Hábito de coçar os olhos e lentes mal ajustadas podem causar ceratocone

Doença que pode levar à cegueira pode ser evitada com medidas simples. Entenda a doença e formas de prevenção

Redação

Muitas vezes, temos problemas nos olhos que nem imaginamos. Uma das doenças mais comuns é o Ceratocone, que atinge uma em cada 2 mil pessoas conforme o Conselho Brasileiro de Oftalmologia, afeta o formato e a espessura da córnea, provocando a percepção de imagens distorcidas. Em condições muito avançadas e de cegueira, a única solução possível é o transplante de córnea.

O Ceratocone é uma doença que pode deixar você cego. Porém, isso só acontece em casos avançados e sem acompanhamento médico, de modo que realizar o tratamento é fundamental para manter a qualidade de vida. Essa enfermidade genética rara e de caráter hereditário, afeta o formato e a espessura da córnea, provocando a distorção e o embaçamento da visão.

A doença, que se manifesta mais entre a população juvenil, não tem uma causa exata, mas pode se desenvolver em decorrência do ato de esfregar ou coçar os olhos com frequência ou por alterações oculares congênitas, como a catarata e a esclerótica azul (parte branca do olho).

A causa exata do ceratocone ainda é uma incógnita para a Medicina. Pessoas com casos na família são mais propensas a desenvolver a doença. Também existem fatores alérgicos que provocam traumatismos persistentes na córnea com o hábito de esfregar os olhos. Além disso, há algumas condições que predispõem as pessoas a doença, como a Síndrome de Down, doenças do Colágeno e a síndromes de Ehler Danlos, que também podem desencadear o Ceratocone.

Alergia é fator de risco para ceracotone

A OMS (Organização Mundial da Saúde) estima que 30% dos brasileiros têm algum tipo de alergia. Desses, mais da metade desenvolve alergia nos olhos, importante fator de risco do ceratocone. A doença degenera, afina e deforma a córnea. Por isso, causa 70% dos transplantes no Brasil. Segundo o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto, do Instituto Penido Burnier, o hábito de coçar os olhos é tão perigoso para quem tem ceratocone quanto o uso de lentes mal ajustadas. Isso porque, nas duas situações a fricção constante da córnea fragiliza suas fibras,  agrava o ceratocone e aumenta o risco de transplante.

Pior: Uma pesquisa realizada por Queiroz Neto com 920 portadores de ceratocone, mostra que 61% usam lente de contato para corrigir a visão, e desses 41% sentem desconforto.  O especialista diz que isso acontece porque só 1 em cada 4 dos participantes afirmaram fazer exames oftalmológicos regulares. “O ceratocone é uma doença progressiva. As alterações na córnea podem acontecer em poucos meses. Quem não respeita os intervalos de consulta recomendados. para cada caso pode usar lentes desajustadas que prejudicam a visão”, adverte. Além disso, muitas pessoas já chegam ao consultório usando lentes de contato indicadas para astigmatismo e a adaptação em ceratocônicos exige personalização conforme as irregularidades de cada córnea, salienta. 

Diagnóstico e tratamento

O oftalmologista ressalta que não é possível detectar o ceratocone com o exame de refração empregado na verificação da miopia, hipermetropia ou astigmatismo. “O diagnóstico é feito através de uma tomografia da córnea que mapeia suas duas faces, possibilitando flagrar a doença logo no início. “Quanto mais precoce, maiores são as chances de escapar do transplante através do crosslink, único procedimento que interrompe a progressão da doença. A cirurgia, explica, é ambulatorial, feita com anestesia local e consiste na aplicação de riboflavina (vitamina B12) associada à radiação UV (ultravioleta) na superfície da córnea para aumentar sua resistência em até três vezes.

Causas e sinais de alerta

Queiroz Neto afirma que a maioria dos casos de ceratocone começa na adolescência. Pode estar relacionado à genética,  alterações hormonais que podem provocar distúrbios no colágeno  e desencadear coceira nos olhos,  apneia obstrutiva do sono e a  síndrome da pálpebra flexível que dobra durante a noite, causando olho seco. Nem todas estas alterações aparecem em que tem ceratocone, mas se mais de uma coexistir indica sinal de alerta.

Outros sinais da doença são: alteração frequente de grau, dificuldade de permanecer em locais ensolarados ou muito iluminados, olhos irritados e queda no rendimento escolar.

Dicas de prevenção

As dicas do oftalmologista para prevenir a piora do ceratocone são:

·         Mantenha consultas regulares para ajustar suas lentes

·         Evite coçar os olhos.

·         Aplique compressas frias em crises de coceira ou sensação de areia nos olhos

·         Dê preferência a soluções higienizadoras de lente sem conservante para evitar irritações oculares

·         Só use colírio com corticóide sob supervisão médica para afastar o risco de glaucoma

·         Interrompa o uso de antialérgico caso use lente e sinta os olhos ressecados

·         Faça polimento semestral das lentes com seu oftalmologista para eliminar resíduos que deformam a superfície.

·         Use óculos escuros com proteção ultravioleta em locais ensolarados.

Tecnologia para a prevenção 


Em caso de suspeita da doença, o diagnóstico é feito por meio do exame oftalmológico e confirmado pela Topografia Corneana Computadorizada – exame que faz um estudo topográfico de superfície da córnea, ou seja, um retrato mais apurado da córnea. Porém, em casos de Ceratocone muito incipientes, quando a Topografia ainda está normal, pode ser muito esclarecedores outros exames realizados através dos equipamentos Pentacam e Corvis”, ressalta Herberto Reuben C. Lima, diretor técnico da Clínica Checkup dos Olhos.

Quanto mais precoce o tratamento contra a Ceratocone, doenças crônicas podem ser evitadas. Levando em consideração o crescimento da demanda da doença, a Clínica Checkup dos Olhos investiu em equipamentos com a exclusiva tecnologia Corvis® ST, patenteada e desenvolvida pela empresa alemã Oculus, disponibilizada pelo Checkup dos Olhos – com foco na prevenção e controle das doenças oculares™

Corvis® ST registra a reação da córnea a um pulso de ar definido usando uma câmera Scheimpflug de alta velocidade e resolução, que captura mais de 4300 imagens por segundo, possibilitam uma medição altamente precisa das propriedades biomecânicas da córnea.

Além disso, outro equipamento da Checkup dos Olhos para auxiliar nos exames está disponível, o Pentacam® AXL, ferramenta indispensável para o diagnóstico precoce e controle do ceratocone, entre outras doenças oculares, possibilita imagens em alta resolução por meio da tecnologia Scheimpflug, o aparelho processa e fornece informações importantes para olhos com Ceratocone. Ou seja, a combinação entre o Pentacam® AXL e o Corvis® ST são ferramentas de exames assertivas para os diagnósticos oculares. 

Os exames e informações obtidas em menos de 10 minutos, de modo confortável, permitem diagnósticos mais precisos, prevenções de complicações e melhores controles de doenças como Glaucoma, possíveis problemas relacionados a Córnea e Ceratocone. Vale destacar que a solução é acessível a todos, uma vez que a Checkup dos Olhos tem como visão institucional o foco na prevenção”, finaliza o médico.

In the news
Leia Mais