma de preparo, pois precisam da higienização correta para evitar contaminações, prejudicando o seu carnaval.

2 – Carboidratos são bem vindos

Antes de sair para curtir o carnaval, aposte nos carboidratos e também em frutas de alto teor hídrico. Alimentos como mandioca, batata doce, pães integrais, banana, manga, melancia, mamão, melão e aveia são boas pedidas para auxiliar na liberação de energia gradativa durante a diversão.

3 – Passe longe das frituras e alimentos gordurosos

Os alimentos gordurosos e as frituras são opções que exigem uma carga de trabalho maior para o sistema digestivo, incluindo o fígado. Com essa sobrecarga de trabalho em conjunto com o desgaste do organismo, além do consumo da bebida alcoólica, é natural que o folião apresente náuseas, enxaquecas ou um estímulo elevado no trânsito intestinal, o que convenhamos, atrapalhará completamente o seu dia de folia.

4 – Consuma o dobro de água

A água neutraliza a concentração de álcool na corrente sanguínea e minimiza os impactos negativos que a bebida traz em conjunto com a desidratação. Tente consumir o dobro de água em relação ao consumo de bebidas alcoólicas e curta o carnaval sem medo!

5 – Pós-folia

Cansaço, excesso de folia, excesso de bebidas alcoólicas e o pouco sono fazem o organismo viver uma situação estressante que eleva o cortisol, hormônio inflamatório que afeta a retenção hídrica, facilitando o acúmulo de gordura corporal e afetando também o sono, a disposição e o rendimento. Por isso, o consumo de verduras, legumes e frutas auxiliará na maior concentração de fitoquímicos e antioxidantes importantes para os processos de “limpeza do organismo”, além é claro, da ingestão de água. Alie isso a uma boa dose de chás naturais como cavalinha, gengibre com canela em pau, hibisco, salsinha e dente de leão, para auxiliar neste processo.

Da Redação, com Assessorias

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.