Hospitais oferecem tratamentos espirituais pelo SUS

Medicina Integrativa cresce na rede pública. Médico cita paciente que controlou Doença de Crohn e câncer de rim com ajuda de sessões de reiki, acupuntura e psicoterapia

Redação
O reiki é uma das terapias complementares integrativas reconhecidas pelo SUS que vem sendo empregada também em hospitais (Foto: Pixabay(

Foi-se o tempo em que a espiritualidade em hospitais da rede pública do país  era limitada à caridade das visitas dos representantes religiosos. O tema passou a integrar, cada vez mais, a ciência, aliada à Medicina. Hoje, hospitais de referência oferecem tratamentos gratuitos, que já apresentam resultados em doenças e diversas síndromes.

É o caso do Instituto Nacional do Câncer (Inca), do Hospital Universitário Antônio Pedro (HUAP) – ligado à Universidade Federal Fluminense) e do Hospital Universitário Gaffrée e Guinle (ligado à UniRio), no Rio de Janeiro. No Hospital das Clínicas de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, há um departamento psiquiatria que inclui a espiritualidade entre os itens pesquisados no tratamento.

A Medicina Integrativa vem apresentando resultados surpreendentes. Um exemplo de sucesso foi o caso de uma paciente portadora da Doença de Crohn e câncer no rim. Ela tinha indicação para operar o tumor, só que não foi possível pelo estado psíquico da paciente. Após sessões de reiki, acupuntura e psicoterapia, foram controlados e ressignificou tanto o câncer quanto o Crohn – este último que causa irritação do intestino, diarreias etc.

É o que garante o chefe do Departamento de Cirurgia Geral e Especializada da Universidade Federal Fluminense (UFF), José Genilson Ribeiro, que vem aplicando a Medicina Integrativa na sua rotina médica. Doutor em Medicina pela Uerj e professor de Medicina e Espiritualidade da UFF, eledebate a relação entre conhecimento acadêmico e a espiritualidade na prática clínica no segundo dia do Congresso Luminarium, que acontece de 5 a 7 de julho, no Centro de Convenções SulAmérica, no Centro do Rio de Janeiro (veja mais ao final do texto).

De acordo com o médico, não podemos separar o binômio mente-corpo, esquecendo de analisar em um tratamento, por exemplo, emoções, os sentimentos, as reações instintivas não racionalizadas.

Se guardarmos mágoas, frustrações ou se vivermos em um ambiente altamente estressante e de conflitos, com certeza, esses problemas psicoespirituais vão interferir em no organismo físico”, alerta.

Como solução, Ribeiro fala que é essencial tratamentos alternativos na busca pela cura do paciente, como a medicina tradicional chinesa, a acupuntura, a homeopatia, o reiki, entre outras técnicas. A ideia é trabalhar em conjunto e integralmente, transdisciplinarmente, em prol de resolver da melhor maneira. “A doença começa primeiro na alma para depois se instalar no corpo”, sentencia o especialista do hospital de Niterói.

Aumento nos atendimentos no SUS

Comuns em países da Europa e Estados Unidos, terapias que unem Medicina com técnicas para tratar o espírito ganham mais espaço na rede pública e obtém resultados contra doenças como o câncer. De acordo com números do último levantamento divulgado pelo Ministério da Saúde, apenas no Sistema Único de Saúde (SUS) os atendimentos em terapias integrativas e complementares cresceram de 217 mil, em 2008, para 2,1 milhões, em 2016.

São reconhecidas como terapias complementares aquelas que estimulam os mecanismos naturais de prevenção e cura do ser humano por meio de métodos centrados na integralidade do indivíduo e na visão ampliada da relação entre saúde e doença.

Tema ganha espaço também nas faculdades

Estimativas apontam que, na Europa e nos Estados Unidos, cerca de 80% das faculdades já têm essa cadeira no currículo. Aos poucos, no Brasil, o tema vai ganhando espaço também no ambiente acadêmico. Ainda no Rio de Janeiro, na Escola de Medicina Souza Marques, desde 2016 foi criada a liga acadêmica de Medicina Integativa. E na Unigranrio a liga acadêmica de Medicinas e Espiritualidade (Liame) é bastante atuante desde o ano de 2015 .

Na Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), em Minas Gerais, há também o Núcleo de Espiritualidade e Saúde, assim o estudo da relação espírito e corpo já conquistou espaço dentro da Associação Brasileira de Psiquiatria. Desde 2014, também foi criada a Liga Acadêmica de Medicina e Espiritualidade (Liame) na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj). A UFRJ também já tem criada a liga de medicina e espiritualidade.

Sobre o Congresso

O auditório principal do Centro de Convenções SulAmérica, no Rio de Janeiro, receberá entre os dias 5 e 7 de julho, médicos, neurocirurgiões, físicos e cientistas de todo mundo para debater convergências entre a Medicina e a Espiritualidade durante a primeira edição do Congresso Luminarium. Enquanto isso, outros especialistas apresentarão técnicas, palestras, workshops e vivências nas demais salas do local.

Temas como “Inteligência Espiritual”, “A Casa em Harmonia”, “Intuição na Prática” e “Missão de Vida” serão alguns dos assuntos abordados pelos especialistas. Além disso, a Sala do Núcleo Fogo Sagrado, a Sala do Portal Healing e a Sala Terapêutica realização atendimentos ao longo do dia. Um dos mais esperados é o Teatro Transdimensional, técnica desenvolvida pela terapeuta Mônica Oliveira em parceria com o diretor de teatro alemão Eckart Böhmer.

Os congressistas também poderão aproveitar atendimentos exclusivos durante todo o evento, tais como Auriculoterapia, Cromoterapia, Radiestesia, Reiki, Massagem Ayurvédica, Aromaterapia, Florais de Bach, Cinésiologia, Harmonização de Energia e Reflexologia na Sala Unipaz. É uma oportunidade para os conferencistas experimentarem tratamentos de cura e conhecerem, na prática, as técnicas de empoderamento pessoal com benefícios à saúde e à mente abordadas no congresso.

Uma das atividades mais esperadas é o Teatro Transdimensional: uma das ferramentas que integra a técnica do Fogo Sagrado – Alinhamento Energético, criada pela carioca Mônica Oliveira. Desenvolvida em 2009 pelo diretor de teatro alemão, Eckart Böhmer (criador do famoso festival de teatro alemão Kasper Hauser) e por Mônica, permite que corpos energéticos em desequilíbrio (conscientes ou não) sejam captados da plateia pelos terapeutas durante a encenação do espetáculo. As peças possuem um roteiro, com início, meio e fim; porém, em determinado momento, o canalizador inicia a captação dos conteúdos emocionais da plateia e o “material” é absorvido e encenado. Os terapeutas também promovem a Roda de Cura.

Entre as palestras, a psicóloga Tatiana Auler abordará com os participantes a Intuição na Prática, no sábado; e a Técnica de Interpretação Simbólica Intuitiva (TiSi), na sexta-feira, que  tem como proposta atuar nas crenças limitantes, dissolvendo-as para que não mais impeçam uma pessoa de fazer o que realmente quer. A atividade será realizada no primeiro dia (sexta-feira), a partir das 14h30, na Sala Núcleo do Fogo Sagrado. “A TiSi propõe identificar as crenças limitantes que surgem a partir de situações traumáticas ou de arrependimento, e atuar por meio do campo vibracional na dissolução dessas crenças”, detalha Tatiana.

Completando as atrações paralelas, o Congresso Luminarium também vai receber mais de 40 estandes de diversos expositores, entre editoras, universidades, grupos de estudiosos, aromaterapia, centros de terapias, objetos decorativos, entre muitos outros.

Fonte: Congresso Luminarium, com Redação

 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.