Hospital de campanha do Riocentro começa a receber pacientes

Somente na semana que vem devem chegar respiradores e profissionais.

Paciente sendo atendido em hospital de campanha (Foto: Divulgação)

Inaugurado nesta sexta-feira, 1º de maio, o Hospital de Campanha do Riocentro começou a receber ao fim do mesmo dia os primeiros pacientes com infecção pelo novo coronavírus. Encaminhadas pela Central Unificada de Regulação, a partir das unidades de urgência e emergência, oito pessoas já haviam dado entrada na unidade em menos de 24 horas. Com 76 anos, uma senhora teve que ir para a UTI.

O primeiro módulo da unidade, construída emergencialmente pela prefeitura, foi inicialmente aberto com os primeiros 100 leitos disponíveis – 20 de UTI e 80 de enfermaria. Quando chegar à capacidade máxima terá 500 leitos, 100 de UTI e 400 de enfermaria. Os demais 400 leitos serão ativados progressivamente, conforme a chegada, na semana que vem, de 300 respiradores e demais equipamentos de saúde adquiridos na China.

É necessária ainda a contratação de profissionais de saúde suficientes para atender os pacientes, já que vários deles no município estão afastados devido à Covid-19 e ainda por prevenção, por terem doenças associadas. A prefeitura informou que tem feito esforços para que eles aceitem o chamado, inclusive oferecendo hospedagem e passagem de graça para os que vierem de outros estados, além do pagamento que, para os médicos, pode variar entre R$ 6 mil e R$ 21 mil, conforme a carga horária.

A previsão é de chegada de mais pacientes neste sábado – Divulgação/Prefeitura do Rio

Novos hospitais de campanha

O hospital de campanha é uma estrutura provisória criada para receber pacientes com Covid-19 e desafogar os hospitais públicos. O Governo do Estado também está instalando nove hospitais de campanha para tratamento da doença respiratória causada pelo novo coronavírus. Um já foi parcialmente aberto, no Leblon, com cerca de 40 leitos. Até o fim do mês, a previsão é que todos estejam inaugurados, somando 1.800 leitos à rede pública.

Até a noite de sexta-feira, haviam sido confirmados 6.189 casos da doença na cidade do Rio de Janeiro, com 574 mortes. Segundo a prefeitura, estão hospitalizadas na rede do Sistema Único de Saúde (SUS) no município com diagnóstico de Covid-19 um total de 1.254 pessoas, das quais 376 em UTIs. Apenas na rede municipal, estão internados 486 pacientes, sendo 139 em terapia intensiva.

Cardápio diferenciado – No Hospital de Campanha do Riocentro, um cardápio diferenciado é feito pelo Instituto de Nutrição Annes Dias (Inad), que já cuida das refeições de outros hospitais e escolas da rede municipal. Além de direcionar a dieta balanceada a ser consumida por pacientes e profissionais que trabalham na unidade, as nutricionistas reforçam com a empresa contratada para o serviço as orientações sobre os cuidados no preparo das refeições para quem tem Covid-19.

Entre as recomendações está a atenção redobrada aos portadores de comorbidade, como diabéticos, hipertensos e pessoas com complicações renais e dislipidemia (colesterol elevado ou gorduras no sangue). Estudos apontam que pacientes da Covid-19 precisam de uma dieta com suporte calórico maior, com mais proteína.Em geral, a dieta já é equilibrada em relação ao baixo uso de sal, gordura e de tempero artificial. Usamos apenas temperos naturais, como ervas finas, salsinha e coentro

O hospital de campanha começou a funcionar com 100 leitos, sendo 20 de UTI – Divulgação/Prefeitura do Rio

Fonte: Prefeitura do Rio e Agência Brasil

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.

In the news
Leia Mais