Humanidade esgota mais cedo recursos da Terra para este ano

Dia da Sobrecarga da Terra marca ponto máximo de uso de recursos naturais sem prejudicar o meio ambiente. Conheça algumas iniciativas de empresas que ajudam a reduzir a pegada ecológica

Redação

O Dia da Sobrecarga nunca foi tão cedo. A partir desta segunda-feira, 29 de julho de 2019,  tudo o que consumirmos já é excesso do que a Terra consegue regenerar. A Humanidade atingiu a data limite, conhecida como Overshoot Day, três dias antes do que em 2018 – e mais cedo do que em toda a série histórica, medida desde 1970.

A informação é da Global Footprint Network, responsável por cálculos que marcam a Pegada Ecológica, gera um alerta sobre a forma que consumimos. Segundo a organização sem fins lucrativos, a Humanidade já esgota nesta segunda todos os recursos naturais que tinha para o ano de 2019 e o planeta passa a consumir mais do que consegue recuperar até o fim do ano.

A tendência é que cada vez mais precocemente a Humanidade gaste os seus recursos disponíveis antes do final de cada ano. No ano de 2016, o dia de sobrecarga foi 8 de agosto; em 2019, a data chegou mais de uma semana antes. Há 10 anos, a data foi 18 de agosto – e há 20, ela aconteceu em 29 de setembro.

O ano de 1969 foi o último em que a Terra suportou, do início ao fim, o tanto que consumia.  Atualmente, para abastecer as demandas de todo o globo, seria preciso usar todos os recursos disponíveis na Terra e mais um pouco. Uma escala elaborada pela Global Footprint Network aponta que usamos o equivalente a 1,75 o tamanho do planeta – ou seja, mais do que um planeta inteiro.

LEIA MAIS

Humanidade x Natureza: o dia em que a Terra diz que não aguenta mais

Os cálculos para determinar o dia de sobrecarga da Terra incluem quantidade de água gasta, desmatamento, pesca e quanto dióxido de carbono foi lançado na atmosfera. Só a emissão desse gás representa 60% do impacto das ações humanas no planeta.

Segundo o Fundo Mundial para a Natureza (da sigla em inglês, WWF), a principal proposta para tentar reduzir a pegada ecológica (quantidade de recursos naturais renováveis para manter nosso estilo de vida) é tentar adiar o dia de sobrecarga da Terra em cinco dias. Desse modo, a estimativa é que em 2050 não estaremos mais gastando além dos limites do planeta.

Dia da Sobrecarga da Terra: o que fazer para o planeta sair do ‘cheque especial’

Empresas com ‘pegada’ sustentável

Veja algumas iniciativas de  empresas que estão cada vez mais preocupadas com a sustentabilidade e fazem trabalhos que podem diminuir o impacto negativo no meio ambiente.

A economia linear, que defende a extração, produção, consumo e descarte, é o principal fator que causa essa sobrecarga. A economia circular contribui para a redução de emissão de gases de efeito estufa, diminui a exploração de recursos finitos e provoca um pensamento sobre a forma que consumimos. A TriCiclos é líder em economia circular na América Latina e alerta sobre a importância da mudança de hábitos dos consumidores, das novas estratégias das empresas e do papel do poder público.

Yesfurbe surge com a refabricação de celulares e revenda. A empresa também compra aparelhos que, muitas vezes, seriam descartados para poder fazer os reparos e colocá-los de novo no mercado e usa os celulares antigos como parte do pagamento para a compra de um novo, assim entrando na questão do trade-in que está cada vez mais em alta. Além disso, todos os materiais não utilizados no processo passam pelo processo de reciclagem.

TudoBônus – e-commerce que oferece subsídio para a compra de novos refrigeradores – é um projeto em parceria com a Indústria Fox, empresa pioneira em reciclagem com base na captação de gases no Brasil, com uma concessionária de energia de São Paulo e Grande ABC. Enquanto a TudoBônus retira a geladeira antiga do consumidor para ser 100% reciclada, a Indústria Fox faz o reaproveitamento de todo esse material.

No projeto, os gases tóxicos que são prejudiciais à saúde humana e à natureza também são tratados e retornam como componentes químicos para a indústria. Só para você ter uma ideia, uma geladeira gera uma quantidade de CO² equivalente a um carro popular rodando por um ano. Outro exemplo de reciclagem da geladeira, é o óleo extraído, que é transformado em lubrificante 100% reciclado, entre inúmeros reaproveitamentos do material.

Brilia é uma empresa pioneira no desenvolvimento de soluções de iluminação em LED com lâmpadas, luminárias, fitas e acessórios. Usar lâmpadas de LED, além de proporcionar economia de energia elétrica também reduz a produção de lixo, já que a vida útil delas é maior. Vale citar também que os sistemas de iluminação inteligente economizam ainda mais energia elétrica, chegando até em 90%.

Fonte: Revista Galileu, com Redação e Assessorias

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.