Bancos de sangue do Rio promovem campanhas para doação

Hemorio faz 77 anos, com ações na Alerj e Bienal. Banco Serum lança campanha até dia 30/11. Nissan promove ação nacional

Doadores de sangue comparecem no estande do Hemorio (Fotos: Maurício Basílio /SES)

Dados do Ministério da Saúde comprovam o desafio do país para aumentar o índice de voluntários nos bancos de sangue: apenas 1,8 milhão de brasileiros doam sangue regularmente. Segundo o órgão, cerca de três milhões de doações de sangue são realizadas por ano no Brasil, número que corresponde a 1,6% da população.

O percentual recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) é que entre 3% e 5% pratiquem este ato solidário que pode salvar até quatro vidas. O problema se tornou ainda mais grave com a pandemia da Covid-19, quando o volume de doações diminuiu em cerca de 20%. Comemorado na quinta-feira (25/11), o Dia Nacional do Doador de Sangue, além de homenagear os heróis anônimos que se dispõem a salvar vidas, é um alerta para que mais pessoas se tornem doadoras.

A data coincide com a temporada em que há uma queda acentuada no número de doadores com as festas de fim de ano, férias e feriados prolongados. Isso se reflete imediatamente nos atendimentos, pois existem componentes sanguíneos que duram apenas cinco dias, como é o caso das plaquetas. Sem contar que o sangue é a única fonte de reposição de células sanguíneas para milhares de pacientes internados, que seguem em tratamento.

No Boas Ações desta semana, conheça algumas ações para incentivo à cultura da doação de sangue no Rio de Janeiro e no Brasil:

Hemorio comemora 77 anos com a campanha Recomeço

Quem doa sangue no Instituto Estadual de Hematologia do Rio, o conhecido Hemorio comemora também o aniversário de 77 anos do principal hemocentro do Estado do Rio de Janeiro, que abastece a maioria dos hospitais e unidades de saúde pública nos 92 municípios.

A campanha Recomeço busca aproveitar a data para aumentar o número de bolsas de sangue coletadas e se inspira no atual cenário otimista e encara o ato de doar sangue sempre como possibilidade de novos recomeços para quem tanto precisa. A campanha vai até dia 30, das 7h às 18h, na sede do Hemorio – Rua Frei Caneca nº 8, no Centro.

“Estamos em um momento de recomeço para todos nós e essa iniciativa simboliza esse reencontro e esse esforço na construção de um novo tempo. Doar sangue também simboliza esse gesto de dar a chance de recomeçar e, por isso, contar com o apoio da população nesse Dia Nacional do Doador é tão importante”,, explicou Luiz Amorim, diretor geral do Hemorio.

A cantora pop Ludmilla e o produtor musical Dennis são os embaixadores da ação deste ano. “Estou muito honrado de ser embaixador da campanha de doação de sangue, ainda mais ao lado de Ludmilla, que é uma grande parceira na música e agora também nessa causa tão importante. Sua doação pode salvar vidas” explicou o artista que vai mobilizar seus fãs a participarem da campanha.

A cantora Lud também agradeceu o convite e também vai apoiar o Hemorio utilizando seu alcance para convocar toda a população. “Não tinha como não aceitar esse convite. A causa é nobre demais, principalmente depois dessa pandemia – que ainda está aí, mas agora de forma mais controlada -, que deixou tanta gente doente,  levou tantos dos nossos e deixou os bancos de sangue mais vazios. Como embaixadora da campanha, gostaria de convocar a todos que podem, a fazer esse gesto de solidariedade e amor”, comentou.

Doações no Largo da Carioca, Alerj e Bienal do Livro

Uma tenda de coleta do HemoRio foi montada na Semana da Saúde, de terça a quinta-feira (23 a 25/11), no Largo da Carioca, no Centro do Rio, com capacidade para mais de 200 atendimentos diários.

Em parceria com a Bienal do Livro Rio, a partir de terça-feira (23), toda bolsa de sangue coletada se transforma em um livro que vai ser doado ao Departamento Geral de Ações Socioeducativas (Degase).

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio (Alerj), em parceria com o Hemorio, realiza campanha de doação de sangue, no dia 30 de novembro, das 10h às 15h, aberta ao público externo e aos servidores. A ação vai ocorrer na Galeria do Plenário da sede da Rua da Ajuda 5, no Centro do Rio.

Festa para doadores mais antigos do Hemorio

A agência de gastronomia Food-se também entrou nesta festa e movimentou os principais chefs de cozinha do país para gravarem vídeos convidando os doadores a participarem da campanha. Já na quinta-feira (25), o Hemorio realiza uma cerimônia na sede, quando homenageia os doadores mais antigos e assíduos, com direito a bolo e medalhas.

O Brownie do Luiz entrega brindes e 500 brownies, a serem servidos também no refeitório de doadores e, para valorizar ainda mais quem encara a doação como uma filosofia de vida, a Cedae também vai presentear os doadores homenageados. Eles terão placas com seus nomes gravados em mudas de Pau Brasil, na ‘Floresta dos Doadores’, nas margens do Guandu, que poderão ser encontradas por georreferenciamento.

A cerimônia no dia 25 conta também com o apoio da Orquestra Jovem, grupo da Ação Social pela Música do Brasil, que vai se apresentar entre 11h e 12h, tocando clássicos da música brasileira. As camisas oficiais da campanha ficaram por conta da parceria com a Reserva, mais uma marca apoiadora do Hemorio. Como apoio à iniciativa do hemocentro, o MetrôRio veiculará, nos avisos sonoros das plataformas nas estações das linhas 1,2 e 4, mensagem informando os locais de doação.

Hemocentro precisa de 300 bolsas de sangue por dia

Para atender à demanda dos pacientes no estado do Rio, é necessário obter pelo menos 300 bolsas de sangue por dia. A média atual é de 210. Segundo o Hemorio, apenas 25% dos doadores são considerados inaptos durante a triagem. A pandemia de covid-19 provocou uma queda de 30% nos estoques dos bancos de sangue. Por isso, é importante mobilizar a sociedade para esse gesto. Cada doador pode salvar até quatro vidas, segundo informa o instituto.

Para doar é preciso ter entre 16 e 69 anos e pesar mais de 50 kg. Não estar em jejum, apenas evitar alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação e não ingerir bebidas alcoólicas 12 horas antes. Além disso, é necessário apresentar documento oficial com foto e menores de 18 anos só podem doar com consentimento formal dos responsáveis. Mulheres grávidas ou amamentando também estão proibidas de doar sangue. Tatuagens e piercings também impedem a pessoa de doar pelo período de um ano.

Pessoas que tiveram covid-19 ficam inaptas por 30 dias após a cura. Quem teve a forma grave da doença fica inapto por até um ano. O prazo é o mesmo para quem chega de viagens internacionais. Já em relação às vacinas da Pfizer e AstraZeneca, a doação pode ser feita após sete dias, enquanto que para o imunizante da CoronaVac o intervalo é de 48h, mesmo período para aqueles que foram vacinados contra a gripe. Para mais esclarecimentos, ligue: Disque Sangue no 0800 282 0708.

‘Novembro vem doar’, a campanha do Banco Serum

Também no Rio de Janeiro, o Banco de Sangue Serum aproveita a data para alertar sobre a importância de que as pessoas incluam o ato generoso da doação de sangue em seus hábitos. Com esse intuito, lançou a Campanha Novembro Vem Doar, que acontece até o final do mês. Com o tema: “Compartilhe mais: Compartilhe vida, doe sangue”, a ação apresenta mensagens nas redes sociais da instituição sobre a importância do gesto da doação de sangue.

No dia 25 de novembro, em homenagem à data, os doadores serão recebidos em clima de festa nas duas unidades, no Centro receberão delícias como pipoca, açaí e algodão doce, e na Barra será bolo de chocolate. Como uma atitude de gratidão, os doadores estão sendo contemplados com um mimo (limitado aos primeiros participantes da campanha) – um fone de ouvido.

“Isso é para retribuir toda a esperança e amor que esses heróis anônimos levam a quem tanto precisa”, diz Rodrigo Moreira, líder regional de captação do Banco de Sangue Serum. Ele ainda convida todos a compartilharem a ação em suas redes sociais utilizando a #CompartilheMais, ampliando assim a propagação desta corrente do bem.

Atitude na veia: empresa incentiva ação voluntária

Para conscientizar e incentivar a doação de sangue no país, diversas empresas e instituições também aderiram a ações voluntárias no mês nacional do doador de sangue. A Nissan e o Instituto Nissan lançaram em 17 de novembro a campanha “Atitude na Veia Nissan”.  A fabricante japonesa quer contribuir com o aumento do número de doadores ativos nos bancos de sangue nacionais, convocando seus funcionários, clientes, rede de concessionárias e o público geral para aderir à ação.

O médico Paulo Galvão, responsável pela área de saúde da Nissan do Brasil, reforça a necessidade do estoque de sangue e, consequentemente, a importância do doador. “O banco de sangue permite o funcionamento hospitalar com a rotina de cirurgias, transplantes, tratamentos de doenças crônicas, entre outras demandas médicas. Por isso, doar sangue deve ser entendido como um compromisso social”.

Com o intuito de potencializar a campanha, o Instituto Nissan irá doar um quilo de alimento para instituições sociais a cada doação de sangue registrada.  Entre as opções estão:

Associação Franciscana de Educação ao Cidadão Especial (AFECE), em São José dos Pinhais (PR), que há mais de 50 anos atende gratuitamente pessoas com deficiência intelectual severa;

Casa Maria de Magdala, em Niterói (RJ), que abriga pessoas portadoras do vírus HIV e também crianças em vulnerabilidade social/

Litro de Luz, em São Paulo, que leva iluminação à base de energia solar a comunidades sem acesso adequado a energia elétrica, e o

Centro Comunitário Educativo Esperança do Futuro, em Resende (RJ), que oferece apoio socioeducativo a crianças, adolescentes, jovens e famílias.

Para participar da ação, o doador deve agendar a doação diretamente no hemocentro de sua escolha, realizar a doação de sangue no hemocentro de sua preferência e se cadastrar no site www.atitudenaveianissan.com.br,  anexando uma foto do comprovante ou algum outro documento que confirme a doação de sangue.

Após esta etapa, o doador poderá optar pela instituição que receberá o quilo de alimento. Todas as informações sobre o movimento, como localização dos hemocentros no Brasil, quem pode doar, mitos e verdades sobre a doação de sangue estão no site da campanha.

Saiba mais

Doação com segurança em tempos de Covid-19

A doação de sangue é um ato voluntário e altruísta que salva vidas. Quem não puder doar pode participar divulgando a importância da doação. A coleta é um processo muito seguro. Todo o material utilizado é estéril, descartável e de uso individual.

Antes da coleta, é feita uma triagem com questionário e entrevista para descobrir se o cidadão está apto a fazer a doação. Na doação habitual, são coletados até 450 ml de sangue. Doar sangue é seguro e quem doa uma vez, não é obrigado a doar sempre. No entanto, é muito importante que pessoas saudáveis doem regularmente.

Os bancos de sangue seguem rigorosamente todos os protocolos de segurança contra a Covid-19. O Serum, inclusive, tem o selo Covid Free de Excelência, concedido pelo IBES – Instituto Brasileiro para Excelência em Saúde, em reconhecimento por manter as melhores práticas de prevenção e enfrentamento da pandemia.

Requisitos básicos para doação de sangue

Para doar sangue, basta ter entre 16 e 69 anos, pesar mais de 50 quilos, ter boa saúde e não apresentar sintomas de gripe ou resfriado. Veja mais detalhes:

Portar um documento de identidade oficial com foto (RG, CNH, etc.) em bom estado de conservação

Ter entre 16 e 69 anos desde que a primeira doação seja realizada até os 60 anos (menores de idade precisam de autorização e presença dos pais no momento da doação).

Jovens com 16 e 17 anos só podem doar sangue com autorização dos pais ou responsáveis legais e devem portar ainda um documento de identidade do responsável.

Não é permitido realizar doação acompanhado de menores de 12 anos (exceto se o menor estiver acompanhado de dois adultos, sendo necessário o revezamento dos mesmos enquanto acontece a doação);

Pesar no mínimo 50 kg e estar em boas condições de saúde;

Não é necessário estar em jejum. Após o almoço ou ingestão de alimentos gordurosos, aguardar de três a quatro horas antes da doação;

Não ter feito uso de bebida alcoólica nas últimas 12 horas;

Os voluntários não podem ter tido hepatite após os 10 anos, nem estar expostas a doenças transmissíveis pelo sangue (sífilis, AIDS, hepatite e doenças de chagas);

Se fez tatuagem e/ou piercing, deve aguardar 12 meses. Exceto para região genital e língua (12 meses após a retirada);

Não ter diabetes em uso de insulina;

Se passou por endoscopia ou procedimento endoscópico, aguardar 6 meses;

Não ter tido Doença de Chagas ou Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST);

Candidatos que apresentaram sintomas de gripe e/ou resfriado devem aguardar 7 dias após cessarem os sintomas para realizar doação de sangue;

Aguardar 48h para doar caso tenha tomado a vacina da gripe, desde que não esteja com nenhum sintoma;

Consulte nossa equipe em casos de hipertensão, uso de medicamentos e cirurgias.

Mulheres grávidas ou amamentando e usuários de drogas não podem doar sangue;

Os homens podem doar de dois em dois meses, até quatro vezes ao ano e as mulheres podem doar de três em três meses, até três vezes ao ano.

Critérios específicos para o coronavírus

• Se teve contato com paciente positivo ou com suspeita de COVID-19, aguardar 14 dias;

• Se contraiu COVID-19, aguardar 30 dias;

• Aguardar 48h caso tenha tomado a vacina Coronavac/Sinovac e 7 dias caso tenha tomado a Astrazeneca, Pfizer ou Janssen;

• Candidatos que viajaram para o exterior devem entrar em contato com o Banco de Sangue para entender o período que não pode doar (varia de país a país)

Onde doar no RIO

O Banco de Sangue Serum atende aos doadores diariamente, das 7h às 18h, inclusive aos domingos e feriados, nas unidades Centro, Av. Marechal Floriano, 99, e Barra da Tijuca, no Casa Shopping (bloco P – lado Península), na Av. Ayrton Senna, 2.150. Telefones: (21) 3030-6761 / 6762 | WhatsApp: (21) 99695-7470 (Centro) e (21) 3233-5950 | WhatsApp: (21) 99829-7417 (Barra)

No Centro, tem estacionamento no local – Poeta Luiz Gama – Av. Passos, 120 ou acesso pelo Metrô da Presidente Vargas e da Uruguaiana ou pelo VLT Camerino/Rosas Negras (linha 3). Na Barra o estacionamento é gratuito, conveniado no local, durante a doação – Usuários de tags de acesso rápido, devem retirar o ticket na cancela do estacionamento para isenção.

Com Assessorias (atualizado em 26/11/21)

Leia mais

Rio converte doação de sangue em plantio de árvores
Hemorio: 28% dos doadores de sangue têm mais anticorpos contra a Covid-19
Hemorio vai a condomínios em busca de doadores

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais